COBERTURA ESPECIAL - F-X2 - Naval

17 de Abril, 2013 - 23:27 ( Brasília )

SEA GRIPEN - Defesa da Força Aeronaval

SAAB lança na LAAD o SEA GRIPEN. Pela primeira vez de forma pública avança e detalha o conceito do GRIPEN para uso Aeronaval.

Nota distribuída pela SAAB
 
O SEA GRIPEN será uma solução ideal para países que procuram substituir, voltar a ter, ou começar uma nova frota de aviões de caça embarcados, como parte de sua estratégia de defesa naval. Um avião leve, compatível com as características operacionais e dimensionais de todos os porta-aviões, e seus elevadores, atualmente em uso em todo o mundo.

A SAAB está lançando o SEA GRIPEN - o seu caça embarcado de nova geração. Apresentando todos os recursos do Gripen E/F (Convencionado NG), ele será o avião de caça com tecnologia mais avançada da sua categoria. O Sea Gripen terá grande manobrabilidade e agilidade, alcance estendido, capacidade supercruise, um avançado sistema data-link possibilitando executar "Guerra Centrada em Redes", e uma poderosa suíte de guerra eletrônica que poderá ser adaptada para atender aos requisitos específicos do seu usuário.

O SEA GRIPEN terá também capacidades superiores de fusão de sensores, radar SELEX Raven AESA, sensor de busca e acompanhamento infravermelho (IRST), e também uma arquitetura revolucionária de aviônicos, incluindo barramentos de dados ultrarrápidos e Ethernet. A plataforma oferece fácil integração de sistemas de armas avançados e com grande potencial de crescimento futuro.
 
O GRIPEN E/F já possui características de aviões navais, tais como, baixa velocidade de pouso, comandos de voo com excelente capacidade de arfagem e rolamento, capacidade de aproximação e pouso em grandes ângulos com alta razão de afundamento, além de uma estrutura reforçada.
 
PROJETADO PARA OS MARES

Projetado para operar a partir de porta-aviões CATOBAR (decolagem por catapulta e recuperação por arresto) e STOBAR (decolagem curta e recuperação por arresto – Sky Jump), o Sea Gripen terá os mesmos sensores, aviônicos, armamento e o motor GE 414G que o modelo GRIPEN NG. No entanto, a sua baixa necessidade de suporte logístico, alta disponibilidade e estrutura mais leve, vão torná-lo significativamente mais manutenível. Seu inventário de sobressalentes é muito reduzido, necessitando de pequena quantidade de pessoal para a sua manutenção e operação.

O SEA GRIPEN é de fácil manutenção - a troca de motor não requer auxílio de fonte de força externa e pode ser concluída em menos de uma hora. Com um custo da hora de voo operacional em torno de 4.700 dólares, o avião é uma escolha ideal para os requisitos navais. Sendo o mais eficiente caça de nova geração disponível hoje, o resistente SEA GRIPEN permitirá 30-40 anos de uso, dependendo dos níveis de voo impostos pela nação usuária.

PROTEJA SUAS ÁGUAS

A plataforma GRIPEN ultrapassa todos os requisitos operacionais de países ao redor do mundo. O caça pode operar em alta umidade e suportar o efeito corrosivo da ingestão de água marinha, devido à camada externa impermeabilizada da sua estrutura. A suíte EW do SEA GRIPEN, os recursos de furtividade e a fusão de sensores serão idênticos aos do GRIPEN E/F.

Equipado com 10 pontos duros para armamento, o Sea Gripen pode ser armado com mísseis ar-Superfície RB515 e mísseis Ar-Ar BVR Meteor. Todos os sistemas de arma padrões podem ser integrados e o canhão Mauser será mantido.

MENOR CUSTO - MAIOR EFEITO

O SEA GRIPEN vai se beneficiar de ter a mesma confiabilidade e as mesmas capacidades de manutenção e teste das versões já existentes do Gripen. isto significa ter menos falhas, indisponibilidade reduzida, menor tempo de manutenção, baixo custo de suporte ao longo do seu ciclo de vida, e no geral, uma maior disponibilidade para as nações operadoras.

O sistema de apoio logístico foi desenhado para otimizar todas as funções-chave, incluindo recursos de manutenção, treinamento e suprimento. Este sistema de apoio logístico é extremamente flexível e pode ser customizado para os requisitos específicos de cada cliente. Ele vai permitir reavaliar os conceitos de manutenção para operações embarcadas, permitido aos seus usuários reduzir custos e aumentar a disponibilidade.

 

SAAB Lança o SEA GRIPEN

 

Nelson Düring
Editor-chefe DefesaNet

 

No stand da SAAB  na LAAD 2013,  e talvez até de forma discreta, uma maquete parcial do Navio-Aeródromo NAe A12 São Paulo. Distribuído ao longo de  seu convoo e elevador a umas das novidades da SAAB nesta feira: o SEA GRIPEN.

Desde 2010 a SAAB menciona eventualmente o conceito, porém sem avançar muito. No momento com o GRIPEN NG encaminhado com o contrato da Suécia já assinado e o da Suíça certamente a ser firmado nos próximos meses a SAAB volta-se para reforçar o que pode ser um ponto vulnerável em sua estratégia em alguns países.

No caso, em especial, o Brasil dando maior valor ao produto já que os seus dois concorrentes (Dassault Rafale e o Boeing F/A-18 E/F  Super Hornet), têm versões para operar em forma CATOBAR  (decolagem por catapulta e recuperação por arresto).

A substituição dos Skyhawk AF-1M prevista para meados do próximo decênio deve coincidir com o desenvolvimento e a entrada em serviço de um novo porta-aviões. O  rograma de Obtenção de Navios-Aeródromos (PRONAe), tem o propósito de projetar e construir duas unidades de um nova classe de Navio-Aeródromo (NAe), com deslocamento aproximado de 50.000 toneladas.

As modificações previstas no GRIPEN E (ou NG), que é a base do SEA GRIPEN, segundo o grupo liderado por consultores ingleses seria nas seguintes partes: trem de pouso, estrutura para o gancho de arresto e sistema de fixação da catapulta.

A grande vantagem é que o motor, a turbina GE F414 é empregada em ambiente naval. (F/A18 E/F Super Hornet).

Na visita do seu potencial cliente no país para o SEA GRIPEN,  a Marinha do Brasil, o Almirante Moura Neto mostrou-se aberto a ouvir e receber equipes da SAAB para expor o projeto.

É o que a SAAB precisa no momento para reforçar o seu cacife no Brasil dentro do Programa F-X2. E o timing de desenvolvimento do SEA GRIPEN é adequado com a necessidade da MB.

Assim os modelos de jatos SEA GRIPEN, nas cores do 1° Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (VF-1) da Marinha do Brasil, no convoo da maquete do A-12 poderá ser uma realidade futura.

A SAAB avançará no conceito e após a LAAD iniciará contatos com potenciais clientes: Índia, Tailândia, etc.



Outras coberturas especiais


Brasil - EUA

Brasil - EUA

Última atualização 15 DEZ, 10:45

MAIS LIDAS

F-X2