27 de Maio, 2011 - 12:07 ( Brasília )

Geopolítica

Líbia - Para o G8, Kadafi não tem futuro em uma Líbia democrática


Os dirigentes do Grupo dos Oito (G8, formado pelos sete países mais ricos do mundo e a Rússia) afirmaram nesta sexta-feira que o líder líbio, Muammar Kadafi, "não tem futuro em uma Líbia democrática e livre" e, em sua declaração final da cúpula de Deauville (França), ressaltaram que ele deve sair.

O tom do documento reflete a contundência com a qual se expressaram no início da jornada os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e da França, Nicolas Sarkozy.

Após uma reunião bilateral, Obama assegurou que EUA e França estão unidos em sua determinação de "encerrar sua tarefa" na Líbia, enquanto Sarkozy afirmou que eles compartilham a opinião de que Kadafi deve sair.

Os líderes do G8 exigiram "a cessação imediata do uso da força contra os civis pelo regime líbio" e expressaram seu apoio "à soberania, independência e integridade territorial e união nacional da Líbia".

Em relação à Síria, os dirigentes do G8 disseram estar "horrorizados pelas mortes de tantos manifestantes pacíficos" e pelas "reiteradas e graves violações dos direitos humanos".

Além disso, pediram as autoridades sírias que "cessem imediatamente o uso da força e a intimidação contra a população, ue atendam às suas reivindicações legítimas" e "a libertação de todos os presos políticos".

Segundo o documento, "só o caminho do diálogo e das reformas fundamentais pode levar à democracia, à segurança e à prosperidade a longo prazo".

Os líderes advertiram que, se as autoridades sírias se omitirem a esse pedido, eles estudarão "medidas adicionais", mas não forneceram mais detalhes.

Também condenaram o uso da violência pelas autoridades iemenitas contra os protestos e pediram ao presidente Ali Saleh que "respeite seus compromissos e garanta que se atendam as legítimas vontades do povo".

Em referência ao conflito entre israelenses e palestinos, manifestaram seu apoio às ideias expressas por Obama no último dia 19 e disseram que "agora é o momento para reiniciar o processo de paz", baseando-se "nas aspirações dos palestinos para um estado soberano e viável e dos israelenses para a segurança e a integração regional".

Além disso, pediram às autoridades iranianas que cessem a repressão contra a população e que suspendam os impedimentos à livre circulação e comunicação dos dirigentes da oposição.

Os líderes do G8 lembraram que as autoridades iranianas "expressaram reiteradamente seu apoio à liberdade e à democracia em outras partes da região", por isso que o país deveria desempenhar um papel "construtivo e responsável".