28 de Setembro, 2020 - 10:10 ( Brasília )

Aviação

Comando Aéreo Nordeste participa de reuniões com autoridades civis da região

A Organização Militar representa o Comando da Aeronáutica (COMAER) em oito estados da Região Nordeste

Tenente Felipe Bueno, Tenente Flávia E Capitão Oliveira Lima
 

Durante as últimas semanas, o Comando Aéreo Nordeste (II COMAR) tem participado de reuniões com autoridades civis de diferentes estados da Região. O Comandante do II COMAR, Brigadeiro do Ar Cesar Faria Guimarães, esteve presente em Natal (RN), Fortaleza (CE), Recife (PE) e João Pessoa (PB), onde os compromissos visaram a restaurar a referência e a representatividade do Comando da Aeronáutica (COMAER) a nível regional, conforme prevê a Diretriz para o Aprimoramento da Reestruturação do Comando da Aeronáutica – Projeto Piloto (DCA 19-5/2020).

Nas visitas, foram realizadas audiências com Governadores, Vice-Governadores, Secretários de estados, Parlamentares, Prefeitos e membros do Tribunal de Justiça. O Comandante do II COMAR, Brigadeiro Cesar, falou sobre a importância da relação entre órgãos governamentais e o II COMAR. “Essa representação é fundamental. As visitas são oportunidades para os estados conhecerem esse trabalho de reativação e a chance de nos colocamos à disposição para estreitarmos o relacionamento e prestarmos algum apoio”, afirmou.

Aprimoramento da Reestruturação

A DCA 19-5/2020 mantém as premissas originais estabelecidas na Reestruturação do COMAER iniciada no ano de 2016: economicidade, concentração de atividades afins, definição de processos, padronização de trabalhos e foco na atividade fim da Força (Preparo e Emprego).

O II COMAR, assim como o Comando Aéreo Leste (III COMAR), no Rio de Janeiro, compõem o Projeto Piloto da Fase 1 da implantação do processo de aprimoramento da reestruturação. Para tanto, os Comandos Aéreos Regionais (COMAR) e as Bases Aéreas foram remodelados com novas estruturas organizacionais. O processo não implicou aumento de despesas e nem a criação de novos Órgãos, bastando, somente, ocorrer a reativação das Bases Aéreas e dos COMAR.

A estrutura do novo COMAR também é reduzida em relação à anterior, possuindo, em média, 45 (quarenta e cinco) militares em seu efetivo, enquanto o antigo COMAR contava com a média de 500 (quinhentos) militares. O novo COMAR, além da referência e representatividade regionais do COMAER, focará na supervisão da gestão das Organizações Militares que estiverem sob sua jurisdição, por meio do acompanhamento constante de indicadores.

Na prática, os Comandos Aéreos e as Bases Aéreas absorvem as atribuições administrativas e institucionais dos Comandantes das Guarnições de Aeronáutica e das Organizações Militares (OM) Operacionais (Alas). Já a maioria dos Grupamentos de Apoio (GAP) migram suas estruturas regimentais e efetivos para as Bases Aéreas e Comandos Aéreos.

Após os ensinamentos, experiências, conclusões e resultados adquiridos e vivenciados durante o Projeto Piloto (Fase 1), a Fase 2 abarcará a implantação dos seis demais Comandos Aéreos (Planalto, Amazônico, Norte, Sul, Sudeste e Oeste), com término previsto até o final de 2021.

Fotos: Soldado Moura/CINDACTA III, Cabo Alexandrino/II COMAR, Governo do Rio Grande do Norte, Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Governo do Ceará, Governo da Paraíba e Fecomercio-PB.