COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa - Naval

05 de Setembro, 2014 - 09:50 ( Brasília )

Radar Oceânico brasileiro estará apto para monitorar mares durante provas olímpicas no Brasil

IACIT investiu R$ 4,5 milhões no equipamento que pode ser aplicado em projetos civis e militares



A IACIT projetou e construiu o primeiro Radar Oceânico Brasileiro. O equipamento vem sendo testado em uma área da Universidade Federal do Rio Grande na cidade de Rio Grande/RS.

O equipamento está apto para monitorar as praias do Rio de Janeiro, onde serão realizadas as provas aquáticas durante os Jogos Olímpicos. “ Acreditamos que o radar poderá ser um grande aliado do Comitê Olímpico, pois teremos em tempo real todas as condições do mar, trazendo ainda mais segurança para as provas”, disse o presidente da IACIT, Luiz Teixeira.

O projeto consumiu investimentos na ordem de R$ 4,5 milhões, sendo 50% com recursos da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos). O Radar Oceânico Brasileiro foi desenvolvido com a mais alta tecnologia existente no mercado mundial e é aplicado tanto em projetos civis, quanto científicos ou de segurança nacional. O equipamento permite o mapeamento das correntes marítimas, detecta perigos ambientais como tornados e tsunamis e pode ser usado na vigilância costeira.

O Radar é um sistema desenvolvido para obtenção das medidas de Correntes Superficiais Oceânicas através de sinais em HF (High Frequency), contemplando a mais alta tecnologia em FPGA para processamentos de sinais, disponibilizando maior agilidade, precisão e exatidão nas medidas, de acordo com cada aplicação a ser utilizada.

A Plataforma Radar utiliza conceitos de modularidade, permitindo a adequação de suas capacidades funcionais e operacionais, tendo sido idealizada para atender às diversas demandas, por exemplo, vigilância marítima, monitoramento do tráfego aéreo e sensoriamento marítimo.

O projeto é composto por subsistemas responsáveis pela Transmissão e Recepção em HF, processamento de sinais e armazenamento de dados. Devido à alta tecnologia empregada, o Radar Oceânico IACIT necessita de pequenas áreas para a instalação do sistema.

A tecnologia desenvolvida permitirá a evolução da plataforma para outras soluções, como para rádio de comunicação em HF, Radar Além-do-Horizonte e Radar de Vigilância voltado para o setor de Defesa.

Defesa Nacional

Na área de Defesa, a tecnologia pode ser aplicada nos radares Além-do-Horizonte, que são desenvolvidos para a detecção de alvos a longas distâncias, utilizando a superfície do mar para a propagação do sinal. Esse sistema permite um controle total de alvos marítimos.

Entre as aplicações estão a vigilância marítima para controle e gerenciamento de embarcações, combate a ações ilícitas, busca e resgate no caso de acidentes aéreos e marítimos, sensoriamento meteorológico e muito mais. Em países como Austrália, Estados Unidos, China, Rússia e Canadá, o sistema já vem sendo utilizado com sucesso.

Além das Forças Armadas, o radar pode ser utilizado pela Polícia Federal, guarda costeira e no controle marítimo de embarcações.

Sobre a IACIT

A IACIT tem quase três décadas, atuando em projetos ligados ao setor de Defesa. O primeiro grande projeto da empresa foi a instalação do sistema de comunicação em VHF para controle do tráfego aéreo do CINDACTA II, realizado entre os anos de 1986 e 1990. Com essa experiência, a empresa fortaleceu-se no fornecimento de serviços especializados de implantação e manutenção da navegação aérea, em telecomunicações e em obras civis para instalação desses sistemas.

Em 1999, a IACIT conquistou a certificação ISO 9000. Na década de 2000, a empresa experimentou um crescimento bastante acentuado e em uma ação mais ousada, no final de 2008 , decidiu criar sua Engenharia de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação e montar a unidade fabril.

A partir de 2008 foi acrescentada ao seu rol de produtos a meteorologia radar, tendo dois radares meteorológicos fabricados nesses três anos. Atualmente, a IACIT é a única empresa brasileira fabricante de auxílios de rádio à navegação aérea e fabrica também rádios de comunicação, radares meteorológicos e sistemas aplicados à contagem do tráfego terrestre.