COBERTURA ESPECIAL - TOA

17 de Abril, 2019 - 00:50 ( Brasília )

Estrada de Ferro Carajás movimentou 207 Milhões toneladas de minério



A Estrada de Ferro Carajás (EFC) movimentou 207 milhões de toneladas de minério de ferro e carga geral em 2018. O minério de ferro foi o principal produto transportado pela ferrovia, totalizando 203 milhões de toneladas no período.

O trem de passageiros transportou mais de 310 mil pessoas ano passado. Durante as viagens, foram realizadas ações sociais voltadas à saúde preventiva, cultura, educação ambiental, geração de trabalho e renda, segurança ferroviária e campanhas educativas. As atividades foram desenvolvidas no Vagão Social, um carro adaptado para oficinas e atendimentos.

No Terminal Marítimo de Ponta da Madeira (TMPM) foram embarcadas 197 milhões de toneladas de produtos em 2018. Deste total, 196 milhões de toneladas correspondem ao embarque de minério de ferro. A usina de Pelotização retomou suas atividades em 2018 e produziu um total de 950 mil toneladas no ano.

Para suportar as operações locais, a Vale desembolsou em 2018 no Maranhão entre custeio e investimento um total de R$ 5,3 bilhões. Desse montante, R$ 189,6 milhões foram destinados à área socioambiental no período.

A presença da Vale no estado também contribuiu para o desenvolvimento da economia local. Ano passado foram investidos R$ 4,8 bilhões em compras para operações e projetos da empresa, sendo R$ 2,6 bilhões somente em compras locais (cerca de 55%). As operações da empresa no estado geraram 9.250 empregos, entre próprios e terceiros permanentes.
 

Matéria Relacionada

Armando Brasil - DEFESA, INFRAESTRUTURA E BNDES Link

Artigo mostra  o emprego da Estrada de Ferro Carajás (EFC) no transporte de equipamento e unidades militares.




Na Operação Grão-Pará III, o 24º BIS transportou sua tropa e suas viaturas pela Estrada de Ferro Carajás, entre Marabá- PA e São Luís- MA. O percurso foi de aprox 850 Km e tornou-se um excelente treinamento logístico. Foto - @gen_paulosergio Comando Militar do Norte


VEJA MAIS