COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Aviação

12 de Janeiro, 2016 - 10:30 ( Brasília )

Herói brasileiro é lembrado na Itália

Cerimônia na Itália lembra Tenente Aurélio Vieira Sampaio. Piloto da FAB foi abatido no dia 22 de janeiro de 1945 durante a Segunda Guerra Mundial.

A Adidância de Defesa e Aeronáutica do Brasil na Itália e a prefeitura da cidade italiana de Rodano, norte da Itália, promoveram neste domingo (10/01) uma cerimônia em homenagem ao Tenente Aurélio Vieira Sampaio, piloto da Força Aérea Brasileira abatido naquele local em 22 de janeiro de 1945.

Foi realizado um desfile pela cidade com a banda de música local e a presença de bandeiras, estandartes e do Gonfalone, o estandarte do 1° Grupo de Aviação Caça durante a campanha Itália. Em seguida, foram executados os hinos nacionais do Brasil e da Itália, o descerramento da placa comemorativa e o toque de silêncio.

Estavam presentes o Prefeito de Rodano, Danilo Mauro Bruschi; o Cônsul-Geral do Brasil em Milão, Embaixador Paulo Cordeiro de Andrade Pinto; o Adido de Defesa e Aeronáutica do Brasil na Itália e Eslovênia, Coronel Frederico Alberto Marcondes Felipe; e o responsável pelo Monumento Votivo Militar de Pistoia, Mario Pereira.

De acordo com o prefeito, o evento teve como foco lembrar a força de vontade, a perseverança e a coragem do Tenente Aurélio, bem como a necessidade de preservar a memória do seu sacrifício, a fim de inspirar as novas gerações, bem como ampliar os laços de amizade, fraternidade e cooperação entre Brasil e Itália.

Na sexta-feira (08/01), 130 alunos da escola do município assistiram a um documentário sobre a participação da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Campanha da Itália, durante a Segunda Guerra Mundial.

16 missões de combate

Nascido em 31 de maio de 1923, em Aracaju (SE), o Tenente Aurélio Vieira Sampaio foi abatido, aos 21 anos, na sua 16° missão de combate sobre a Itália. Após atacar locomotivas ao norte da cidade de Milão, seu caça P-47 Thunderbolt foi atingido por disparos da artilharia antiaérea. O local exato da queda foi determinado graças à pesquisa realizada por Diego Vezzoli, da Associação Air Crash Po, e por Rafaelle Serio, da empresa Alenia.

Entre outras condecorações, o militar recebeu as medalhas da Campanha de Itália e a Cruz de Bravura. Seus restos mortais estão sepultados no mausoléu do Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro.