29 de Junho, 2011 - 10:44 ( Brasília )

Geopolítica

Chegam a 21 os mortos em ataque talibã a hotel de Cabul


Um grupo de talibãs fortemente armados atacou um dos principais hotéis de Cabul, o Intercontinental, na noite de terça-feira, e as quatro horas de combates posteriores terminaram com a morte de 10 civis, entre eles um espanhol, dois policiais e nove atacantes, anunciou o governo afegão.

Um cidadão espanhol morreu durante o ataque, segundo o governo espanhol, informação confirmada pelas autoridades afegãs. De acordo com a imprensa espanhola, trata-se de um piloto de uma companhia aérea turca que foi ferido no ataque e faleceu pouco depois.

Este ataque, realizado em pleno centro de uma capital que há vários anos se transformou em um campo entrincheirado e contra um estabelecimiento que supostamente estava bem protegido, demonstra que a insurreição talibã se intensifica após o anúncio pelos Estados Unidos do início da retirada das tropas estrangeiras do Afeganistão, com conclusão prevista para o fim de 2014.

"Os terroristas atacaram o Intercontinental às 23h (15h30 de Brasília) e a operação terminou às 3H00, depois da morte de todos os terroristas", afirmou o porta-voz do ministério do Interior, Sediq Sediqi.

Sediqi explicou que os dois últimos terroristas morreram durante a madrugada, após uma operação de revista do hotel. Um policial matou um deles e o outro detonou explosivos presos ao corpo.

Este novo ataque rebelde contra o Hotel Intercontinental, supostamente um ponto muito protegido de Cabul, destaca a falta de segurança na capital afegã, 10 anos após a chegada das forças internacionais ao país e semanas antes do início de sua retirada.

Um porta-voz dos talibãs, Zabihulah Miyahid, reivindicou o ataque, que segundo ele teria matado 50 hóspedes, entre estrangeiros e líderes afegãos, além de fazer 300 reféns.

Entre os hóspedes estavam funcionários do governo afegão de vários lugares do país que viajaram a Cabul para uma conferência nesta quarta-feira sobre a transferência do poder das forças estrangeiras às forças de segurança afegãs.

O Hotel Intercontinental, um dos principais de Cabul, é frequentado principalmente por estrangeiros e dirigentes afegãos.

Os talibãs, fortemente armados, entraram no hotel situado em uma colina que domina a capital afegã, que foi imediatamente cercado pelas forças de segurança, segundo o chefe da polícia de Cabul, Mohammed Zahir.

Segundo Zahir, um certo número de policiais ficou ferido, inclusive ele, na perna. Um funcionário informou que os terroristas carregavam coletes com explosivos, armas automáticas e foguetes.

A Otan enviou dois helicópteros para disparar contra três insurgentes no telhado do hotel. Dois soldados neozelandeses ficaram feridos.

O major Jason Waggoner confirmou que dois dos helicópteros das Forças Internacionais de Assistência à Segurança (Isaf), lideradas pela Otan, foram enviados para atirar contra militantes que tomaram posições no telhado.

Um fotógrafo da AFP observou parte do hotel pegar fogo logo após o ataque. Uma testemunha, Sayed Hussain, declarou à AFP que estava no interior do estabelecimento quando o ataque começou.

"Vi cinco ou seis homens à paisana e armados com fuzis que começaram a disparar ao entrar", afirmou, perto do local do ataque. "Eu me joguei no chão e pouco depois a polícia chegou".

O Intercontinental é um dos hotéis mais conhecidos e prestigiados de Cabul. Foi inaugurado em 1969 e fica em uma colina acima da cidade.

O ataque ocorre semanas antes da data na qual as tropas estrangeiras pretendem sair do Afeganistão, embora a segurança da capital já esteja sob controle das forças armadas afegãs.

Quase 10 mil soldados americanos partirão do Afeganistão neste ano, anunciou o presidente Barack Obama na semana passada. O fim das operações de combate das forças estrangeiras está previsto para o fim de 2014.