COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Terrestre

02 de Março, 2017 - 10:05 ( Brasília )

Em seus 90 anos, CPOR/RJ exalta o "Herói R2" Maj Apollo


Ao longo de 90 anos de existência e após mais de vinte mil oficiais temporários formados, o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro (CPOR/RJ) orgulha-se de ter sido a escola de formação militar de personalidades de destaque na história do Brasil, alguns deles, verdadeiros heróis.

Ser herói, conforme os dicionários de língua portuguesa, é ser "alguém que se notabiliza por seus feitos guerreiros ou atos de grande coragem". Baseado nessas definições, o Brasil pode se orgulhar do Major Apollo Miguel Resk, pois ele foi um verdadeiro herói nacional.

O Major Apollo nasceu em 9 de fevereiro de 1918, no Rio de Janeiro. Foi declarado Aspirante da Arma de Infantaria em 1939, após concluir, com êxito, o Curso de Infantaria do então CPOR/1ª RM, atual CPOR/RJ. Em 1941, já como 1º Tenente, embarcou para a Itália, compondo o segundo escalão da FEB.

No teatro de operações italiano, o então Tenente Apollo destacou-se pela liderança e capacidade de comandar seu pelotão. Dentre as diversas missões recebidas, chamou a atenção de todos por sua bravura na defesa de La Serra e na tomada de Monte Castelo, onde, debaixo de fogo intenso, derrotou o inimigo nazista e poupou a vida de seus comandados, devido à competência, liderança, capacidade de sacrifício e coragem.

Os feitos do Maj Apollo na 2ª Guerra Mundial foram reconhecidos tanto pelo alto escalão brasileiro, quanto pelo Comando Aliado. Na ocasião, o então Tenente Apollo recebeu todas as condecorações possíveis de guerra entregues a militares da FEB.

Além disso, recebeu a medalha militar Distinguished Service Cross (Cruz de Serviços Notáveis), a mais alta condecoração recebida por estrangeiros e a segunda mais alta condecoração militar do governo dos Estados Unidos da América, em reconhecimento à bravura em La Serra. O Major Apollo é o único brasileiro a ter recebido tal condecoração.

O militar recebeu, ainda, a medalha Silver Star, terceira mais alta condecoração militar do governo norte-americano, por seus feitos em Monte Castelo. Poucos brasileiros a possuem.

Continuou a carreira militar e foi promovido a Capitão em 1951. Em 1957, foi reformado no posto de Major, por problema de saúde adquirido durante a guerra.

O Major Apollo foi, segundo o General Mascarenhas de Moraes, então Comandante da FEB, um dos mais belos exemplos de dignidade da tropa brasileira. Pela dedicação, competência, coragem, bravura e amor ao Brasil, o Major Apollo é um herói nacional e merece ser lembrado por todos nós como exemplo a ser seguido.

Ainda em vida, participou da inauguração das sedes do Conselho Nacional dos Oficiais da Reserva (CNOR) e da Associação dos Oficiais da Reserva do Exército do Rio de Janeiro (AORE/RJ) em 1998. Faleceu em 1999, com 81 anos e muita história para contar. Costumeiramente, frequentava o CPOR/RJ e abrilhantava a Escola com seu exemplo, sendo motivo de admiração pelos alunos.

O Major Apollo é a prova de que o CPOR/RJ sempre foi o que o Tenente-Coronel Correia Lima sonhou em 1927: uma escola formadora de líderes e de cidadãos. Os valores enaltecidos pelo Major Apollo confirmam o atual lema do Centro: