COBERTURA ESPECIAL - Brasil - China - Geopolítica

16 de Novembro, 2011 - 12:41 ( Brasília )

Ministério da Defesa recebe comitiva da China

Reuniões bilaterais visam discutir parcerias estratégicas e tecnológicas entre o Brasil e a China

DefesaNet

Para mais artigos sobre as relações Brasil - República Popular da China acessar a Cobertura Especial Brasil - China Link

Importante a visita do General do Exército Liang Guanglie, em 2010 - Link

Nota Ministério da Defesa

O Ministério da Defesa brasileiro recebe, a partir de hoje, a comitiva da República Popular da China, para discutir temas relacionados à transferência de tecnologia, intercâmbio estratégico, atuação em missões de paz e cooperação industrial.

A comitiva que participará da 2ª Reunião do Comitê Conjunto de Defesa Brasil-China, chefiada pelo vice-chefe do Estado-Maior Geral do Exército Popular de Libertação da China, tenente-brigadeiro Ma Xiaotian, abre suas atividades no Brasil com uma visita ao Parque de Material Aeronáutico do Campo de Marte, em São Paulo, às 10h de hoje.

Os visitantes chegam a Brasília à noite. Às 9h30 de amanhã (17/11), o brigadeiro Ma Xiaotian visita o I Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (CINDACTA I). Às 11h, ele assiste a uma palestra no Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM).

O restante da comitiva participa da abertura dos trabalhos na sede do Ministério da Defesa. Os encontros incluem discussões sobre cooperação na área de construção de meios navais, desenvolvimento conjunto de armamento, mísseis superfície-ar de média altitude e torpedos pesados e minas de fundo.

Os grupos de trabalho apresentarão possibilidades de intercâmbio acadêmico entre os institutos de tecnologia, desenvolvimento conjunto de pesquisa científica, cooperação em atividades espaciais e projeto e desenvolvimento de veículos de lançamento e de satélites.

A parte brasileira tem interesse no uso de imagens obtidas por radares de abertura sintética para combater o crime organizado e o desmatamento na Amazônia Legal.

Os dois países participam de operações de paz em vários continentes e boa parte da programação será dedicada à troca de experiência nessa área, bem como sobre seus sistemas de mobilização. Também serão discutidas possíveis ações conjuntas entre as duas Forças Armadas e a venda de armas produzidas pela República Popular da China para a América Latina. Os trabalhos se encerram na manhã de sexta-feira (18-11).



Outras coberturas especiais


Gripen NG Brazil

Gripen NG Brazil

Última atualização 19 SET, 10:10

MAIS LIDAS

Brasil - China