COBERTURA ESPECIAL - TOA - Defesa

10 de Maio, 2017 - 12:20 ( Brasília )

Parceria entre Brasil e Colômbia busca fortalecer o combate aos crimes de fronteira


Roberto Cordeiro

Brasil e Colômbia buscam unificar as ações no combate aos crimes transfronteiriços. Esta foi a tônica do segundo encontro dos ministros da Defesa do Brasil, Raul Jungmann, e da Colômbia, Luís Carlos Villegas Echeverri, no Comando Geral das Forças Armadas, na capital colombiana.

“Recordo que no primeiro encontro citei com ênfase a palavra confiança. E tenho certeza que com confiança iremos longe no combate aos principais problemas que verificamos hoje nossa fronteira”, destacou Jungmann.

O ministro colombiano informou durante o encontro que até o fim do mês as FARC concluirão o processo de desarmamento. Villegas propôs ampliar parceria também na indústria de defesa e o treinamento com as Forças Aéreas dos dois países para o combate aos voos clandestinos. Sobre este assunto, o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, informou que em julho haverá treinamento envolvendo as Forças da Colômbia e do Equador.

Neste sentido, o ministro Jungmann defendeu no encontro a participação de outros países vizinhos, como por exemplo, o Peru. Segundo o ministro brasileiro, as ações conjuntas dos governos sul-americanos permitirão o combate aos crimes transfronteiriços.



“Estamos atentos ao monitoramento da entrega de armas por parte das FARC; o combate e o patrulhamento conjunto do narcotráfico na fronteira; e ações de combate aos grupos organizados no tráfego aéreo e marítimo na região fronteiriça”, destacou.

Durante o encontro os dois ministros se propuseram a manter uma linha de comunicação direta entre os comandos das Forças Armadas e o compartilhamento das redes de inteligência. Deste modo, Jungmann e Villegas acreditam no fortalecimento com vistas ao combate as quadrilhas criminosas.

O ministro colombiano afirmou que tem total apoio do presidente Juan Manuel Santos nesta parceria. O ministro chefe do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, contou que desta ação integrada permitirá ao Brasil o combate as quadrilhas que atualmente tentam se internacionalizar.

“A integração é o ponto mais importante para que tenhamos êxito no combate ao crime organizado”, disse. Jungmann e Etchegoyen afirmaram que o presidente Michel temer, desde o primeiro momento,  vem dando integral apoio no combate aos grupos criminosos.

O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), almirante Ademir Sobrinho, informou também que o governo brasileiro dará apoio necessário para que os militares da Colômbia possam conhecer o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira (SISFRON). Além disso, segundo o almirante Ademir, 18 militares brasileiros estarão neste país entre julho e outubro auxiliando no processo de desminagem.

Indústria de defesa

O secretário de Produto de Defesa (Seprod), Flávio Basílio, defendeu também maior integração dos dois países na indústria de defesa. Basílio contou que o BNDES dispõe de uma linha de crédito especial para financiar governos que desejam investir no setor. De acordo com o secretário, as linhas de crédito são as melhores do mercado.

O secretário executivo do Ministério da Justiça, José Levy, que integrou a comitiva brasileira, contou também que Brasil e Colômbia estão desenvolvendo parceria na área de inteligência. Dentro das próximas semanas policiais colombianos irão a São Paulo para treinamento na sede da Polícia Federal.

Estiveram na comitiva o comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira; o comandante Militar da Amazônia (CMA), general Geraldo Miotto;  o secretário Nacional de Segurança Pública, general Carlos Alberto Santos Cruz; e o embaixador Nelson Tabajara, diretor para Assuntos de Defesa e Segurança do Ministério das Relações Exteriores. O próximo encontro está previsto para setembro, no Brasil.

Fotos: Cristian Suárez Rivera


Arigo relacionado:

Segurança nas fronteiras é tema de reunião entre Brasil e Colômbia [Link]

 

 


VEJA MAIS