COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa - Defesa

18 de Janeiro, 2019 - 09:00 ( Brasília )

ABIMDE - Chapa Verde e Amarelo

Após 32 anos de sempre apresentar uma chapa, neste ano pela primeira vez a Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE) tem duas chapas concorrendo para o período 2019/2021.

Após 32 anos de sempre apresentar uma chapa, neste ano pela primeira vez a Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE) tem  duas chapas concorrendo para o período 2019/2021.Há duas Chapas a "Verde e Amarelo" e a  "Força Empresarial Brasileira  II (FEB II).

A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE) realizará eleições no próximo dia 22JAN2019. Previstas para ocorrerem no dia 23 OUT2018, por impugnação de chapas e a busca de um acordo entre os grupos, foi transferida para o dia 22JAN2019.

DefesaNet enviou questões às duas chapas e que são publicadas em conjunto.

Verde Amarelo - Liderada por:
             Presidente - Carlos Alberto Macedo Cidade (AVIBRAS)
             1º VP         - Carlos Frederico Aguiar  (POWER Defesa)
              Apresentação das respostas Chapa Verde Amarelo Link

Força Empresarial Brasileira II - liderada por :
              Presidente - Dr. Roberto Gallo (KRYPTUS)
              1º VP         - Leonardo Nogueira (ALTAVE)
               Apresentação das respostas Força Empresarial Brasileira II Link

 

Chapa Verde e Amarelo


DefesaNet - O que motivou a lançar a Chapa Verde e Amarelo?

Chapa Verde e Amarelo - Ao longo da minha experiência profissional participei e fui testemunha de organizações e iniciativas que evidenciam como uma associação empresarial forte e ativa pode contribuir para o desenvolvimento de um setor. Então, considero que a ação coletiva através de entidades de representação, deve se dar em caráter permanente.

Em meados do ano passado fui procurado por um grupo que se dizia insatisfeito com a atual diretoria da ABIMDE e queria um nome para ser o cabeça da chapa de oposição. Também fui procurado por outro grupo para integrar a chapa da situação. Curioso é que os dois grupos integravam a atual diretoria.

Debatemos na empresa qual seria o encaminhamento mais adequado e concluímos que os motivos apresentados pela chapa de oposição eram insuficientes para participar de uma dissidência. Afinal, todos os integrantes da atual Diretoria da ABIMDE são diretamente responsáveis pelo que foi realizado nesta gestão.

Essa reflexão nos levou a conclusão que deveríamos participar da chapa de situação, e passei a integrar a chapa Cooperação na condição de 1º Vice-Presidente. Mas com uma orientação de que deveríamos conversar com os dissidentes e propor uma agenda que nos unisse em uma única chapa.

Como é sabido, nessa primeira fase houve impugnações de parte a parte e as duas chapas foram excluídas do processo eleitoral. Na sequência foi aberto novo edital de convocação de eleições.

No interregno entre a assembleia geral que impugnou as duas chapas e a inscrição de novas chapas, atuei fortemente na busca de uma composição entre as duas correntes, sempre em torno de uma Proposta de Trabalho.

Ao longo dessas conversas ouvi, mais de uma vez, de importantes integrantes da outra chapa que se eu fosse o candidato a Presidente da ABIMDE, seria possível fazermos uma composição.

Trouxe essa possibilidade para meus companheiros da chapa Cooperação e para a AVIBRAS. Em ambos os casos fizemos reflexões profundas acerca da importância da unidade do setor e de uma Agenda consistente com as necessidades da BID, e concluímos que seria importante aceitar aquela proposta.

Considerei que a empresa me atribuía uma importante missão e que meus companheiros me convocavam para liderar a chapa a partir de uma sugestão vinda da oposição, entendi que teríamos uma oportunidade efetiva de contribuir para renovar e fortalecer a ABIMDE e como consequência, e objetivo principal, contribuir para a consolidação e expansão da BID.

