COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

01 de Novembro, 2012 - 11:07 ( Brasília )

Cade aprova parceria entre Embraer e Telebrás para construção de satélite

Satélite geoestacionário será usado principalmente em telecomunicações; acordo cria a empresa Visiona, que será responsável pelo projeto

Fábio Amato

 

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira (31) a parceria entre Embraer e Telebrás na criação de empresa Visiona Tecnologia Espacial, que será responsável pela compra e desenvolvimento do satélite geoestacionário brasileiro.

Pelo acordo, a Embraer tem 51% da empresa, enquanto a Telebrás, que representa o governo na parceria, tem 49%. A Telebrás será a operadora do satélite.

O custo do novo satélite é estimado em cerca de R$ 700 milhões. O governo federal vai financiar a sua compra, por meio da Telebrás. A previsão é que ele entre em órbita em 2014.

O satélite geoestacionário gira na mesma velocidade da Terra e, por isso, fica "estacionado" sobre um mesmo ponto do planeta. Ele é utilizado em telecomunicação, meteorologia e, no caso do satélite público, um dos principais usos será nas comunicações militares.

O governo pretende ainda utilizar o equipamento para auxiliar na massificação da internet banda larga no país – o satélite é indicado para levar internet em áreas isoladas, localizadas principalmente na região Norte.

A intenção do governo era que o satélite geoestacionário fosse desenvolvido pela Visiona. Porém, como a indústria nacional não domina toda a tecnologia de construção desse satélite, a empresa terá que contratar uma terceira para fabricá-lo. O contrato, no entanto, vai prever a transferência de tecnologia ao país.