EMBRAER Divulga os Ressultados do 3º Trimestre 2023

Nota DefesaNet
As duas apresentações em formato PDF estão publicadas mais abaixo
O editor

DESTAQUES

– A Embraer entregou 43 jatos no terceiro trimestre, sendo 15 comerciais e 28 executivos (19 leves e 9 médios). O número total de entregas aumentou em 30% comparado ao 3T22. No acumulado de 2023, as entregas saltaram de 79 para 105 aeronaves, um aumento de 33%.

– A receita atingiu R$ 6,296 bilhões no trimestre (29% superior ao 3T22 e em linha com o 2T23). No acumulado de 2023, a receita apresentou crescimento de 26% versus o mesmo período do ano anterior. Todas as unidades de negócios tiveram crescimento de receita e de volumes no acumulado do ano e na comparação do 3T23 com o 3T22. O principal destaque foi a Aviação Comercial, com crescimento de 57% no 3T23 versus 3T22 e de 48% no acumulado de 2023.

– O EBIT ajustado foi de 7,9%, ante 5,3% no 3T22, devido a maiores volumes em todas as unidades de negócios.

– A carteira de pedidos firmes (backlog) encerrou o 3T23 em US$ 17,8 bilhões, o maior nível em um ano, impulsionado pelo aumento das vendas na Aviação Comercial. A carteira de pedidos da Aviação Comercial passou de US$ 8,0 bilhões para US$ 8,6 bilhões em relação ao 2T23, com 42 aeronaves vendidas em 2023. O backlog de Serviços & Suporte atingiu US$ 2,8 bilhões no trimestre, o maior volume já registrado na unidade de negócios. Já na Aviação Executiva, o backlog de US$ 4,3 bilhões destaca que a demanda continua sustentada.

– O fluxo de caixa livre ajustado sem EVE (FCF) foi de R$ 232,9 milhões no 3T23, apontando para uma forte geração de caixa no 4T23 devido ao maior volume de entregas.

– O plano de gestão de dívidas foi concluído com sucesso, estendendo o prazo médio de vencimento dos empréstimos para 4,8 anos.

– Não há alteração no guidance para 2023 tanto para entregas quanto para resultados financeiros.

São Paulo, Brasil, 6 de novembro de 2023 – (B3: EMBR3, NYSE: ERJ). As informações operacionais e financeiras da Companhia, exceto quando indicado de outra forma, são apresentadas de forma consolidada de acordo com as normas contábeis IFRS (International Financial Reporting Standards) e em Reais. Os dados financeiros apresentados neste documento para os trimestres findos em 30 de setembro de 2023 (3T23), 30 de setembro 2022 (3T22) e 30 de junho de 2023 (2T23) são derivados das demonstrações financeiras não auditadas, exceto dados financeiros anuais e onde declarado de outra forma.

RECEITA E MARGEM BRUTA

A receita consolidada de R$ 6,296 bilhões no 3T23 representou um aumento de 29% comparado ao mesmo período de 2022, devido aos maiores volumes na Aviação Comercial que teve 57% de aumento. A unidade de Defesa & Segurança cresceu 30%, enquanto a Aviação Executiva e Serviços & Suporte apresentaram expansões de 18% e 15%, respectivamente.

Comparando janeiro a setembro de 2022 com o mesmo período de 2023, a receita total aumentou 26%. A Aviação Comercial teve o aumento mais expressivo, com 48% de variação positiva, seguida pela Aviação Executiva com 24%, Serviços & Suporte, com 14%, e Defesa & Segurança, que cresceu 13%.

Aviação Comercial registrou crescimento de receita de 57% comparado com o 3T22, chegando a R$ 2,088 bilhões de faturamento. A alta é explicada principalmente pelo maior número de entregas, com aumento da margem bruta de 5,4% no 3T22 para 6,6% no 3T23.

Aviação Executiva apresentou receita de R$ 1,669 bilhões, valor 18% superior ao 3T22, com aumento de volumes e do mix de entregas. Como resultado, a margem bruta aumentou de 19,7% para 21,8% na comparação do 3T23 com 3T22.

Defesa & Segurança teve receita de R$ 651 milhões, 30% superior na comparação anual. A margem bruta apresentada foi de 16,2% no 3T22, versus 26,0% no 3T23, devido a revisão de base de contratos atuais e do progresso físico, de acordo com a evolução do percentual de conclusão (método contábil POC – percentage of completion).

Serviços & Suporte reportou receita de R$ 1,786 bilhões, registrando crescimento consecutivo por dois trimestres, e um aumento de 15% em bases anuais. A margem bruta apresentada foi de 24,8%, inferior aos 30,9% reportados no 3T22 devido ao mix diferente de serviços prestados.

