COBERTURA ESPECIAL - F-X2 - Tecnologia

17 de Setembro, 2012 - 15:00 ( Brasília )

Programa Ciência sem Fronteiras aprova projetos de colaboração entre CISB, SAAB e universidades brasileiras e suecas

Estudantes irão para a Suécia desenvolver pesquisas em universidades e centros de estudos no âmbito de inovação aberta

São Paulo, 17 de setembro de 2012 – Em março deste ano, o Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro (CISB), em parceria com a empresa sueca de segurança e defesa SAAB AB, lançou a plataforma colaborativa para receber propostas de pesquisadores de doutorado e pós-doutorado para pleitearem uma bolsa de estudo para desenvolver projetos na Suécia, dentro do programa Ciência sem Fronteiras, do Governo Federal. Depois de uma intensa troca de informações dentro da plataforma entre os candidatos e os engenheiros e pesquisadores da Saab, o CNPq, responsável pela aprovação das propostas, escolheu nove estudantes para realizarem suas pesquisas na Suécia. As bolsas de estudo serão co-financiadas pela SAAB e acontecem dentro do âmbito de colaboração entre o Brasil e a Suécia, por meio do CISB.

No total, sete bolsas para pós-doutorado e duas para doutorado-sanduíche foram concedidas. O anúncio da aprovação dos projetos pelo CNPq se deu logo após a assinatura da carta de intenções entre os governos brasileiro e sueco, em que acordam que o programa Ciência sem Fronteiras proporciona a internacionalização das universidades e centros de pesquisa suecos e que ambos os países irão desenvolver programas e implementar projetos com o objetivo de alavancar o conhecimento.

“Esse é um passo importante para a estratégia de inovação da SAAB, quando ampliamos a cooperação com nossas universidades suecas para também atingir alguns dos melhores grupos de pesquisa nas universidades e instituições Brasileiras”, diz Magnus Ahlström, Diretor de Cooperação em Inovação da SAAB AB.

Bruno Rondani, diretor-presidente do CISB, afirma que essa é a primeira de muitas outras oportunidades para pesquisas na Suécia que o Centro promoverá. “Na primeira chamada aberta em março, recebemos 500 inscrições na plataforma que resultaram em 30 propostas avaliadas pelo CNPq. Dessas, nove foram aprovadas. O grande interesse demonstrado e a qualidade técnica dos candidatos aprovados conferem a certeza de que as próximas chamadas serão também muito produtivas e atingiremos a meta de cem pesquisadores aprovados até o final de 2013”, diz Rondani.

Para a embaixadora do Brasil na Suécia, Leda Camargo, o programa Ciência sem Fronteiras é a mais relevante iniciativa do Governo Federal na área educativa e científica. “O Brasil é extremamente eficiente em pesquisa, mas pouco experiente em sua aplicação na indústria, no que a Suécia é especialista e muito pode ensinar. Tendo a Suécia a segunda colocação no Indicador Mundial em Inovação, essa troca de intelectos só fará crescer nossa já importante comunhão de interesses”, afirma a embaixadora.

O encarregado de negócios da embaixada da Suécia, Mikael Ståhl, também ressalta a importância desse programa para o desenvolvimento do Brasil. “A carta de intenções é um passo natural para explorar uma nova área dentro de nossa parceria bilateral estratégica com o Brasil, educação e intercâmbio científico. Esses estudantes brasileiros terão a oportunidade de ir para a Suécia por meio do programa Ciência sem Fronteiras e esperamos que esse intercâmbio aumente a oferta nacional sueca para o Brasil”, afirma.

Mais detalhes dos projetos selecionados

Os pesquisadores contemplados com as bolsas de estudos são de grandes universidades brasileiras e encontrarão na Suécia um ambiente de inovação aberta, e não apenas acadêmico. No segmento de pós-doutorando, foram aprovados:

Álvaro Martins Abdalla, professor da USP, que irá para a universidade de Linköping para desenvolver uma metodologia para otimizar os projetos conceituais de aeronaves, utilizando a multidisciplinaridade;
Carlos Cimini, professor da Unicamp, para projeto na KTH Royal Institute, onde estudará otimização para redução de custos em componentes estruturais aeronáuticos;
Emilia Villani, professora do ITA, também irá para a Chalmers University of Technology, para desenvolver mecanismos de software para corrigir problemas em aeronaves;
Leonardo Rocha de Oliveira, professor da PUC-RS, também irá para a HIS com o projeto em governança de TI para segurança cibernética em cadeias de suprimentos; e Nunzio Marco Torrisi, professor da UFABC, que teve sua proposta sobre segurança em redes IP públicas aprovada para ir para a KTH Royal Institute;
Joni de Almeida Amorim, da Unicamp, estudará treinamentos e simulações em segurança cibernética na HIS – University of Skövde; e
Carolina Almeida Araujo de Andrade, da USP, realizará a pesquisa na Chalmers University of Technology na área de economia da tecnologia para colaboração internacional, por  meio de arenas de inovação aberta.

Já na modalidade de doutorado-sanduíche, os aprovados foram:

Francisco Sant’anna, da PUC-RJ, para estudos na área de programação reativa para redes de sensores sem fio, na Chalmers University of Technology, e
Henrique Gazzetta Jr, do ITA, que também irá para a Chalmers para desenvolver a proposta sobre métodos de análise e avaliação de engenharia de aviões para uso militar.

Os pesquisadores ficarão na Suécia de seis meses a um ano, dependendo da área de atuação, e muitos deles já terão início imediato. “O CISB espera que todos os pesquisadores sejam extremamente bem sucedidos e que criem vínculo para que, quando retornarem ao Brasil, continuem seus projetos em cooperação com a Saab e outras instituições parceiras”, conclui Bruno Rondani.

Sobre o CISB

Sediado em São Bernardo do Campo, o Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro (CISB) foi criado pela Saab em maio de 2011 com o objetivo de implementar acordos de cooperação em ciência, inovação e alta tecnologia entre Brasil e Suécia, integrando o maduro e bem sucedido sistema de inovação sueco com o dinâmico sistema de inovação que vem se consolidando no Brasil, além de atrair investimentos e interesse de todo o mundo. Empresas suecas, como SAAB, Stora Enso e Scania, são alguns dos membros do Centro e incentivadoras da iniciativa. O modelo operacional do CISB é inspirado nos mundialmente conhecidos Science Parks Suecos, em que laboratórios de P&D de grandes empresas, universidades, institutos de tecnologia, empreendedores e investidores de capital de risco se encontram em um ambiente propício à colaboração para a inovação. Assim como nos Science Parks Suecos, a equipe do CISB atua como facilitador e gestor dessa rede e ambiente e colaboração.
 
Sobre a Saab AB

A SAAB atende o mercado com produtos líderes mundial, serviços e soluções que vão desde a defesa militar até a segurança civil.  A SAAB mantém operações e funcionários em todos os continentes e constantemente desenvolve, adota e aperfeiçoa novas tecnologias para atender às necessidades de seus clientes.
 



Outras coberturas especiais


Vant

Vant

Última atualização 22 SET, 16:00

MAIS LIDAS

F-X2