13 de Junho, 2012 - 05:27 ( Brasília )

Aviação

Força Aérea Colombiana participará do RED FLAG 2012


Pela primeira vez na história da Colômbia, os pilotos de combate da Força Aérea Colombiana participarão do Red Flag, o mais importante certame de aviação militar do mundo que se realiza na Base Aérea Nellis da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), em Las Vegas, Nevada. Sua participação representa um reconhecimento ao profissionalismo e à perícia que caracterizam os integrantes da Força Aérea mais operativa da América Latina.

Esta conquista sem precedentes permitirá à Colômbia demonstrar suas capacidades no campo da aviação de combate, em um encontro do qual só participam as forças aéreas dos países membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte. No Red Flag 2012 serão testadas as habilidades e a resistência em voo dos pilotos e aeronaves, entre elas o caça-bombardeiro Kfir C-10, que enfrentará complexas missões simuladas sob um ambiente de alta exigência.

Este fato mereceu o reconhecimento do presidente colombiano Juan Manuel Santos que, em seu discurso durante a cerimônia militar que comemorou os 92 anos da Força Aérea, expressou: “…Pela primeira vez na história, a Força Aérea foi convidada a participar desta competição internacional. Precisava antes, no entanto, passar pelas provas (…). Estamos competindo com os grandes, entramos pela porta da frente, como uma Força Aérea respeitada e respeitável, como uma Força Aérea admirada por todo o continente, como posso constatar todas as vezes em que vou a qualquer país”.

O caminho da vitória

Tudo começou em fevereiro de 2011, quando os melhores pilotos, técnicos de manutenção, especialistas em segurança aérea, entre outras especialidades da Força, chegaram ao Comando Aéreo de Combate No 3 Malambo, no Atlântico. Ali tiveram início as extenuantes jornadas de treinamentos e verificações das aeronaves que lhes permitiram ter a oportunidade de estar nas grandes ligas da aviação militar.

“Começamos às 6h e encerramos tarde, mas este esforço vale a pena, porque estamos vendo o progresso do esquadrão”, disse o Major Edwin Vargas, comandante do Esquadrão de Combate 111 da equipe Kfir.

Todas as atividades são realizadas em inglês, com uma linguagem aeronáutica especializada que foi avaliada por membros da USAF. Todos os dias, a partir das 5h da manhã, eram feitas inspeções, revisão das missões, exercícios de combate e abastecimento em voo, missões de controle e auxílio para a identificação de ameaças, tudo sob a observação dos jurados, atentos sobretudo ao critério da segurança. Na medida em que os exercícios avançavam, exigia-se e pressionava-se mais, até que chegou o dia da avaliação final, em novembro.

Reunido no auditório Awatawa do CACOM 3, o grupo de militares da USAF iniciou a avaliação de cada quesito. Todos os pilotos e tripulantes colombianos estavam na expectativa do desempenho geral, até que um dos oficiais da delegação falou de uma maneira particular: “Bem-vindos a Las Vegas!”, foram as palavras de boas vindas às grandes ligas da aviação militar. Os integrantes da Força Aérea Colombiana irromperam em um sonoro aplauso de reconhecimento pelos vários meses de rigorosa preparação e sacrifício, refletidos na satisfação do dever cumprido.

Participaram deste exercício, em especial, os pilotos do esquadrão 111 Kfir, o Boeing KC 767 Júpiter e o Grupo Técnico do CACOM 1.

“Como piloto de combate, sempre se aspira a estar entre os melhores e chegar a comandar um avião como o Kfir, que é tão estratégico para o país; isto sempre será um orgulho, mas fazer parte de um evento tão importante” era o sentimento dos pilotos, especialmente do Major Óscar Sánchez Velandía, piloto instrutor do avião Kfir.

O Tenente-Coronel David Keessey, comandante do Esquadrão de Apoio Aéreo da Força Aérea dos EUA, foi um dos primeiros oficiais a reconhecer a capacidade de nossos cidadãos. “São os melhores pilotos de combate da Colômbia e, tenho certeza, da América Latina”.