15 de Setembro, 2020 - 10:10 ( Brasília )

Aviação

Esquadrão Pelicano e PARA-SAR realizam treinamento de resgate na água

Manobra ocorre na Base Aérea de Santos, no litoral de São Paulo, e envolve mais de 40 militares, além da equipe de apoio

Tenente Cristiane E Major Monteiro

O Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico atua em uma área de 22 milhões de Km², grande parte sobre o Oceano Atlântico e sobre os rios da Amazônia. Com o objetivo de treinar a pronta-resposta em casos de acionamento para resgate em meio aquático, o Esquadrão Pelicano (2º/10º GAV) e o Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (PARA-SAR), sediados na Ala 5 - Base Aérea de Campo Grande (MS), realizam, de forma conjunta, o Exercício Técnico (EXETEC) Içamento na Água. Sob a coordenação do Comando de Preparo (COMPREP), o adestramento ocorre, de 10 a 19 de setembro, na Base Aérea de Santos (BAST), no litoral paulista.

Visando identificar as potencialidades e as necessidades de aperfeiçoamento no preparo da Ação de Busca e Salvamento na água, o treinamento ocorre no Canal do Estuário de Santos-Guarujá, através de içamentos com equipamento guincho do helicóptero H-60L Black Hawk. Mais de 40 militares participam da instrução, contemplando pilotos, operadores de equipamentos especiais e homens de resgate, além dos militares que atuam como vítimas, possibilitando uma condição mais próxima do real. Além disso, apoiam as equipes do adestramento militares da Base Aérea de Santos (BAST) e do Grupamento de Apoio de São Paulo (GAP-SP).

Durante o Exercício, antes e depois das práticas de resgate, inclusive com uso de maca, são realizadas reuniões para aprimoramento do conhecimento. A Operadora de Equipamentos Especiais, Sargento Raphaela da Costa Rocha, faz lançamento de fumígenos (acessório de sinalização), opera o guincho e também é transportada como vítima. “A capacitação é essencial. O nosso preparo é para salvar vidas. Diversas vezes, somos a esperança de alguém e por isso o preparo é tão importante”, disse.

Adaptação

De acordo com o Chefe da Seção de Operações do 2°/10º GAV, Major Aviador Tiago Gomes de Sales, o Exercício Técnico Pelicano ocorre ao término do processo de implantação do novo vetor H-60L Black Hawk no Esquadrão. Segundo ele, é necessária a retomada das capacidades operacionais para a total prestação de serviço de Busca e Salvamento. “Uma destas capacidades é o resgate de vítimas em meio aquático por meio do içamento utilizando o guincho da aeronave. Essa operação tem o intuito de realizar a manutenção operacional dos tripulantes, buscando o adestramento necessário para uma operação segura e eficiente”, afirmou.

O Sargento Luigi Schacker, homem de resgate do Esquadrão Pantera (5°/8° GAV), com dez anos de atuação na área, também participa do Exercício, mas como auxiliar na manutenção operacional dos resgateiros do Esquadrão Pelicano nos procedimentos de içamento na água. De acordo com o militar, após a unificação dos procedimentos, haverá um manual. “Um ponto importante deste treinamento é que, após a conclusão, será elaborado um manual de procedimentos padronizando as ações nos três Esquadrões da FAB que operam os helicópteros H-60L Black Hawk (5°/8° GAV, 7°/8° GAV e 2°/10° GAV)”, disse.

O acionamento para uma missão de Busca e Salvamento pode ocorrer de duas formas: via ordem emitida pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) ou em atendimento aos procedimentos previstos no Plano de Emergência Aeronáutica em Aeródromo (PEAA).

Preparativos

Antes do início do EXETEC Içamento na Água, o Comandante do Comando Aéreo Leste (III COMAR), Major-Brigadeiro do Ar Luiz Guilherme Silveira de Medeiros, acompanhado de comitiva, visitou as instalações da Base Aérea de Santos, com o objetivo de verificar os preparativos finais para a execução do adestramento.

Fotos: Tenente Cristiane e Sargento Santiago / CECOMSAER; Floriano Peixoto e Ricardo Borges / Albatroz Brasil Drones