EBIT AJUSTADO

Excluindo os itens especiais acima, o EBIT ajustado do 3T23 foi de R$ 496,6 milhões e a margem EBIT ajustada foi de 7,9%. Em uma base anual, o EBIT Ajustado do 3T23 aumentou devido aos maiores volumes na Aviação Comercial e Executiva e ao melhor desempenho em Defesa & Segurança. O EBIT Ajustado tende a ter um forte desempenho no 4T23 devido ao maior nível de entregas.

LUCRO (PREJUÍZO) LÍQUIDO

O lucro (prejuízo) líquido atribuível aos acionistas da Embraer e o lucro (prejuízo) por ADS no 3T23 foi de R$ 304,5 milhões e R$ 0,4145 por ação, respectivamente, em comparação com R$ (160,4) milhões em prejuízo líquido atribuível à Embraer acionistas e R$ (0,2184) de prejuízo por ADS no 3T22. Excluindo os efeitos extraordinários, o lucro líquido ajustado foi de R$ 167,1 milhões, comparado a R$ 124,3 milhões no 3T22, representando um aumento de 34%.

GESTÃO DE DÍVIDAS E PASSIVOS

A companhia concluiu com sucesso sua gestão de dívidas, (que colocou a empresa numa posição sem qualquer dívida relevante até meados de 2027) e aumentando o prazo médio de vencimento dos empréstimos para 4,8 anos. O custo dos empréstimos denominados em dólares foi de 6,33% a.a., enquanto o custo dos empréstimos denominados em reais foi de 10,85% a.a. no 3T23.

A Embraer encerrou o trimestre com uma posição de dívida líquida de R$ 6,797 bilhões (sem EVE), ante R$ 8,677 bilhões no comparativo anual e R$ 7,034 bilhões no trimestre anterior.

FLUXO DE CAIXA LIVRE

O fluxo de caixa livre ajustado para o segundo trimestre de 2023 foi de R$ 232,9 milhões, apontando uma tendência positiva para 2023, mesmo com maiores níveis de estoques devido ao maior volume de entregas no 4T.

CAPEX

As adições líquidas ao imobilizado total no 3T23 foram de R$ 269,1 milhões, contra R$ 174,8 milhões reportadas no 3T22. Do total de adições do imobilizado no 3T23, o CAPEX foi de R$ 147,4 milhões, e as adições de peças sobressalentes do programa pool representaram R$ 138,2 milhões, que foram parcialmente compensadas por R$ (16,5) milhões de receitas da venda de imobilizado. O aumento do imobilizado no 3T23 versus 3T22 está relacionado à expansão dos serviços de treinamento e manutenção. No 3T23, os custos relacionados ao desenvolvimento da EVE passaram a ser capitalizados como ativos intangíveis à medida que o programa atingiu maturidade suficiente.

CAPITAL DE GIRO

Os estoques de trabalhos em andamento (WIP) tiveram ligeiro aumento em relação ao trimestre anterior, para atender ao maior número de entregas no 4T23, enquanto o fluxo de caixa livre foi positivo no trimestre.

PEDIDOS FIRMES EM CARTEIRA – BACKLOG

A carteira de pedidos firmes encerrou o 3T23 em US$ 17,8 bilhões, uma alta de US$ 500 milhões em relação ao segundo trimestre. Este volume representa o maior nível de backlog da empresa em um ano, impulsionado por maiores vendas na Aviação Comercial, enquanto Defesa & Segurança e Aviação Executiva permaneceram estáveis. Em Serviços & Suporte, o backlog atingiu US$ 2,8 bilhões no trimestre, o valor mais alto já registrado na unidade de negócios.

A Embraer entregou 43 jatos no 3T23, uma alta de 30% em comparação com 3T22, quando foram entregues 33 aeronaves. Na Aviação Comercial, as entregas saltaram de 10 para 15, um aumento de 50% em relação ao mesmo período de 2022. Na Aviação Executiva, os números também foram positivos, com 28 jatos executivos entregues (19 leves e 9 médios), uma alta de 22% na comparação com o 3T22.

A companhia acumula um total de 105 aeronaves entregues em 2023 (39 comerciais e 66 executivas), um aumento de 33% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram entregues 79 jatos (27 comerciais e 52 executivos). Pelo segundo trimestre consecutivo, a Embraer apresentou crescimento de entregas de dois dígitos: no 2T23, as entregas da companhia cresceram 47% em relação ao 2T22.

AVIAÇÃO COMERCIAL

No 3T23, a Embraer entregou 15 jatos comerciais.

