01 de Fevereiro, 2013 - 09:36 ( Brasília )

Defesa

Ministro da Defesa prestigia formatura de sargentos da EsSA, em Três Corações (MG)


Sob uma manhã chuvosa, 698 alunos adentraram o pátio da Escola de Sargentos das Armas (EsSA), em Três Corações (MG). Enquanto marchavam, eles entoavam trechos dos hinos da Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e das Comunicações. A cerimônia, acompanhada pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, serviu para apresentar os futuros sargentos combatentes do Exército Brasileiro.

Instantes depois, os alunos assistiram a uma aula magna ministrada pelo comandante da Força Terrestre, general Enzo Martins Peri, que discorreu sobre a conjuntura do país, oportunidades de trabalho na instituição e as características da profissão.

A presença das autoridades foi destacada pelo comandante da EsSA, general Luiz Carlos Pereira Gomes. “Mostra a importância que o Exército dá à formação de sargentos”, disse. Importância ressaltada pelo ministro Celso Amorim, que afirmou ter podido acompanhar de perto, durante as 11 vezes em que esteve no Haiti, a atuação dos sargentos brasileiros. Para ele, o principal incentivo da profissão militar “é você ter, ao mesmo tempo, uma profissão digna e poder servir à pátria”.

Amorim visitou também as instalações da escola, onde pôde conhecer as obras do novo ginásio, o setor administrativo e, até mesmo, os cavalos usados na instrução dos alunos. Ele conversou com instrutores e professores e recebeu, ainda, explicação detalhada sobre as etapas do processo seletivo promovido pela instituição.

“Depois de passar nas provas e entrar aqui, é muito difícil que os alunos desistam. Eles acabam gostando de ser militares. Ensinamos também valores como hierarquia, disciplina e ética”, explicou o general Pereira Gomes.

Ontem (30), o ministro da Defesa foi recebido na EsSA com honras militares  e tiros de canhão. Em palestra do comandante da escola, conheceu a história do sargento Max Wolff Filho. Nascido em 1911, na cidade paranaense de Rio Negro, o militar foi morto enquanto fazia patrulha durante a 2ª Guerra Mundial. Por sua coragem e bravura, a instituição leva seu nome.

A Escola

Criada em 21 de agosto de 1945, a EsSA inicialmente localizava-se no Rio de Janeiro. Em 1949, foi transferida para o endereço atual em Três Corações. Atualmente, conta com efetivo de 1.828 militares, entre eles os quase 700 alunos.

O ingresso é feito via concurso público. Para entrar, o candidato precisa ter ensino médio completo e entre 17 e 24 anos. Para as áreas de saúde e música, o limite de idade é 26 anos. Jovens do sexo feminino só podem concorrer na área de saúde, como técnico de enfermagem. Nas demais áreas oferecidas – combatente, logística, aviação e música – são aceitos, atualmente, apenas homens. A partir de 2017, o escola contará com o ingresso de mulheres.

A prova é constituída de exame intelectual, específico (para os casos de saúde e música) e de aptidão física. Em 2012, dos 46.054 que realizaram a prova, 3.111 foram aprovados para 1.350 vagas. Após a aprovação em todas as etapas, o candidato, de acordo com sua classificação geral, é alocado em uma das 13 organizações militares que oferecem o Curso de Formação de Sargentos (CFS).

Depois da fase de instrução, é feito o período de qualificação em três organizações militares: em Taubaté (SP), em Três Corações (MG) ou no Rio de Janeiro (RJ). Na EsSA só são formados os sargentos combatentes, das armas específicas do Exército. A Força Terrestre tem, ao todo, 37 mil sargentos espalhados pelo Brasil.