COBERTURA ESPECIAL - US RU OTAN - Geopolítica

04 de Abril, 2022 - 19:00 ( Brasília )

As enormes perdas do regimento de elite da Rússia enviado para invadir Kiev

Em toda guerra, há unidades que se destacam e outras que se tornam símbolos de fracasso.

Nota DefesaNet

Nota DefesaNet

Entre as chamadas Forças Especiais há uma que se considera superior a todas, em qualqquer exército no mundo, são os Paraquedistas. Em especial na Rússia as chamada Vozdushno-desantnye voyska Rossii, VDV.

Nesta Thread de Kamil Galeev @kamiikazzani  um pouco da história das VDV russsas e em especial o seu emprego como tropas políticas.

Informação liberada pelo Ministério de Defesa da Rússia confirma a morte do Major General Suhovetsky. Segundo informações o General Suhovetsky foi abatido por um sniper ucraniano.

Ver as matérias:

US-RU-OTAN - Thread a Mística dos VDV Russos (paraquedistas)

Morto por sniper, general russo é principal baixa de Putin na Ucrânia até o momento


O Editor




O 331º Regimento de Paraquedistas da Rússia, que tinha grandes esperanças de se destacar na invasão contra a Ucrânia, agora representa o desmoronamento do plano do Kremlin de torná-la uma guerra com um fim rápido. O comandante do regimento, coronel Sergei Sukharev, foi morto em território ucraniano no dia 13 de março e recebeu postumamente a medalha de Herói da Federação Russa.

Em seu funeral, o vice-ministro da Defesa, general Yuri Sadovenko, disse que o coronel "viveu para o futuro, para o futuro de nosso povo, um futuro sem nazismo".

As baixas entre as forças russas não são amplamente relatadas na Rússia, mas usando informações de fontes abertas, a BBC reconstruiu a história de seu avanço e descobriu que pelo menos 39 outros membros do 331º Regimento de elite foram mortos.

Os homens faziam parte de uma coluna que avançou para a Ucrânia a partir da Bielorrússia, liderada pelas forças aerotransportadas da Rússia, conhecidas pela sigla VDV. Seu objetivo era avançar para a capital, Kiev.

Mas a mobilização estagnou nos distritos da periferia de Kiev, como Bucha, Irpin e Hostómel, onde a crueldade da guerra logo se tornou aparente. Um vídeo encontrado pela BBC mostra veículos blindados leves VDV danificados e abandonados na área após um ataque das forças especiais ucranianas.

Os escolhidos

Os homens do Regimento 331 eram considerados os escolhidos do exército russo. Em um vídeo publicado em maio de 2021, um general diz aos soldados que eles são "os melhores dos melhores".

A unidade serviu nos Bálcãs, na Chechênia e na intervenção russa de 2014 na região de Donbass, na Ucrânia, e participava regularmente de desfiles na Praça Vermelha, em Moscou.

O 331º regimento também foi uma vitrine para a política russa de substituir soldados do serviço nacional por contraktniki, que são os profissionais que atuam sob contrato. É compreensível que os generais tenham dado a eles um papel importante na invasão.

As mortes

Mas, desde o início de março, começaram a circular relatos de mortes de membros do Regimento 331. Além disso, levou tempo até que seus corpos fossem levados para Kostroma, a comunidade onde estão sediados, 300 km a nordeste de Moscou.

Quando os funerais começaram, um debate surgiu nas redes sociais. As publicações do VKontakte, o equivalente russo do Facebook, prometiam "memória eterna" aos solados e exibiam imagens de velas.

© VK.com Traduzido, a publicação diz: "Soldado 331 PDP St S-T Duganov Sergey morreu. Choramos com você. Memória eterna do Herói da Rússia! Glória Eterna!"

Uma mulher que afirma ser a esposa do suboficial Sergei Lobachyov escreveu: "Seryozha, meu marido confiável, amoroso e atencioso. Você está agora no céu e nos protegerá de lá! Você sempre viverá em nossos corações e o fará. Será sempre um verdadeiro herói para mim!"

Embora muitas publicações pareçam aceitar as explicações infundadas do Kremlin de que a guerra está sendo travada contra supostos fascistas ucranianos, algumas também expressam ansiedade pela falta de informações confiáveis.

No memorial feito para o sargento Sergei Duganov, uma mulher escreveu: "Ninguém sabe de nada. O Regimento 331 está desaparecendo. Fotos de nossos meninos de Kostroma são publicadas quase todos os dias.

Isso me dá calafrios. O que está acontecendo? Quando isso vai acabar ?" Quando as pessoas vão parar de morrer?"

A publicação foi seguida por outra, que exclamou: "Kostroma perdeu muitos jovens, que tragédia". Outro implorou: "Deus, quantos avisos de morte mais vamos receber? Por favor, tenha misericórdia de nossos filhos. Ajude-os a sobreviver, traga-os para casa para suas esposas e mães. Eu imploro!"

© VK.com Parceira de Yanosh Leonov escreveu: "Você é um verdadeiro herói, você é o melhor pai, um marido amado e amoroso, um amigo leal e um verdadeiro lutador"

As perguntas

Falar sobre a guerra na Rússia traz grandes riscos, mas há sinais de perda de fé nos argumentos do Kremlin sobre o conflito. Na página do memorial de um sargento, uma mulher pergunta: "Por que os filhos dos parlamentares não estão na linha de frente? A maioria deles vive na Europa mesmo. Crianças comuns morrem sem uma boa razão".

