COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Segurança

07 de Novembro, 2014 - 09:00 ( Brasília )

Operação nacional "faz um limpa" na fronteira brasileira

Segundo secretário de Segurança de MS, ações devem ser em conjunto com países vizinhos

Diário Digital /R7


Os Estados de fronteira vem desenvolvendo um planejamento em conjunto para combater a criminalidade. O resultado, segundo Wantuir Jacini, secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, só não é mais positivo porque não há o maior envolvimento dos países vizinhos. Nesta quinta-feira, 6, ele divulgou o balanço da 83º operação deflagrada no Estado, desta vez, em 44 cidades fronteiriças. 

A ação organizada pelo Ministério da Justiça na fronteira brasileira foi desencadeada simultaneamente por 11 estados e resultou na prisão de 28 pessoas, na apreensão de armamentos, contrabando e mais de quatro toneladas de drogas.

A ação teve início na terça-feira, 4, e ocorreu em cooperação com as Polícias Estaduais, Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional e as Forças Armadas de todo o país, com o objetivo de cumprir mandados de prisão, realizar prisões em flagrante e fomentar uma cultura de paz na Federação.

De acordo com Wantuir Jacini, para a maior eficácia das operações de fronteira, é necessário o envolvimento do Palácio Itamaraty para que haja uma cooperação internacional. "É preciso que o governo brasileiro amplie os investimentos no combate aos crimes de fronteiras, mas que isso ocorra por parte dos países irmãos também", afirmou. 

Em Mato Grosso do Sul, a operação envolveu 1.550 homens da Polícia Civil, Polícia Militar Rodoviária Estadual, Departamento de Operações de Fronteira (DOF), Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Exército Brasileiro e Marinha. Por dois dias, foram realizadas diversas barreiras fixas e móveis pelas estradas que cortam o Estado que abordaram 3.140 carros, 532 motos e 421 ônibus. Segundo o secretário, mais operações como esta deverão ser elaboradas pelo Ministério da Justiça no ano que vem.