07 de Dezembro, 2011 - 00:03 ( Brasília )

Defesa

Defesa irá propor atualização da Doutrina Básica de Mobilização Nacional


Brasília, 06/12/2011 - A criação de comitês ministeriais para debater a atualização da Doutrina Básica de Mobilização Nacional será um dos pontos de debate da 8ª Reunião da Secretaria Executiva do Comitê do Sistema Nacional de Mobilização (Sinamob), que começa nesta quinta-feira (08/12) no Ministério da Defesa. O documento atual foi criado em 1987, seguindo a antiga Doutrina de Segurança Nacional, e precisa ser adequado às novas prioridades do Estado brasileiro. Outro ponto importante será o balanço das atividades de 2011.

Coordenada pelo subchefe de Mobilização, contra-almirante Marcos Silva Rodrigues, a reunião da Secretaria Executiva ocorre anualmente. Ela serve como encontro preparatório da plenária de ministros do Sinamob, que deve ocorrer em março de 2012.

A Secretaria Executiva do Comitê é formada por representantes do Ministério da Defesa; Ministério da Justiça; Ministério das Relações Exteriores; Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão; Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Ministério da Fazenda; Ministério da Integração Nacional; da Casa Civil; do Gabinete de Segurança Institucional; e Secretaria de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica da Presidência da República.

Todos os ministérios participam do sistema, coordenado pelo Ministério da Defesa. Ao Sinamob cabe organizar e empregar todos os recursos disponíveis para enfrentar situações de emergência, como catástrofes naturais, ou de conflito.

Operações

Dentre as principais atividades desenvolvidas pelo Sinamob em 2011, destacam-se a participação do Subsistema Setorial de Mobilização Militar (SSMS) nos planejamentos e Operações Conjuntas, a apresentação de palestras sobre recursos mobilizáveis na região Norte e Centro-Oeste.

Foram realizados dois exercícios de mobilização durante as operações Amazônia e Anhanduí. Na primeira, realizada, durante o mês de maio, em sete municípios e uma comunidade indígena do estado do Amazonas, distribuição e estocagem de derivados de petróleo, o sistema de saúde na Região Norte e os meios de telecomunicações disponíveis.

Durante a Operação Anhanduí, executada em Mato Grosso do Sul no início de novembro, o enfoque foi o atendimento a refugiados e eventuais riscos aos sistemas de produção e distribuição de energia da Usina Hidrelétrica de Itaipu, empreendimento binacional entre Brasil e Paraguai.

O cronograma de trabalho para 2012 prevê duas atividades principais. A repetição da Operação Amazônia e a Operação Atlântico, comandada pela Marinha sob coordenação do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA) do Ministério da Defesa, no litoral do estado do Rio de Janeiro.