COBERTURA ESPECIAL - Embraer - Aviação

18 de Junho, 2019 - 10:50 ( Brasília )

Embraer prevê demanda mundial de mercado de 10.550 novas aeronaves com até 150 assentos nos próximos 20 anos


A Embraer anunciou hoje, na 53ª edição do Paris Air Show International, que prevê uma demanda de 10.550 novas aeronaves com até 150 assentos em todo o mundo para os próximos 20 anos, no valor de US $ 600 bilhões.

O crescimento do mercado impulsionará 55% da demanda total e os 45% restantes serão entregues para substituir aeronaves antigas. Embora as perspectivas específicas de cada região variem consideravelmente, a eficiência e a sustentabilidade continuam sendo os principais impulsionadores dessa projeção de mercado.

O segmento de até 150 assentos formará uma parte cada vez mais essencial do ecossistema de transporte aéreo global.




“Apesar dos ótimos resultados demonstrados pela indústria desde 2015, quando a Margem EBIT atingiu o patamar inédito de 8,6%, temos visto uma queda sistemática: 8,5% em 2016, 7,5% em 2017, 5,8% em 2018”, disse John Slattery, Presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial.

“Com certeza, ainda são números fortes, mas é razoável considerar que o pico deste grande ciclo está atrás de nós”. O desempenho econômico do setor de companhias aéreas dependerá em grande parte de quanto os custos aumentarão, e até que ponto o setor poderá sustentar um nível adequado de receitas. As aeronaves no segmento de até 150 assentos são a melhor ferramenta para combinar a eficiência de custos com rendimentos superiores por assento.

“O segmento de até 150 assentos representa uma alternativa muito adaptável ao crescimento sustentável do setor aéreo, pois pode atender a múltiplas missões, com um risco muito baixo e, agora, seguindo a chegada da família E2, como a plataforma mais eficiente”, disse Slattery.

Desde 2004, quando a primeira edição do Market Outlook da Embraer foi publicada, os analistas da empresa vem refinando continuamente seus modelos de previsão para identificar e prever tendências futuras. O processo consiste em duas etapas principais: (1) uma projeção de demanda de tráfego aéreo (RPKs – receita-passageiro-quilômetro) por regiões e sub-regiões com base em modelos econométricos para os próximos 20 anos e (2) uma projeção de demanda que estima o número de aeronaves necessárias para acomodar o crescimento do transporte aéreo durante o mesmo período, desde aeronaves turboélices de 30 assentos até wide-bodies de 240 assentos.


VEJA MAIS