COBERTURA ESPECIAL - Modernização FAB - Aviação

11 de Dezembro, 2015 - 10:35 ( Brasília )

Cerimônia marca os 74 anos da Infantaria da Aeronáutica

Em Brasília, cerimônia reúne militares da ativa e da reserva

O Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Brasília (BINFAE-BR) realizou nesta quinta-feira (10/12) a cerimônia alusiva ao Dia da Infantaria da Aeronáutica. A data relembra a ativação das primeiras Companhias de Infantaria do Ministério da Aeronáutica, no dia 11 de dezembro de 1941.

O evento que reuniu militares da ativa e da reserva contou com desfile da tropa equipada representando as diferentes missões desenvolvidas pela unidade.

Segundo o Comandante da Primeira Brigada de Defesa Antiaérea, Brigadeiro de Infantaria Luiz Marcelo Sivero Mayworm, a importância da cerimônia está em manter as tradições e inspirar novas gerações. "Estamos honrando aqueles militares que dedicaram as suas vidas à Infantaria e inspirando as novas gerações a seguir o caminho da operacionalidade, mantendo sempre vivo o lema: defendendo na terra o domínio do ar", afirmou. 

As várias e distintas atividades desempenham pelos militares do Batalhão foram representadas durante o desfile da tropa. O Pelotão de Cães de Guerra empregado cães da raça pastor belga malinois eem ações de faro de entorpecentes. Já a Companhia de Polícia da Aeronáutica é responsável pela segurança e defesa das instalações.

A Companhia de Cerimonial Santos-Dumont, por exemplo, representa a Força Aérea Brasileira em eventos, como a troca da Bandeira Nacional na Praça dos Três Poderes e no desfile cívico do Dia da Independência, entre outros. Os militares realizam evoluções usando mosquetão, uma arma histórica.

Os batedores do Pelotão de Motociclistas da Aeronáutica realizam segurança de autoridades durante deslocamentos. O Terceiro Grupo de Defesa Antiaérea (3º GDAAe), sediado em Anápolis (GO) desfilou com uma unidade de tiro de míssil Igla-S.

Também participaram o desfile o Grupamento de Operações de Controle de Distúrbios, a Companhia de Infantaria da Aeronáutica e o Pelotão Contraincêndio.

Mudanças de emprego e modernização marcam celebração de 74 anos

A Força Aérea Brasileira (FAB) celebra nesta sexta-feira (11/12) o Dia da Infantaria da Aeronáutica. A data faz alusão à criação das primeiras Companhias de Infantaria, no ano de 1941, durante a Segunda Guerra Mundial.

Diariamente, militares de infantaria atuam nos batalhões distribuídos em todo o Brasil no planejamento e execução dos planos de segurança e defesa das unidades aéreas. Segundo o Comandante-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), Tenente-Brigadeiro do Ar Gerson Nogueira Machado de Oliveira, os 74 anos de trabalho resultam em profissionalismo e dedicação desses militares. “Vivemos momentos de significativas mudanças em sua concepção de emprego e de modernização de seus meios, com a finalidade de se adequar às necessidades atuais da Força Aérea.

Olimpíadas 2016 -
Para o próximo ano, mais de mil militares do Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial do Galeão (BINFAE-GL) devem atuar em ações de segurança e defesa de regiões estratégicas do Rio de Janeiro nos Jogos Olímpicos 2016.

O levantamento faz parte do planejamento para a segurança das Olimpíadas por parte do BINFAE-GL. A unidade está localizada às margens do Aeroporto Internacional do Galeão, onde haverá grande concentração do fluxo de entrada e saída de autoridades, delegações e comitivas estrangeiras no país.

O Chefe de operações do batalhão, Capitão de Infantaria Alexandre Fontoura, conta que a operação terá três níveis de ação: normalidade, indisponibilidade parcial e indisponibilidade total dos órgãos de segurança pública. Nos dois últimos níveis, o Batalhão irá atuar na manutenção do funcionamento dos equipamentos de apoio à sociedade, como nas ações de controle das vias de acesso ao aeroporto e nos terminais, na imigração e na alfândega.

 
“Este é o último grande evento da série que tivemos nos últimos anos. Hoje se estamos preparados é por conta dos anteriores. A área da Base Aérea do Galeão (BAGL) é bem complexa. Como estamos em tempos de paz, temos a oportunidade de testar a eficácia de nossas operações em
plano real. Nossa tropa está pronta”, afirma o Capitão Alexandre.


Veja abaixo como é a carreira do soldado da Aeronáutica:

Defesa Antiaérea - Em novembro, o Brigadeiro de Infantaria Luiz Marcelo Sivero Mayworm assumiu o comando da Primeira Brigada de Defesa Antiaérea. A unidade será responsável pelo preparo dos três grupos de artilharia antiaérea ativos da Força Aérea Brasileira (FAB). O comando de um oficial-general marca a elevação operacional da Brigada, antes definida como “Núcleo de Brigada”.

Sediados em Canoas (RS), Manaus (AM) e Anápolis (GO), os grupos operam os mísseis Igla-S e participam da defesa aeroespacial do País, na defesa de pontos e áreas sensíveis. Seu emprego fica sob o comando operacional do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA). Os militares já atuaram em São Paulo e Manaus na defesa antiaérea durante os jogos da Copa do Mundo de 2014.

Operações EspeciaisUma dessas atividades desenvolvidas por oficiais e graduados no Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento, o PARA-SAR, também é a segurança e defesa das unidades da FAB. A unidade de elite realiza, além de ações de busca e resgate, instruções de salto de emergência para os cadetes da Academia da Força Aérea (AFA).

A unidade se prepara para participar das Olimpíadas de 2016, quando será responsável por neutralizar e combater ações de terrorismo em instalações aeroportuárias e em aeronaves militares do Brasil. Para isso, são treinados grupos de intervenção tática, atiradores táticos de precisão e equipes de negociação.



Outras coberturas especiais


KC-390

KC-390

Última atualização 20 NOV, 22:20

MAIS LIDAS

Modernização FAB

5