COBERTURA ESPECIAL - Embraer - Aviação

30 de Novembro, 2013 - 13:29 ( Brasília )

EMBRAER - Nota Acidente Moçambique


Nota da EMBRAER


São José dos Campos – SP, 30 de novembro de 2013 – A Embraer lamenta profundamente o acidente com a aeronave EMBRAER 190 (E190), ocorrido ontem, dia 29 de novembro, no voo TM 470, operado pela companhia aérea LAM – Linhas Aéreas de Moçambique. A aeronave, número de série 581, foi entregue à companhia aérea em novembro de 2012.

A Embraer se solidariza com os familiares das vítimas e com a LAM – Linhas Aéreas de Moçambique neste momento de pesar para todos. A Empresa já se colocou à inteira disposição das autoridades aeronáuticas para auxiliar nas investigações. Neste sentido, uma equipe de técnicos da Embraer prepara-se para deslocar-se para o local do acidente.

 

Brasileiro está entre as vítimas de acidente
de avião em Moçambique

Ao todo, 33 pessoas morreram. Avião decolou na sexta-feira e teria caído supostamente por causa do mau tempo

Agência AFP
 

Um avião da LAM, companhia nacional de Moçambique, que viajava para Angola, foi achado carbonizado na Namíbia e sem sobreviventes entre as 33 pessoas de diversas nacionalidades que estavam a bordo, anunciou a polícia neste sábado. Entre os passageiros da aeronave, fabricada pela Embraer, havia um cidadão brasileiro.

"Minha equipe encontrou o aparelho. Não há sobreviventes. O avião está carbonizado por completo", declarou à AFP o coordenador da polícia da região namíbia de Kavango (nordeste), Willie Bampton, depois de várias horas de busca em uma zona pouco povoada no parque nacional de Bwabwata.

O voo TM 470 decolou na sexta-feira de Maputo com destino a Luana, com 27 passageiros a bordo: dez moçambicanos, nove angolanos, cinco portugueses, um francês, um brasileiro e um chinês, segundo um comunicado da LAM. Em Maputo, as autoridades se negaram por ora a fazer comentários, e simplesmente confirmaram que havia 33 pessoas a bordo, incluindo os seis membros da tripulação. Uma reunião de crise do gabinte foi convocada para o palácio presidencial.

O Ministério de Relações Exteriores (Itamaraty) disse ter sido informado pela companhia aérea que entre os passageiros havia um brasileiro, mas até as 11h15 (horário de Brasília) não confirmava o óbito dele. O Itamaraty não soube informar se o brasileiro estava em Moçambique a negócios ou turismo, nem divulgou sua identidade. Familiares da vítima já foram contatados por diplomatas do ministério.

Segundo um técnico do aeroporto, que pediu para não ser identificado, o avião teria caído por causa do mau tempo. O acidente é o mais grave na história da aviação civil de Moçambique desde a misteriosa queda do avião do presidente Samora Machel em1986 na África do Sul, quando morreram 34 pessoas. Em 2011, a União Europeia proibiu a LAM de voar em seu espaço aéreo. A aeronave, um modelo Embraer 190 com capacidade para 90 passageiros, foi comprado pelpela companhia para modernizar sua frota e substituir os antigos Boeing.