11 de Dezembro, 2013 - 09:20 ( Brasília )

Tecnologia

Helibras doa material para estudo científico

Peças foram destinadas ao Instituto de Engenharia, Matemática e Computação da UNIFEI

No mês de novembro, a diretoria de Inovação da Helibras doou duas novas peças para estudos e pesquisas dos cursos de engenharia, matemática e computação da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI). Elas ficarão disponíveis para o desenvolvimento de projetos tecnológicos dos alunos do instituto.
 
Um dos materiais doados foi uma placa de colmeia para apoiar o desenvolvimento de um túnel de vento. A peça é fundamental na construção do equipamento, pois reduz a turbulência do ar tornando mais precisos os resultados dos ensaios. O túnel foi criado por um estudante e um professor do Instituto de Engenharia Mecânica da UNIFEI.
 
A segunda peça, uma capota de Esquilo, vai fazer parte de um simulador de voo já existente na Universidade, no Laboratório de Multimídia. O material foi recebido pelo Instituto de Matemática e Computação, responsável por desenvolver o software do simulador.
 
As doações fazem parte do processo de cooperação tecnológica e convênio da Helibras e UNIFEI para pesquisa e desenvolvimento de um Centro Tecnológico de Helicópteros com capacidade de trabalhar no programa de uma aeronave nacional de asas rotativas.

A Helibras é a única fabricante brasileira de helicópteros e completa, em 2013, 35 anos de atividades. Desde a sua fundação, em 1978, a empresa já entregou mais de 700 helicópteros no Brasil, sendo 70% do modelo Esquilo, fabricado em Itajubá (MG). Desde 2012, está produzindo o modelo EC725 (militar), tendo construído uma nova linha de montagem e ampliado todas as suas instalações para esse novo programa.

A Helibras é associada ao Grupo Eurocopter, maior fornecedor mundial do setor, controlado pela EADS - European Aeronautic Defence and Space Company. Com participação superior a 50% na frota brasileira de helicópteros a turbina, a Helibras mantém instalações em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Sua fábrica, que emprega mais de 800 profissionais e tem capacidade de produção de 36 aeronaves por ano, produz e customiza diversos modelos que atendem aos segmentos civil, governamental e militar. Em 2012, a empresa registrou faturamento total de R$ 351,586 milhões.