O E195-E2 da Embraer, o maior jato da família E-Jet, recebeu a Certificação de Tipo da Administração de Aviação Civil da China (CAAC na sigla em inglês). Isso permitirá que a empresa acesse o mercado chinês com a aeronave e explore suas oportunidades significativas, complementando o ARJ21 e C919, aviões já fabricados no país.

A SkyWest assinou um pedido firme de 19 E175, para operação na malha da United Airlines. Os novos jatos serão integrados à frota já existente de 90 E175, já operados pela SkyWest para a companhia aérea. As aeronaves de 70 assentos serão entregues em uma configuração de três classes. As entregas começarão no quarto trimestre de 2024. O negócio faz parte da carteira de pedidos firmes do 3T23.

A Air Peace, a maior companhia aérea da África Ocidental, anunciou um pedido firme para cinco jatos Embraer E175. As entregas dos novos jatos de 88 assentos estão previstas para ocorrer a partir de 2024. Os jatos irão complementar a frota da companhia nigeriana, que já opera o E195-E2.

A Embraer anunciou em setembro a assinatura de um Memorando de Entendimento (MoU) com a American Airlines, para que a companhia aérea dos Estados Unidos integre o Grupo Consultivo do Projeto Energia. Com o MoU, as empresas trabalharão juntas para definir e estabelecer requisitos do mundo real para uma aviação sustentável, livre de emissões e comercialmente viável.

AVIAÇÃO EXECUTIVA

A aviação executiva entregou 19 jatos leves e 9 jatos médios, totalizando 28 aeronaves no 3T23, um aumento de 22% em relação ao mesmo período de 2022.

A unidade de negócios continua em um bom momento de vendas, com demanda em todo o seu portfólio de produtos e uma forte aceitação dos clientes tanto no retail quanto para frotas. Em agosto, o Phenom 300E tornou-se o jato executivo mais voado nos Estados Unidos (Fonte: Federal Aviation Administration).

Na feira National Business Aviation Association (NBAA na sigla em inglês), a Embraer anunciou o Phenom 100EX, a mais nova evolução da empresa que oferece conforto de cabine incomparável, versatilidade operacional e recursos de aviônica aprimorados e centrados no piloto, com o objetivo de proporcionar a melhor experiência de voo.

Além disso, o recurso autothrottle foi anunciado para o Phenom 300E e, em linha com o compromisso da Embraer com um futuro mais sustentável, a Embraer anunciou em outubro que testou com sucesso o Phenom 300E e o Praetor 600 com combustível de aviação sustentável 100% puro (SAF 100%, na sigla em inglês). Os testes foram realizados nas instalações da Embraer em Melbourne (Flórida), com um motor operando com 100% de SAF. O SAF foi fornecido pela World Fuel. Os testes ofereceram informações significativas da performance dos sistemas com o combustível.

DEFESA & SEGURANÇA

Mais três países europeus, República Tcheca, Áustria e Holanda, selecionaram o C-390 Millennium, consolidando ainda mais nossa plataforma multimissão como solução preferencial nos países da OTAN e aliados. As negociações ainda não foram incorporadas ao backlog da Embraer Defesa & Segurança, o que representa um potencial significativo de crescimento para os próximos trimestres.

Em setembro, o KC-390 Millennium completou 10 mil horas de operação com a Força Aérea Brasileira (FAB). A atual frota de 6 aeronaves já em operação, de um total de 19 encomendadas pela FAB, tem demonstrado uma produtividade excepcional: disponibilidade operacional de 80% e taxa de conclusão de missão acima de 99%.

A Embraer e o Exército Brasileiro concluíram com sucesso o primeiro teste do radar M200 Vigilante, incluindo o deslocamento do equipamento na aeronave KC-390 Millenium da FAB.

SERVIÇOS & SUPORTE

A Embraer estendeu o contrato de Suporte Logístico Integrado (ILS na sigla em inglês) para a frota da Força Aérea Brasileira de 24 ERJ-135, Legacy 600 e AEW. A Embraer também assinou contrato com a Affinity SOIU/AUVP para 35 meses de análise de engenharia da utilização da aeronave Phenom 100.

A Executive Jet Services, em parceria com a FlightSafety, implantou o terceiro simulador de voo completo para os Praetors, com sede em Orlando, Flórida.

Foram assinados contratos novos ou renovados no Programa Pool com Marathon Airlines (Grécia), Sky High (República Dominicana), Royal Jordanian Airlines (Jordânia) e Scoot (Singapura), os dois últimos a serem incluídos na carteira de pedidos da Embraer

Compartilhar:

Leia também

Inscreva-se na nossa newsletter