Outro usa um palavrão para descrever o presidente Vladimir Putin, dizendo: "Brincando de guerra" já "enviou milhares de caras para morrer". No entanto, a maioria dos que reagem nas redes sociais mantém-se fiel à narrativa oficial.

Enquanto isso, em algumas paredes do memorial VKontakte, ucranianos publicaram comentários zombando dos mortos. "Mais de 15.000 já morreram e continuarão morrendo enquanto estiverem marchando em nossa terra. Ninguém os convidou, malditos salvadores", diz um.

"Alexander, vá embora, seu maldito nazista", responde um russo em outro post com piadas. "Nossos soldados são verdadeiros heróis. Os russos nunca mataram civis ou crianças, algo que não pode ser dito sobre os ucranianos."

No entanto, a fúria dessas trocas de farpas online não é nada comparada às experiências das forças VDV, que foram atingidas pela artilharia ucraniana, emboscadas e ataques de infantaria durante semanas de combates sangrentos.


© VK.com Mulher de Sergei Lobachyov se expressa sobre morte do soldado nas redes e afirma que ele foi "leal e amoroso"

As falhas do 331

Nessas batalhas de curta distância, eles descobriram o que as unidades VDV anteriores aprenderam no Afeganistão: que os veículos blindados projetados para serem leves o suficiente para serem transportados por aeronaves não fornecem muita proteção contra o fogo inimigo.

Das estradas fora do aeródromo de Hostómel, até uma rua lateral em Bucha, ou um entroncamento rodoviário em Irpín, vídeos feitos por ucranianos mostraram veículos queimados e abandonados pertencentes ao grupo de paraquedistas. Esses trechos de imagens feitos por celulares também falam de uma falha mais básica.

<script async src="https://platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>

Nesses bairros destruídos ao redor de Kiev, os paraquedistas russos foram superados pelos ucranianos. E como os defensores eram, em muitos casos, simplesmente unidades de defesa locais ou reservistas, isso indica uma falha básica no sistema de treinamento e recrutamento do VDV.

Os ucranianos se agarraram às perdas do 331º, afirmando com entusiasmo que o regimento foi "aniquilado". Ilya Ponamarev, ex-parlamentar russo e figura da oposição que agora vive em Kiev, diz que as pessoas veem o destino do regimento como um exemplo perfeito de carma."

Durante os combates de 2014 em Donbas, os ucranianos responsabilizaram o 331º pela morte de centenas de soldados ucranianos em Ilovaisk, em violação de um acordo de cessar-fogo.

No entanto, embora o regimento tenha sofrido consideravelmente, as alegações ucranianas de que eles foram exterminados podem ser exageradas. No entanto, é provável que o Regimento de paraquedistas tenha sido recentemente retirado da Ucrânia.

Certamente, elementos não identificados da força-tarefa VDV foram filmados no dia 29 de março, quando retornaram à Bielorrússia. O preço do fracasso aumenta diariamente. No momento da redação deste artigo, a BBC Newsnight compilou uma lista de 39 membros do Regimento de Paraquedistas mortos na Ucrânia.

Mas, como nenhuma dessas mortes é mais recente do que 13 de março, pode-se supor que outras dezenas surgirão nas próximas semanas. Os moradores de Kostroma disseram à reportagem que acreditam que cerca de 100 membros do regimento podem ter sido mortos.

E muitas famílias nunca receberão o corpo de seus entes queridos porque foram deixados para trás no campo de batalha. Mesmo uma projeção conservadora das mortes que agora conhecemos, e suas datas, sugerem que as perdas de pessoas em poucas semanas na Ucrânia já superam as dos conflitos no Afeganistão e na Chechênia.

O regimento que partiu cheio de confiança em fevereiro adquiriu o tipo de reputação que nenhum soldado jamais desejaria.

© BBC Leonid Panteleev, um soldado russo do Regimento 331 que morreu em território ucraniano. O Regimento 331 teve incursões nos Balcãs e na Chechênia

-x-

A BBC confirmou os nomes de 39 soldados mortos: Klim Abramov, Artem Arbuzov, Oleg Bedoshvili, Yurii Borisov, Ilya Chernyshev, Yuri Degtaryov, Konstantin Dobrynin, Sasha Dolkin, Sergei Duganov, Kiril Fedoseyev, Andrey Kovalevsky, Sergei Krylov, Stanislav Kutelev, Yanosh Leonov, Alexander Limonov, Sergei Lobachyo, Ivan Mamzurin, Ilya Martynenko, Lev Ovchinnikov, Maksim Ovchinnikov, Leonid Panteleyev, Oleg Patskalyev, Stanislav Petrutik, Roman Pomelov, Pavel Rudenko, Alexander Shalygin, Nikolai Smirnov, Sergei Sukharev, Maxim Svetlenko, Nikolai Symov, Daniil Titov, Maxim Trokai, Ivan Turyev, Maxim Vorotyntsev, Alexei Vyshegorodtsev, Alexei Yelimov, Artem Yergin, Ravshan Zhakbaev, Danila Zudkov.


VEJA MAIS