Qual não foi nossa surpresa, e frustração, quando nos reunimos com representantes da outra chapa para conversar sobre os pontos de convergência de um Programa de Trabalho e constatamos que só queriam apontar os nomes e cargos no Conselho Diretor, e que além de indicar seus representantes, queriam impor vetos a nossas indicações.
Infelizmente não foi possível continuarmos juntos.

Então, resolvemos submeter a consideração das associadas da ABIMDE a Chapa Verde e Amarelo, que é constituída por empresas da BID de todos os tamanhos e atividades, industriais, comerciais e de serviços.

Nossa principal motivação é fortalecer e renovar a ABIMDE. Trabalhando incansavelmente pela construção de uma Agenda que tenha o condão de unir e bem representar as expectativas do setor e que, mais que uma agenda corporativa, seja convergente com os objetivos estratégicos de nosso País.

De minha parte, tenho a convicção que a ABIMDE com uma Agenda clara e legítima, construída com a participação de todos associados, poderá influenciar positivamente na edição de Políticas Públicas, Programas e Projetos, que favoreçam a melhoria no ambiente de negócios das empresas do setor.

DefesaNet - Quais são os pontos fortes da Chapa Verde e Amarelo?

Chapa Verede e Amarelo - Uma das características marcantes da chapa Verde e Amarelo está expressa na diversidade, que é uma das forças do nosso setor. Estão lado a lado no Conselho Diretor, algumas das mais importantes empresas do setor, de diversos portes e natureza empresarial.

Integrantes da chapa ocupam, há muito tempo, posições de destaque em suas empresas e sabem com clareza os problemas que afetam nosso setor, com sua experiência também saberão reconhecer as oportunidades, formular alternativas e representar com eficácia os interesses da BID.

A capacidade de articulação e negociação da chapa Verde e Amarelo é um grande diferencial. Acredito estar aí a minha principal contribuição pessoal. Afinal, acumulo décadas de atuação bem-sucedida na formulação de Políticas Públicas e Legislações, através das entidades empresariais que integrei.

Essa vivência representa mais do que a construção de sólida e extensa rede de relacionamentos. Ela representa também um testemunho de meu permanente compromisso com valores que serão essenciais para o sucesso da ABIMDE: garantir a sua credibilidade e a legitimidade da sua Agenda.

DefesaNet - Como recuperar a Base Industrial de Defesa (BID) após anos de orçamentos de defesa reduzidos e pouca demanda das forças?

Chapa Verde e Amarelo - Mesmo com os cortes orçamentários a BID tem mostrado a sua força. Sempre responde positivamente às oportunidades e desafios que são trazidos pelas Forças Armadas e órgãos de Segurança Pública.

Mas uma prioridade absoluta do nosso trabalho será defender a estabilidade orçamentária para investimentos em Defesa e Segurança, garantindo sua execução física e financeira e a continuidade dos Programas.

Combater a imprevisibilidade é essencial porque ela constitui uma ameaça importante para as empresas e para própria sobrevivência do setor. A ABIMDE deve atuar como uma ponte de interlocução permanente, consistente, legítima e representativa do setor com as Forças Armadas, com os órgãos de Segurança Pública e com os Governos.

Esse diálogo deve se dar tanto na União quanto nos Estados, e especialmente com os órgãos econômicos, de planejamento e de fomento para fortalecer e garantir previsibilidade dos orçamentos, em especial do investimento em desenvolvimento tecnológico, que pode ser traduzido como investimento em Soberania.

DefesaNet - Como a chapa Verde Amarelo procurará interagir com o MD e Comandos e Ministério da Justiça e Governos Estaduais?

Chapa Verde e Amarelo - O sucesso do diálogo com o Governo começa dentro de casa. É fundamental ter credibilidade. Para ter credibilidade temos que apresentar uma Agenda que represente o setor como um todo e não segmentos e empresas específicas.

