21 de Março, 2012 - 09:49 ( Brasília )

Aviação

FAB - TRANSPORTEX 2012 - Aeronaves de transporte da Força Aérea Brasileira lançam paraquedistas em Belém


As aeronaves do Exercício Operacional TRANSPORTEX 2012 decolaram  de hoje (20/03), às 9h10, em direção à zona de lançamento Fazenda Santa Emília, em Belém (PA), para realizar missão de assalto aeroterrestre. Dois C-130 Hércules, dois C-105 Amazonas e seis C-95 Bandeirante foram escoltados por dois caças F-5EM e acompanhados por uma aeronave E-99. O objetivo da formação era o lançamento de paraquedistas da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército Brasileiro e de cargas em uma zona de guerra fictícia.

O C-130 Hércules do Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1o/1o GT), Esquadrão Gordo, liderou a formação de aeronaves. “Cada líder tem de se preocupar com a navegação, a rota e a segurança dos envolvidos na formação. Em uma missão real, ele vai enfrentar dificuldades, como o tráfego aéreo inimigo e a aproximação entre as próprias aeronaves da formação”, explica o Major-Aviador André Luiz Pereira de Souza, que comandou a formação.

A missão das aeronaves envolvidas no assalto aeroterrestre começou dois dias antes do lançamento de paraquedistas, com o salto da equipe precursora da Brigada de Infantaria Paraquedista a cerca de 15 km de distância do ponto escolhido. “A tropa vai se concentrar no ponto escolhido pela equipe precursora. A partir dali, a aeronave da FAB lança os paraquedistas, para que eles retomem um território ocupado ou marque presença em uma determinada área”, frisa o Major André.

Missão Conjunta

O exercício que culminou com os lançamentos na manhã de hoje começou há dois dias, quando os precursores da Brigada Paraquedista saltaram no terreno escolhido para a infiltração, ou seja, o local onde os outros paraquedistas serão lançados. O precursor é o militar responsável pelo lançamento de toda a equipe e pela preparação do terreno para o assalto aeroterrestre. Além disso, ele faz o balizamento do terreno, verifica as condições climáticas, faz boletins de meteorológicos de hora em hora (METAR) e vê a direção e a intensidade do vento para achar a melhor localização para a letra-código. o direcionamento da aeronave para o ponto específico da carta de navegação. No caso de uma missão real, 12 a 18 precursores participam fazem a infiltração - aterrissam - no terreno.

De acordo com o Capitão de Infantaria do Exército Brasileiro Ricardo Português, a Brigada de Infantaria Paraquedista vê o Exercício Operacional TRANSPORTEX 2012 como um ganho operacional para os militares do Exército. “O exercício operacional tem sido de grande valia para a Brigada por causa do lançamento de cargas. Faz muito tempo que não realizamos estudos de lançamento de cargas médias e pesadas, e isto é importante porque temos militares que preparam e lançam cargas para as tropas da Brigada e para o Exército. A Brigada também está aprimorando os estudos com o NVG (óculos de visão noturna) nos exercícios noturnos”, conta o capitão.