COBERTURA ESPECIAL - Expansão Chinesa - Defesa

21 de Dezembro, 2013 - 11:20 ( Brasília )

China acusa Japão de expansionismo militar e ataca "pacifismo" de Tóquio


A China atacou o plano do governo japonês de aumentar os gastos militares nos próximos cinco anos, com o objetivo, segundo Tóquio, de comprar armamento defensivo para territórios insulares. Em comunicado divulgado nessa sexta-feira pelo porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Geng Yansheng, a medida é um pretexto para uma expansão militar.

“A China opõe-se firmemente às ações do Japão”, diz a nota do Ministério chinês, de acordo com a agência estatal Xinhua. Geng Yansheng afirmou que os documentos apresentados pelo Japão usam uma suposta “ameaça militar chinesa” para aumentar a tensão na região, além de servir para expandir seu poder militar.

Por um lado, o Japão reivindica o status de país pacifista, e adere a uma política defensiva, sem pretender ser uma potência militar. Por outro lado, diz o porta-voz chinês, o governo nipônico está “promovendo” um “pacifismo proativo”.

Geng Yansheng afirmou que enquanto o Japão declara que respeita a liberdade, democracia e os direitos humanos, ao mesmo tempo nega repetidamente seu passado de agressões durante a 2ª Guerra Mundial, além de questionar a ordem mundial após o conflito e “ferir os sentimentos” das vítimas da guerra em outros países.

“Nós insistimos para que o Japão faça uma profunda introspecção em sua história, honre seu compromisso com um desenvolvimento pacífico, e tente melhorar suas relações com os vizinhos asiáticos com ações concretas, para desempenhar um papel construtivo na garantia da paz e estabilidade regional”, completou o funcionário do Ministério da Defesa chinês.

Leia também:

- O retorno do Samurai - Contra China, Japão flerta com nacionalismo

- CHINA - Nova atitude pode causar atritos nas relações com outros países