31 de Outubro, 2013 - 14:47 ( Brasília )

Aviação

Esquadrão Falcão realiza simulações de resgate


O Esquadrão Falcão (1º/8º GAV) encerrou na quarta-feira (30/10) o Exercício HELICÓPTERO TL, no Campo de Provas Brigadeiro Velloso, localizado na Serra do Cachimbo, sul do Pará. Durante 16 dias os militares treinaram o Resgate em Combate (do inglês, CSAR).
 
A cada dia, equipes compostas por pilotos, tripulantes e homens de resgate participaram de um cenário de guerra simulada. Eles tinham que realizar todo o planejamento para o resgate de combatentes que se encontravam atrás das linhas inimigas (evasores), coordenando a execução de um trabalho conjunto para o cumprimento da missão com membros fictícios de diferentes esquadrões e de outras aviações (caça, reconhecimento e ataque).
 
Durante o exercício, foi utilizado o helicóptero H-36 Caracal, recentemente implantado no esquadrão, um dos mais modernos helicópteros multiemprego do mundo. “O uso do novo helicóptero é muito vantajoso para o cumprimento da missão, pois possui inúmeros recursos que facilitam a aplicação das ferramentas de execução do CSAR, não se restringindo apenas aos voos convencionais do dia a dia”, ressalta o Capitão Rafael Boesso Silva.
 
Visando a segurança das tripulações nas simulações de CSAR, foram realizados treinamentos das ações que são executadas durante a operação como Navegação à Baixa altura (NBA), Navegação Entre Obstáculo (NOE) e emprego real de metralhadoras nas laterais dos helicópteros. Ainda foram praticadas missões de infiltração e exfiltração de combatente como rapel, mcguire (transporte de pessoal em corda), e içamento na Terra.Um dos exercícios foi o emprego real de metralhadoras na lateral do helicóptero
 
Segundo o Capitão Fábio Luis Ridão Valentim, a recuperação de pessoal amigo em território hostil atinge todos os níveis de uma campanha. “Fatores como impedir que a contraparte do conflito faça uso de um dos nossos homens como fonte de informações, o retorno ao combate de um recurso humano capacitado e o impedimento do uso de imagens de prisioneiros de guerra para atingir o psico-social de nossa nação, também fundamentam a essência do Resgate em Combate”, explica ele.
 
O Tenente-Coronel Álvaro Marcelo Alexandre Freixo, Comandante do Esquadrão, ressalta a importância de se realizar o treinamento militar fora da sede, localizada em Belém. “O Esquadrão Falcão, estando deslocado em Cachimbo, tem seus homens e mulheres testados no quesito psicológico, social e físico, pois o afastamento do seio familiar e a rotina operacional intensa, bem como o convívio diário com os companheiros, permite ao efetivo a adaptação necessária ao combate e, aos oficiais, a prática da liderança numa situação próxima ao que será encontrada num conflito”, conclui.