COBERTURA ESPECIAL - Panorama Haiti - Defesa

15 de Agosto, 2014 - 10:30 ( Brasília )

Fuzileiros no Haiti contém hostilidades entre populações das comunidades de Pélé e Simon


Patrulhas do Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais do Batalhão Brasileiro (BRABAT 20) no Haiti contiveram um forte recrudescimento de tensões entre as populações das comunidades de Simon e de Pélé. Os militares tiveram de intervir em função das hostilidades ocasionadas pela ação sorrateira de gangues que tentam desestabilizar o local. A operação ocorreu entre os últimos dias 4 e 8 de agosto.

As duas comunidades são contíguas, separadas apenas por algumas casas desabitadas, cujo nome popular é “Faixa de Gaza”. As rivalidades entre os criminosos das duas localidades é antiga e, não raro, descambam para confrontos. As agressões, muitas vezes, geram revolta entre os moradores locais, o que aumenta o risco de hostilidades generalizadas – como a apartada pelos fuzileiros brasileiros.

Ao longo da semana passada, algumas agressões armadas ocorreram e foram atribuídas aos rivais, provocando fortes protestos da população, com tentativas de deslocamento até a outra região para acertos de contas. A fim de evitar choques entre os grupos, as tropas do BRABAT 20 foram empregadas para controlar a população, reforçar o patrulhamento, e foram estabelecidos diversos checkpoints adicionais desde o dia 7 de agosto.

Com a intensificação do patrulhamento e atuação do comando nos momentos críticos, a situação foi controlada e foram criadas condições adequadas para que a Polícia Nacional Haitiana pudesse cumprir o seu papel legal, com a prisão de alguns suspeitos.