COBERTURA ESPECIAL - OTAN - Geopolítica

22 de Março, 2017 - 11:55 ( Brasília )

EUA voltam atrás e propõem novas datas para conversas da OTAN


O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, propôs nesta terça-feira novas datas para um encontro da OTAN, informou o Departamento de Estado, após ele inicialmente decidir não comparecer às conversas e rejeitar os esforços da aliança para remarcá-las.

A decisão de Tillerson de não participar de seu primeiro encontro com ministros das Relações Exteriores da OTAN, marcado para 5 e 6 de abril em Bruxelas, irritou aliados europeus, que se preocuparam que isto levantaria novas dúvidas sobre o comprometimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com a aliança.

A Reuters informou com exclusividade na segunda-feira que Tillerson permanecerá nos Estados Unidos para participar de conversas planejadas em 6 e 7 de abril entre Trump e o presidente da China, Xi Jinping, na Flórida. Autoridades norte-americanas também disseram que Tillerson irá visitar a Rússia posteriormente em abril.

A aliança ofereceu mudança de datas do encontro para que Tillerson pudesse participar das conversas e do encontro com Xi, mas o Departamento de Estado norte-americano rejeitou a ideia, disseram na segunda-feira uma ex-autoridade norte-americana e um ex-diplomata da OTAN, ambos sob condição de anonimato.

Nesta terça-feira, o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner, disse que o departamento irá organizar novas datas para um encontro no qual Tillerson possa participar, destacando que tal decisão terá que ser tomada em consenso entre os 28 membros da OTAN.

“Certamente apreciamos os esforços para acomodar o secretário Tillerson”, disse Toner a repórteres. “Oferecemos datas alternativas para que o secretário possa participar”.

Ainda não estava claro se a reunião da OTAN seria remarcada para acomodar Tillerson.

Trump irá participar de cúpula da OTAN em Bruxelas em 25 de maio, diz Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, irá comparecer à reunião de cúpula de líderes de países da OTAN em 25 de maio em Bruxelas, informou a Casa Branca na terça-feira.

A presença de Trump dará ao presidente dos EUA a oportunidade de fazer pressão em sua campanha para que os membros da OTAN ampliem seus gastos com defesa para ajudar a dividir os custos da aliança militar.

Trump tem deixado nervosos aliados-chave dos EUA na Europa com suas demandas por aumentos individuais nos gastos com defesa e por suas conversas sobre estabelecer uma aliança com a Rússia para enfrentar militantes do Estado Islâmico.

"O presidente está animado para o encontro com seus colegas da OTAN para reafirmar nosso forte compromisso com a OTAN, e para discutir questões fundamentais para a aliança, especialmente o compartilhamento de responsabilidades dos aliados e o papel da OTAN na luta contra o terrorismo", disse a Casa Branca em comunicado.

Trump receberá o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, na Casa Branca em 12 de abril para discutir "como fortalecer a aliança para lidar os desafios à segurança nacional e internacional", acrescentou o comunicado.


VEJA MAIS