COBERTURA ESPECIAL - KC-390 - Aviação

29 de Abril, 2016 - 09:30 ( Brasília )

Flight Test Campaign - KC-390 faz abertura de portas em voo

Aeronave militar é o maior avião já fabricado no país

Henrique Macedo
meon.com.br


O cargueiro KC-390 alcançou uma nova etapa na campanha de ensaios em voo. A aeronave fez testes com a abertura, em voo, da porta de carga, rampa traseira e porta de paraquedista. Um vídeo divulgado nas redes sociais pela Embraer mostra as operações em voo.

Produzido pela Embraer com investimentos da FAB (Força Aérea Brasileira), o KC-390 é fruto de um acordo de US$ 2 bilhões fechado em 2009. Em maio de 2014, com o projeto já concluído, a FAB selou a parceria e encomendou 28 aeronaves, em um contrato de US$ 7,2 bilhões. O cargueiro KC-390 vai substituir os aviões Hercules C130 usados pela FAB.

A linha de produção em série do cargueiro deve iniciar no próximo ano¹.

Iniciada efetivamente em outubro de 2015, a campanha de testes em voo envolve mais de 1.110 profissionais responsáveis por avaliar a performance, desempenho e a robustez do maior avião já produzido no Brasil. A cada voo, o cargueiro é avaliado em vários tipos de situação, com novas altitudes, velocidades e configurações. Os testes deverão durar dois anos e o objetivo é obter a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), organização militar do Comando da Aeronáutica. Após ser certificado, o KC-390 poderá ser utilizado em missões reais.

Para que a aeronave seja aprimorada na fase de testes, 23 câmeras foram instaladas no interior e na fuselagem do protótipo do KC-390. Todas as imagens e demais dados colhidos são encaminhados para a estação de telemetria, um monitoramento remoto que possui softwares de alta tecnologia para a análise dessas informações e ajustes necessários.

Durante essa fase, a tripulação embarcada é composta por pilotos de prova e engenheiros de ensaio em voo com larga experiência em aeronaves civis e militares, como Marcos Salgado de Oliveira Lima, ex-piloto de caça da FAB e que está há dezenove anos na Embraer. Segundo ele, KC-390 é o protótipo com maior disponibilidade na história da fabricante.

Desenvolvimento

O processo de gestação do jato militar foi desenvolvido pela Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), da FAB, a partir das demandas operacionais e de requisitos do Comando da Aeronáutica. O objetivo era reunir em um só avião a capacidade de atender inúmeras missões, como busca e salvamento, transporte, reabastecimento em voo, lançamento de cargas e paraquedistas, evacuação aeromédica, combate a incêndio florestal, entre outras.

Um trabalho feito em conjunto com engenheiros da Embraer, possibilitou chegar às dimensões da plataforma criada para o KC-390. Uma aeronave de asa alta, de grandes proporções, com motores a jato, capaz de pousar em pistas não pavimentadas e não preparadas, além de contar com tecnologia de ponta empregada em diversas áreas. Entre as inovações, o jato tanque pode ser reabastecido e reabastecer em voo  inclusive helicópteros  e também pousar na Antártida.

Na configuração do cockpit, são cinco displays touchscreen (sensíveis ao toque), com telas que facilitam a navegação do piloto e a mudança de comandos com apenas um toque. O sistema aviônico é desenvolvido pela empresa norte-americana Rockwell Collins, que dispensa o uso de relógios, medidores e termômetros.

O cargueiro da FAB vai ser o único da categoria que conta com o sistema de comando de voo eletrônico full fly-by-wire, que além de dar maior eficiência para pilotagem, também vai proporcionar uma integração com as demais missões. Um exemplo é o lançamento de cargas, onde o fly-by-wire irá atuar em tempo real nas surperfícies de forma a manter o avião na trajetória desejada pelo piloto.

¹Com Agência Força Aérea / FAB