COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa - Defesa

24 de Outubro, 2017 - 09:40 ( Brasília )

MD concedeu a empresa santamariense DEFII a classificação de Empresa Estratégica de Defesa (EED)


No dia 19 de setembro de 2017, pela portaria nº 3.436/GM/MD o Ministério da Defesa concedeu a empresa santamariense DEFII Atelie de Software a classificação de Empresa Estratégica de Defesa (EED) e reconheceu um dos produtos da empresa o CBT (treinamento baseado em computador) da viatura Leopard 1A 5 Br como Produto Estratégico de Defesa.

Esse reconhecimento faz da Defii Atelie de Software a primeira empresa santamariense a atingir essa categoria o que confere ao APL Polo de Defesa de Santa Maria um peso maior visto que o APL não possuía nenhuma empresa reconhecidamente como Empresa de Defesa.

O site do Ministério da Defesa possui dados atualizados até junho de 2016 quando haviam em torno de 68 EED, estima-se que atualmente cerca de 80 empresas brasileiras compõe o rol de empresas reconhecidas como Empresas Estratégicas de Defesa.

Segundo Erlei Melgarejo, CEO da empresa, o reconhecimento é um processo de avaliação longo e cuidadoso por parte do Ministério da Defesa , o empresário cita que o processo de credenciamento começou no ano de 2014 e somente no final de 2017 houve a anuência do MD para reconhecer a empresa como EED.

Para o empresário esse é um passo gigantesco, pois segundo ele, a DEFII é uma microempresa relativamente nova no cenário da defesa, porém bastante ativa no setor pois além de participar do APL Polo de Defesa de Santa Maria, é associada a ABIMDE (Associação Brasileira das Empresas de Defesa e Segurança) participa da maioria das feiras nacionais do setor de defesa desde 2013 e algumas fora do pais como no Chile e Colômbia.

A empresa tem no seu portfólio, bastante amplo para uma jovem empresa, uma variada linha de produtos para a defesa e só não fazemos mais por falta de projetos e recursos devido a situação um tanto instável do país e retração do investimento das Forças Armadas nos últimos dois anos, mas idéias para projetos inovadores não faltam, diz o empresário.

A DEFII atua na área de softwares voltados ao treinamento, capacitação e educação, seus principais produtos são simuladores, treinamentos baseados em computador (CBT), serious games, manuais digitais, soluções utilizando realidade virtual e realidade aumentada e alguns projetos específicos para setores focados na área de treinamento das Forças Armadas.

Além do já citado CBT da Viatura Blindada Leopard 1A 5 Br, a empresa desenvolveu o Caixão de Areia Tático Virtual, V-Carta, uma ferramenta digital para planejamento de operações militares. O V-Carta permite que sejam realizados planejamentos de operações militares utilizando 07 (sete) servidores de mapas virtuais em qualquer plataforma digital desde tablets iOS ou android, em computadores PC, Mac ou linux ou lousas ou mesas digitais.

O V-Carta, atualmente em sua versão 2.0, pode ser utilizado em 4 idiomas, inglês, frances e espanhol além do português. A Empresa já está preparando a versão 2.5 que agregará melhorias, algumas delas solicitadas pela Escola de Aperfeiçoamento de Sargentos da Armas - EASA, de Cruz Alta, que possui 300 licenças do software.

A empresa também desenvolveu um CBT para o Fuzil IMBEL A2 dentre outros produtos. A empresa Defii também já exportou software para a Colômbia em 2015, o CBT de Manutenção de Avião a Jato que está sendo utilizado para o ensino técnico naquele pais.

Conforme o empresário Melgarejo os anos de 2016 e 2017 foram anos difíceis em termos de projetos para a área de defesa, nesse período a empresa apostou no desenvolvimento de softwares para treinamento de setores da industria e educação formal e na aquisição de novas competências na área de simulação e geoprocessamento e hoje o empresário acredita que a empresa além de dominar a produção de simuladores para treinamento ainda detém capacidade de realizar simulação de eventos envolvendo catástrofes naturais, movimento de massas humanas e comportamento de veículos, maquinas e artefatos balísticos.

O reconhecimento da Defii como EED pode representar uma nova perspectiva em termos de desenvolvimento da empresa pois além de benefícios e incentivos fiscais a empresa passa a ser diferenciada em processos de compras públicas relacionados a aquisição de produtos voltados a defesa nacional, esses incentivos e prerrogativas tem como base a lei de Fomento à Base Industrial de Defesa (Lei 12.598/12).

Além disso, Melgarejo vê todo esse pioneirismo como um marco para o APL Polo de Defesa de Santa Maria no sentido da criação de cases positivos e protagonismo no setor, acredita que somente o fomento e o reconhecimento das pequenas empresas, principalmente as de prestação de serviços, poderá criar um ecossistema sólido e inovador para o setor de defesa brasileiro.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Guerra Hibrida Brasil

Guerra Hibrida Brasil

Última atualização 11 DEZ, 19:00

MAIS LIDAS

Base Industrial Defesa