28 de Junho, 2017 - 11:35 ( Brasília )

Defesa

Militares de países de língua portuguesa fazem intercâmbio na área de defesa

Preparação final do Exercício Felino reúne no Brasil Forças Armadas de países de língua portuguesa

Major Sylvia

Forças Armadas do Brasil e de mais oito países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) participam, de 26 a 30 de junho, em Itaipava, cidade da Serra Fluminense, do planejamento final do Exercício Felino 2017, que ocorrerá em setembro, na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende (RJ).

O Exercício Felino tem um planejamento bienal. No primeiro ano, em 2016, em Cabo Verde, ocorreu a modalidade carta; e, no segundo ano, 2017, se realizará com tropas no terreno. O objetivo é treinar, de forma conjunta e combinada, a organização, o planejamento e o comando e controle de operações de apoio à paz e de ajuda humanitária, em um cenário fictício. A operação Felino está em sua 17ª edição, sendo a terceira no Brasil.

Militares de Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé Príncipe e Timor Leste, e representantes do Ministério da Defesa e das Forças Armadas brasileiras, em conferência no Centro General Ernani Ayrosa, organização na região serrana do Rio de Janeiro, realizam os últimos ajustes necessários à execução do Exercício. Entre eles, a integração entre cenário e capacidades; o conhecimento de documentos estruturantes e a aprovação do acordo técnico.



Para o integrante do Estado-Maior Coordenador Conjunto das Forças Armadas do Timor Leste, tenente-coronel Renilde Gutierrez Silva, o Exercício é interessante por reunir países que falam a mesma língua. “Juntam-se países de diferentes continentes, podemos juntar ideias para atender a um possível trabalho internacional conjunto”, disse o militar.

Na abertura da conferência as delegações receberam as boas vindas, por videoconferência, do oficial condutor do Exercício, 1º Subchefe do Comando de Operações Terrestres (COTER), general José Eduardo Pereira, que destacou a importância do evento. “É importante acertarmos os detalhes, tirarmos as dúvidas e levantarmos possibilidades de ajustes. Esta reunião sela o acordo que define as atividades que serão realizadas”, finalizou o general José Eduardo.

De acordo com o diretor da atividade, comandante da 4ª Brigada de Infantaria Leve (Montanha), general Carlos André Alcântara Leite, a integração entre os países da CPLP e o intercâmbio de experiências entre as Forças Armadas possibilita uma significativa troca de conhecimentos. “O que a gente espera, ao longo da semana, é podermos conhecer mais da cultura, da história e das Forças Armadas de cada país, agregando conhecimentos não só da parte militar”, afirmou o general.

Nas edições no Brasil, o Ministério da Defesa, por meio da Chefia de Operações Conjuntas, é responsável pela coordenação do Exercício Felino, que visa otimizar a capacidade de intervenção da Marinha, do Exército e da Aeronáutica em missões de apoio à paz e ajuda humanitária, em resposta a situações de crise no nível estratégico, operacional e tático.

CPLP

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)  foi criada em 1996. É o foro multilateral privilegiado para o aprofundamento da amizade mútua e da cooperação entre os seus membros.

A comunidade tem entre seus objetivos a cooperação em todos os domínios, inclusive os da educação, saúde, ciência e tecnologia, defesa, agricultura, administração pública, comunicações, justiça, segurança pública, cultura, desporto e comunicação social.

Na vertente defesa, realiza a integração entre os países por meio de um exercício militar – série Felino, para incrementar o intercâmbio das Forças Armadas dos Estados-Membros, para o emprego em Operações de Apoio à paz e de ajuda humanitária, sob a égide da Organização das Nações Unidas (ONU).

Fotos: ST Guarani/4 Bda Inf Leve