05 de Julho, 2013 - 10:58 ( Brasília )

Geopolítica

Rússia aumenta investimentos militares


A Rússia vem aumentando os investimentos militares enquanto os EUA e a Europa as estão diminuindo. Nos próximos quatro anos, o financiamento do ramo militar russo será incrementado anualmente em cerca de 20%, podendo atingir a quantia recorde de 104 bilhões em 2016 contra 64 bilhões em 2013.

Ao todo, no programa estatal de armamentos até 2020 serão investidos 770 bilhões de dólares. O observador militar, Vladimir Shuriguin, comenta:

"O dinheiro será destinado para a compra de armamentos e equipamentos novos que não foram adquiridos ao longo dos últimos 20 anos. A maior parte dos recursos será investida  nos projetos de novas armas. Isto permitirá aumentar em 50 % a capacidade de armas e equipamentos em serviço nas Forças Armadas do país."

O programa estratégico de modernização militar deverá ser concretizado até 2020. Em 2014, na Rússia será criado um centro estatal de veículos não tripulados e, mais tarde, tais centros serão instituídos em cada uma das 4 circunscrições militares. Em 2015, será projetado um novo carro de combate T-99, em 2016 – o sistema de mísseis antiaéreos S-500.

Em 2013, as Forças Armadas serão dotadas de sistemas super-modernos Pantsir-S1, capazes de efetuar um rastreio simultâneo de 20 alvos aéreos. Em breve, será lançada ainda a produção em série de um míssil sem análogos no mundo que poderá abater tanto os drones, como os caças F-22 Raptor.

Os avultados meios serão investidos ainda na melhoria das condições do serviço militar. Segundo o novo programa, nas casernas, para além de cabines de duche, serão instaladas 20 mil máquinas de lavar e aspiradores de pó. No parecer do general Alexander Vladimirov, o Estado deverá revelar um cuidado especial em relação ao pessoal.

"Agora é muito importante criar um sistema moderno de formação de oficiais que seja adequado aos principais requisitos da condução das operações militares. É necessário capacitar oficiais, capazes de tomar a iniciativa, tomar decisões oportunas, saber realizá-las e responsabilizar-se por seus resultados. Para tal também precisamos de dinheiro para que a Pátria não esqueça que, para além de tanques e equipamentos, o mais importante é o espírito!."

Um dos problemas atuais passa pela composição das Forças Armadas. Os soldados que prestam o serviço sob o contrato estão sendo atraídos por boas condições de hipoteca e por vencimentos mais altos do que o salário médio. Para os futuros oficiais é importante ter acesso ao ensino superior e - após a reforma – assistir aos cursos de reciclagem profissional.