COBERTURA ESPECIAL - Doutrina Militar - Terrestre

21 de Maio, 2015 - 13:00 ( Brasília )

A Importância do RCB na Doutrina de Blindados



TC Alex Alexandre de Mesquita
Comandante do Centro de Instrução de Blindados
Colaboração do 2' Sgt de Cavalaria Rodrigo Vargas Uhal
Auxiliar da Seção de Doutrina do CI Bld.

 
Os Regimentos de Cavalaria Blindados (RCB) são organizações militares da Arma de Cavalaria orgânicas das Brigadas de Cavalaria Mecanizadas (Bda C Mec). Atualmente, o RCB é dotado de VBTP M113 B e VBCCC Leopard 1A1(1), todos sobre lagartas, e tem como uma das suas principais missões proporcionar ação de choque à Bda C Mec, pelo fato de possuir melhor mobilidade tática do que os RC Mec, que são sobre rodas.

Em sua organização, o RCB possui dois Esquadrões de Carros de Combate (Esqd CC) e dois Esquadrões de Fuzileiros Blindados (Esqd Fuz Bld), além de um esquadrão de comando e apoio. Os Esqd CC têm a mesma organização das subunidades dos Regimentos de Carros de Combate (RCC) e os Esqd Fuz Bld a mesma organização das Companhias de Fuz Bld dos Batalhões de Infantaria Blindados (BIB).

Esta organização em Força Tarefa (FT) confere ao RCB uma característica única e extremamente desejável para a tropa blindada, que é poder realizar a instrução e o adestramento em conjunto, permitindo que as relações de comando sejam estabelecidas e fortalecidas dentro da própria organização militar.

No ano de 2013, foi realizado um simpósio coordenado pelo Comando Militar do Sul e executado pela la Bda C Mec, denominado  A BRIGADA DE CAVALARIA MECANIZADA NO CONFLITO MODERNO, ocasião em que se discutiu a permanência ou não do RCB na estrutura da Bda C Mec.

Este importante evento contou com a participação de todos os oficiais generais da Arma de Cavalaria, com comandantes de regimento, com o Chefe do Centro de Doutrina do Exército e com o 7° Subchefe do Estado-Maior do Exército. Ao final, concluiu-se que a Bda C Mec, como está organizada, é a Grande Unidade da Força Terrestre (F Ter) mais apta a combater em todo o espectro das operações militares. Em particular, pela existência de um RCB sobre lagarta.

Este texto não tem o objetivo de se debruçar novamente sobre o debate a respeito da organização da Bda C Mec ou da pertinência de misturar-se rodas e lagartas. Tampouco irá comentar os impactos logísticos que esta organização traz. O objetivo é entender por que o RCB é tão importante para a doutrina de emprego de blindados no EB?

As forças blindadas organizam-se para o combate em FT com CC e Fuz Bld. Uma das principais dificuldades logísticas para as Bda Bld é adestrar as suas FT Regimento e Batalhão quando as OM de Cavalaria e Infantaria estão fisicamente distantes. Soma-se a isso, o fato de que a manutenção de laços táticos é um dos fatores de eficiência no emprego de frações militares e conduzem ao sucesso no cumprimento da missão.

Utilizando a máxima dos principais Exércitos do mundo, Train as you Fight (2), o RCB permite exatamente isto. Em uma mesma unidade está o conceito de armas combinadas, tão perseguido por Forças Terrestres modernas, como o Exército dos Estados Unidos.

A instrução e o adestramento realizado nos RCB permite identificar deficiências e oportunidades de melhorias que podem ser expandidas para as FT RCC e para as FT BIB, de modo a permitir-lhes uma maior eficiência. Mas simplesmente ratificar a importância do RCB não é o suficiente.

Para que os ensinamentos advindos dos RCB sejam realmente passíveis de pleno compartilhamento, o ideal seria que esta OM possuísse os mesmos meios da FT BIB e RCC. Isto quer dizer, possuir VBCCC Leopard IA5, em substituição aos Leopard 1A1 .

A titulo de exemplo, com os atuais meios, o combate noturno conduzido pelos RCB, situados no Comando Militar do Sul, equivale aos procedimentos de israelenses e sírios nas Guerras Árabes-Israelenses, quando foram utilizados equipamentos ativos de visão noturna (infravermelhos).

Hoje, a F Ter possui quatro Bda C Mec, cada uma com um RCB, sendo que os regimentos sediados no Rio Grande do Sul possuem Leopard 1A1 e no Mato Grosso do Sul, M 60 A3TTS. No total são quatro unidades, oito Esqd CC. Para dotar todos os RCB com a mesma capacidade de combate noturno dos RCC seriam necessários oitenta e quatro Leopard 1A53.

Não resta dúvida de que o RCB é um elemento que confere modernidade à Bda C Mec_ Para o combate atual, os Exércitos do mundo têm buscado constituir, assim corno ocorre nas Bda C Mec, forças de natureza mista, ou seja, tropas blindadas de lagartas e de rodas, até o escalão mais elementar.

O poder de combate de uma FT Bld repousa no emprego combinado dos CC e dos Fuz Bld desde o tempo de paz e deve-se buscar sempre a sinergia entre todos os elementos subordinados, de forma que as deficiências de uns sejam anuladas pelas possibilidades e características dos outros.

O RCB permite atingir este resultado, isto, por si só, já lhe atribui uma grande importância na Doutrina de Emprego de Blindados.

AÇO, BOINA PRETA, BRASIL!

1) VBTP (Viatura Blindada de Transporte de Pessoal). VBCCC (Viatura Blindada de Combate Carro de Combate).
2) Treine como irá combater.
3) O 20° RCB, situado no Mato Grosso do Sul, já possui esta capacidade, graças aos M 60 A3TTS. Cada RCB tem um total de vinte e oito CC.