Daí a importância de criar um ambiente que favoreça a participação dos associados e que gere agendas legítimas e representativas do setor.

Os Comitês Temáticos que serão criados terão um papel importante nesse diálogo, tanto para identificar as prioridades, quanto para encaminhar a interlocução. Também a participação de representantes das Forças Armadas e da Segurança Pública no Conselho Consultivo nos habilitarão a compreender melhor o ambiente e as demandas governamentais.

O Presidente da entidade tem que ter essa missão como um dos seus mais importantes desafios, mas a tarefa não deve estar concentrada apenas nele. Com o alinhamento de posições, a defesa dos interesses do setor será um trabalho coletivo.

Por fim, é importante reconhecer o peso do Governo Federal para a definição das condições de desenvolvimento de nosso setor. Por isso, vamos institucionalizar como função permanente a representação em Brasília, especialmente para acompanhamento do Congresso Nacional e para suporte e apoio às ações institucionais da BID.

DefesaNet - Como a Chapa Verde Amarelo vê o cenário da BID após EMBRAER-BOEING?

Chapa Verde e Amarelo - É importante entender que fusões, aquisições e parcerias fazem parte das estratégias de negócios das empresas. No caso da BID, uma de suas principais características e forças é a diversidade. Convivem empresas de capital nacional com empresas estrangeiras, empresas grandes com empresas menores e muito da inovação e futuro do setor está sendo agora gestado em startups inovadoras.

O principal desafio é construir um ambiente de negócios em que a expansão das demandas governamentais gere impacto em toda a cadeia setorial. Mesmo quando estivermos diante de compras governamentais no exterior é importante tornar efetiva a implantação de processos de transferência de tecnologia que permitirão a capacitação e melhoria da competitividade das EED.

Essa visão sistêmica associada a um ambiente de negócios favorável tem que ser permanente e norteadora de nossa Agenda de trabalho.

DefesaNet - Qual a mensagem da Chapa Verde Amarelo aos Associados da ABIMDE?

Chapa Verde e Amarelo - No dia 22, as empresas associadas da ABIMDE vão escolher seu novo Conselho Diretor. A Chapa Verde e Amarelo espera receber o apoio das empresas porque elaborou e divulgou amplamente uma Proposta de Trabalho que visa a modernização da entidade, com nova estrutura, novas práticas de gestão e mais participação dos associados na construção e execução da Agenda.

Fortalecer e renovar a ABIMDE é o nosso objetivo. Há problemas institucionais, regulatórios e orçamentários que afetam negativamente a consolidação e expansão da Base Industrial de Defesa – BID. Nosso objetivo é construir um ambiente participativo para definir as nossas prioridades para a defesa do setor.

Estabeleceremos um sistema anual de definição dessa Agenda e criaremos comitês estratégicos, inclusive um para Pequenas e Médias Empresas e Startups, que tornarão mais vivo e dinâmico o debate na associação.

Finalmente, reitero nosso compromisso com a transparência e com as regras de boa governança que levará à reestruturação da política administrativa interna, com a efetiva participação dos diretores eleitos.

Todos os integrantes da  chapa Verde e Amarelo estão comprometidos e animados com os desafios que se apresentam. Nossas propostas estão reunidas em um documento de Propostas de Trabalho, que pode ser visto no site www.chapaverdeamarelo.com.br

Pedimos votos agora, e conclamaremos, se eleitos, a participação de todos, inclusive daqueles que venham optar nesse momento pela outra chapa.

Os desafios do setor demandarão o envolvimento e o alinhamento de todos associados. Acreditamos estar capacitados para essa missão.






Nota: Os demais vídeos podem ser acessados na página da
Chapa Verde e Amarelo II Link




VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Presidência da República

Presidência da República

Última atualização 16 JUL, 22:00

MAIS LIDAS

Base Industrial Defesa

1
11 JUL, 01:50

SEPROD visita a AGRALE