12 de Setembro, 2012 - 11:20 ( Brasília )

Geopolítica

Uribe: Chávez autorizou captura das Farc

Ex-presidente da Colômbia diz que teve sinal verde para ação secreta em 2009

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, teria dado sinal verde para que soldados colombianos entrassem no território venezuelano em sua caçada ao comando das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em 2009, revelou o ex-presidente Álvaro Uribe. Segundo ele, Chávez teria autorizado, ainda, em segredo, que o líder da guerrilha, Iván Márquez, refugiado na Venezuela, fosse capturado e levado a Bogotá, onde enfrentaria um julgamento por narcotráfico, terrorismo e sequestro.

A revelação de Uribe é mais um episódio nas acirradas trocas de farpas recentes com o líder venezuelano, acusado pelo ex-presidente colombiano de ser um "covarde que insulta quando está longe e treme pessoalmente". Foi na gestão de Uribe na Presidência da Colômbia, entre 2002 e 2010, que os dois países viveram sua pior crise diplomática devido às acusações de Bogotá de que Chávez fazia vistas grossas à ação das Farc em seu território.

Depois de criticar não só o processo de paz com a guerrilha anunciado na semana passada pelo seu sucessor, Juan Manuel Santos, como a mediação venezuelana no diálogo, Uribe seguiu ontem com seus ataques - provavelmente visando a atingir Chávez, envolvido numa dura batalha pela reeleição no próximo dia 7 de outubro.

Em entrevista à agência Reuters, Uribe afirmou que o venezuelano lhe dera carta branca para caçar os guerrilheiros da Farc durante a Cúpula das Américas daquele ano.

- A última coisa que ele (Chávez) me disse em Trinidad, em 2009, foi que tirasse Iván Márquez da Venezuela de maneira secreta, como havia tirado Granda - disse ele, referindo-se ao apelido de Ricardo Téllez, outro líder das Farc capturado em dezembro de 2004, em Caracas, por policiais colombianos disfarçados. E com a ajuda dos órgãos de segurança da Venezuela.

Uribe continuou, então, seu ataque, mostrando-se indignado pela disponibilidade de Chávez de permitir a violação da própria soberania.

- Isso me deu uma sensação muito ruim, porque causa muita má impressão que um presidente peça em particular para enganar o seu país - afirmou Uribe, em sua casa de campo perto de Medellín.

"ele tem medo de terroristas"

Aos 60 anos, o ex-presidente que esteve à frente da maior ofensiva militar com as Farc disse que era ideal que Chávez capturasse e entregasse Márquez - cujo verdadeiro nome é Luciano Marín. O guerrilheiro, cujo paradeiro é desconhecido até hoje, tem um pedido de extradição por narcotráfico dos Estados Unidos, que oferecem por ele uma recompensa de cerca de R$ 10 milhões.

- Os cúmplices não são capazes de lutar contra aqueles que foram seus cúmplices - disse o ex-presidente. - Chávez tem medo de grupos terroristas, então o que ele sugeriu foi que, nós, sem que o governo da Venezuela se desse conta, ou pelo menos sem a ajuda do governo da Venezuela, tirássemos Marquez da Venezuela sorrateiramente, como já havia sido feito com Rodrigo Granda.