COBERTURA ESPECIAL - F-X2 - Defesa

27 de Outubro, 2013 - 22:00 ( Brasília )

Após espionagem, EUA podem ser afastados de compra de caças

No atual cenário, disputa está entre Suécia e França; Rússia corre por fora

Emane Oliveira 
 
A comprovada espionagem dos Estados Unidos no Brasil continua repercutindo negativamente nos negócios bilaterais, especialmente na compra de novos caças pela Força Aérea Brasileira (FAB). É cada vez mais forte a possibilidade de os americanos serem deixados de lado, o que configuraria um cenário de disputa só entre franceses e suecos. 
 
— Quando você compra um equipamento dessa natureza, com esse valor, não dá para levar em conta somente questões de natureza técnica. É preciso fazer uma análise geopolítica e todos esses fatos relativos à espionagem, assim como seus desdobramentos, colaboram contrariamente — disse uma fonte do governo brasileiro. 
 
O certo é que a Rússia continua de fora da disputa, uma vez que a concorrência do programa FX-2, da qual os russos não são finalistas, não foi abortada. 
 
O Brasil, no entanto, trata com a Rússia sobre o desenvolvimento conjunto de uma aeronave de quinta geração, com característica de não serem identificadas por radar. Na última semana, durante encontro entre o ministros da Defesa Celso Amorim e o russo Sergei Shoigu, o brasileiro disse que o Brasil está disposto a discutir o trabalho conjunto. 
 
A decisão caberá à presidente Dilma, que tem sido pressionada pelos militares a agir rápido. 


Outras coberturas especiais


Crise

Crise

Última atualização 19 SET, 00:10

MAIS LIDAS

F-X2