COBERTURA ESPECIAL - TOA - Terrestre

10 de Setembro, 2021 - 10:00 ( Brasília )

Força-Tarefa da Brigada Pára-quedista realiza exercício na Operação Amazônia


No período de 1° a 3 de setembro, a Força-Tarefa Santos Dumont (FTSD), da Brigada de Infantaria Pára-quedista (Bda Inf Pqdt), realizou a Operação Bumerangue de Selva no município de Careiro da Várzea (AM), exercício inserido no contexto da Operação Amazônia, sob coordenação do Comando Militar da Amazônia (CMA).

Seguindo a Diretriz de Planejamento da Operação, foi realizada a preparação inicial por meio de um plano de concentração e aprestamento estabelecido para todo o efetivo, ainda na Guarnição do Rio de Janeiro, durante todo o mês de agosto. Nesse período, foram realizadas instruções práticas e teóricas sobre as operações aeroterrestres, treinamento de técnicas, táticas e procedimentos utilizando os simuladores da Área de Estágios do Centro de Instrução Pára-quedista General Penha Brasil, aprestamento do material individual e coletivo e emissão de ordens aos integrantes da Força-Tarefa.

Já na Guarnição de Manaus (AM), a FTSD realizou um estágio de selva ministrado pelo Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), nos dias 28 e 29 de agosto, com o intuito de preparar a tropa para atuar no ambiente amazônico.

Nesta oportunidade, foram realizadas instruções de construção de abrigos, orientação terrestre em selva, alimentos de origem vegetal e animal e obtenção de água e fogo nas Bases de Instrução 2 (Plácido de Castro) e 5 (Ajuricaba), ambas do CIGS.

Concluída a adaptação ao ambiente de selva, foi realizado um assalto aeroterrestre, com apoio de uma aeronave militar C-105 Amazonas, na Zona de Lançamento Rodeio, localizada nas proximidades do município de Careiro da Várzea, no dia 1° de setembro.

Após o assalto, a FTSD executou uma marcha de aproximação de 20 quilômetros até o porto da cidade. Assim, foi desencadeada a conquista da localidade para o estabelecimento de uma cabeça de ponte aérea, seguida de ações subsequentes como patrulhamentos ostensivos a pé, ocupação de pontos fortes estratégicos, patrulhamentos fluviais e recebimento de suprimento por intermédio de carga aeroterrestre, tudo com a finalidade de garantir a manutenção da localidade conquistada.

Por fim, no dia 3 de setembro, foi realizada uma operação de junção, onde a Força-Tarefa da Bda Inf Pqdt foi substituída em posição pela Força-Tarefa Laguna, composta por organizações militares da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, oriunda da cidade de Cuiabá (MT).

Componentes

A FTSD é constituída pelo 26° Batalhão de Infantaria Pára-quedista (26° BI Pqdt), sendo reforçado pelas seguintes organizações militares: uma equipe da Companhia de Precursores Pára-quedista (Cia Prec Pqdt), uma equipe do Batalhão de Dobragem, Manutenção de Pára-quedas e Suprimentos pelo Ar (B DOMPSA), uma Seção de Tiro da 21ª Bateria de Artilharia Antiaérea Pára-quedista (21ª Bia AAAe Pqdt) e oficiais e praças de ligação do 8° Grupo de Artilharia de Campanha Pára-quedista (8° GAC Pqdt), 1º Esquadrão de Cavalaria Pára-quedista (1° Esqd C Pqdt) e 1ª Companhia de Engenharia de Combate Pára-quedista (1ª Cia E Cmb Pqdt).

Centro de Instrução Pára-quedista capacita 30 militares em salto livre operacional


Foi realizada, no município de Resende (RJ), no dia 6 de setembro, a cerimônia de brevetação do segundo turno do Treinamento Específico de Salto Livre Operacional (TESLOp), ministrado pelo Centro de Instrução Pára-quedista General Penha Brasil – Escola de Pára-quedistas 1945.

Foram brevetados 30 novos saltadores livres, entre cabos e soldados: 28 militares do Comando de Operações Especiais, um militar da Brigada de Infantaria Pára-quedista e um militar da Força Aérea Brasileira.

Durante o treinamento, o saltador livre aprende noções sumárias dos equipamentos utilizados, técnicas de queda livre, além de técnicas de navegação com paraquedas. Vale destacar que, durante o turno, ocorre o salto livre operacional, ou seja, com o paraquedista saltando armado e equipado, possibilitando o futuro adestramento nas suas unidades paraquedistas de origem.

Crédito: Centro de Instrução Pára-quedista General Penha Brasil

VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Relatório Otálvora

Relatório Otálvora

Última atualização 04 DEZ, 22:30

MAIS LIDAS

TOA