COBERTURA ESPECIAL - Eventos - Segurança

13 de Fevereiro, 2014 - 23:36 ( Brasília )

A Face Externa do BRASIL para a Copa

Estratégia deliberada ou fatos aleatórios




André Luís Woloszyn
 Analista de Assuntos Estratégicos, consultor de agências internacionais

 
As vésperas do maior evento desportivo mundial, é natural que cresçam as críticas da imprensa internacional sobre os recentes episódios de violência, particularmente o que acarretou na morte do cinegrafista Santiago Andrade, o que de fato, deve ser uma constante preocupação para seus organizadores e para os estados que sediarão os jogos.
 
Mas, chama a atenção, a forma enfática como tem sido expostos os problemas internos do país para a opinião pública estrangeira, alvo de extensas reportagens que apontam insistentemente não haver garantias de segurança pessoal face a onda de violência, além de graves problemas políticos, sociais e de infra-estrutura, criando uma campanha de verdadeiro terror para aqueles que pretendem acompanhar os jogos.
 
Estas reportagens, publicadas em importantes veículos da mídia, demonstram possuir fontes de  amplos conhecimentos da conjuntura e particularidades da vida brasileira. Nelas, dificilmente se encontrará  pontos positivos a favor do país e a ideia que está sendo transmitida é de que não possuimos as mínimas condições para sediar evento de tal magnitude. Uma situação lamentável pois certamente deverá ter reflexos diretos na economia com a redução do fluxo de turistas estrangeiros. 
 
Um dos inúmeros exemplos é a edição da revista FRANCE FOOTBALL desta semana que apresenta a capa toda em negrito e onde se lê “Peur sur le Mondial”, algo como: “Medo do Mundial”, sendo que a letra “O” da palavra “mondial” está a bandeira do Brasil e onde deveria estar escrito “Ordem e Progresso”, foi colocada uma tarja negra. No subtítulo diz: Atingido por uma crise econômica e social, o Brasil está longe de ser aquele paraíso imaginado pela FIFA para organizar uma Copa do Mundo. A menos de 5 meses do mundial, “o Brasil virou uma terrível fonte de angústia”.
 
A revista pode ser acessada no site: www.francefootball.com  mas apenas se vê a capa pois a reportagem de 12 páginas, não está liberada no Brasil. Ainda, segundo estas mesmas fontes,  em âmbito interno da FIFA, já se admite o que pode ser considerado o maior erro estratégico da história da Instituição, ter aceitado o Brasil para sediar os jogos.
 
Da mesma forma, estão disponíveis na internet de forma cada vez mais frequente, inúmeros vídeos em inglês, como o “FIFA World Cup 2014 – The real Brazil” que retratam um ambiente hostil mostrando estradas e obras inacabadas, sujeira nas ruas, descontrole em conflitos entre manifestantes e a Polícia e desrespeito a normas de convivência coletiva num estado que beira a beligerância.
 
Verdadeiramente nunca se viu tamanha contrapropaganda desde o término da Guerra Fria. Será parte de uma campanha de desestabilização interna e externa? A quem interessa o fracasso de público em um dos maiores eventos desportivos internacionais? Haverá uma estratégia mais ampla dos movimentos irregulares além da que estamos presenciando?



Outras coberturas especiais


Fundação EZUTE

Fundação EZUTE

Última atualização 19 OUT, 20:20

MAIS LIDAS

Eventos