COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras

31 de Julho, 2015 - 10:55 ( Brasília )

Sisfron poderá contar com parceria da Usina de Itaipu


Marina Rocha
Ascom - MD


O Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), projeto estratégico do Ministério da Defesa (MD), poderá contar com uma importante parceria. Trata-se de um programa de baterias de sódio que está em desenvolvimento na Usina Hidrelétrica de Itaipu, localizada em Foz do Iguaçu (PR).

Recarregadas por energia solar ou eólica, as baterias são fundamentais para uso em localidades inóspitas, como nas regiões fronteiriças do país. Na tarde desta quinta-feira (30), em visita à Itaipu, o ministro da Defesa, Jaques Wagner, foi apresentado à tecnologia. O Sisfron é um dos projetos estratégicos do Exército e consiste em monitorar as divisas brasileiras por meio de satélites.

O Sistema gerará inteligência útil para o combate a crimes transfronteiriços e contribuirá para cooperação com países da América do Sul. Segundo Wagner, o Sisfron permitirá manter a segurança permanente das fronteiras brasileiras. O ministro considera o projeto fundamental para segurança e soberania do país.

Detalhamento

Para funcionar, o Sisfron precisa de energia. Por isso, a importância de uma cooperação entre o Exército e a usina para que o sistema possa atuar também nesse fornecimento a comunidades isoladas e de difícil acesso.

De acordo com o coordenador-geral brasileiro do Programa de Mobilidade Elétrica de Itaipu, Celso Novais, a bateria pode ser usada em submarinos ou na Antártida, já que consegue operar a -40 graus. O equipamento é feito a base de sal grosso e possui garantia de 15 anos. "Hoje essa bateria é importada, mas a ideia é produzir aqui no Brasil", sentenciou.

O ministro também visitou o Parque Tecnológico de Itaipu, localizado na usina, e assistiu a palestra sobre o projeto das baterias e outros ligados ao setor que estão em curso. No caso das baterias, está em instalação no Quartel-General do Exército, em Brasília (DF), um painel solar para a tecnologia. Com o sistema, algumas áreas passarão a ser mantidas pela energia renovável. Outro local em fase de estudo para receber a novidade é o Pelotão de Fronteira de Tiriós, no Amazonas.

Segurança estratégica

Outro programa em desenvolvimento em Itaipu é um centro trinacional de informações que visa assegurar as estruturas estratégicas do país.

De acordo com o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, o Sisfron precisa ter segurança energética. Para isso, é preciso que uma cadeia de informações precisa esteja ligada. A parceria encontra-se, ainda, em análise pelo Exército.

Os especialistas da usina já encaminharam proposta de plano de trabalho. Jaques Wagner foi acompanhado, na visita, pelos comandantes do Exército, general Eduardo Dias Villas Bôas, e da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato. Desde a última quarta-feira (29), o ministro fez uma série de passagens por quartéis e locais que integram a Operação Ágata 9.



Outras coberturas especiais


Crise

Crise

Última atualização 16 JAN, 12:10

MAIS LIDAS

Fronteiras