27 de Julho, 2012 - 09:30 ( Brasília )

Geopolítica

Durante festividades, presidente equatoriano anuncia compras militares


Gustavo Nardon
Agência DefesaNet


Nesta quarta-feira (25), o discurso de quase uma hora do presidente equatoriano, Rafael Correa, foi o ato inicial do desfile organizado pela Marinha do Equador, para recordar os 71 anos da batalha de Jambelí.

O desfile ocorreu ao sul de Guayaquil, ao longo da Rua Eloy Alfaro e terminou na Primeira Zona Naval. “Enquanto eu seja o presidente, não permitirei bases militares estrangeiras em nosso território”, disse o presidente. Além disso, resaltou que irá fortalecer as Forças Armadas do Equador (FF.AA) na luta contra a delinquência.

“As Forças Armadas devem continuar colaborando ativamente sobre o controle de armas, na prevenção e luta contra os delitos em mar e terra”, ressaltou o presidente. Correa disse que o Equador estuda a possibilidade de substituir duas fragatas equipadas com mísseis e seis aviões Beechchaft de exploração aeromarítima.

“Temos o projeto de adquirir dois helicópteros para executar operações de busca e resgate, porque para o Equador de hoje a prioridade é o manejo soberano de toda sua extensão marítima”.

Quando estava prestes a terminar seu discurso, era possível escutar assobios entre os participantes do evento. Com a renovação do compromisso do governo para com a Marinha Equatoriana, Correa encerrou sua intervenção.

Logo após, teve início o desfile que comemora a vitória dos marinheiros equatorianos contra a esquadra peruana  em um conflito ocorrido em 1941.

Esquadrões, batalhões e centros educativos navais participaram do desfile que foi liderado pela Escola da Marinha Rafael Morán Valverde. O encerramento contou com a marinha Mercante, o Liceu Naval (escola de ensino médio), a Escola Naval e a Força de Resitência Naval. Por fim, o ministro da Defesa, Miguel Carvajal, fez as honras e conduziu a parte final para o encerramento do desfile militar.

Na parte da tarde, o presidente e vários ministros estavam presentes na entrega de 320 apartamentos, localizados nas instalações da Polícia Judiciária de Guayas. Estas casas vão servir para os soldados que estão cumprindo o seu trabalho na cidade. "Estamos disponibilizando estes apartamentos com todos os serviços, incluindo ar condicionado, que não é um luxo mas uma necessidade aqui em Guayaquil", disse o presidente.

No final da tarde, o presidente conduziu a sessão solene organizada pelo governador de Guayas, que teve lugar na cidadela La Garzota, ao norte de Guayaquil. (Diario Hoy)