01 de Agosto, 2011 - 09:20 ( Brasília )

Aviação

Boeing sai da pista e se parte em dois ao pousar na Guiana


Um avião que fazia o percurso entre Nova York e Georgetown, na Guiana, caiu e se partiu em dois ao pousar no aeroporto da cidade neste sábado. O avião tinha acabado de pousar na pista do Aeroporto Internacional Cheddi Jagan, em uma madrugada de muita chuva. Os passageiros aplaudiam o piloto quando o avião derrapou no final da pista de pouso. No total o Boeing 737-800 da Caribbean Airlines levava 163 pessoas a bordo. Muitos ficaram feridos, mas não houve mortes.

Segundo uma declaração da Caribbean Airlines, o voo BW-523 levava 157 passageiros e seis tripulantes quando ocorreu o acidente. As equipes de resgate tiveram dificuldade para retirar os feridos e outros passageiros dos destroços do avião devido à escuridão. Uma mulher entrevistada pela agência de notícias da Guiana Kaieteur News Service, que estava dentro do avião, descreveu um barulho muito alto quando a aeronave pousou e afirmou que todos começaram a gritar.

O marido dela abriu a porta de emergência e os passageiros começaram a escapar. Outro passageiro, Adis Cambridge, disse à agência que chegou a bater a cabeça no teto do avião. "Percebi que tudo estava em cima de mim, pessoas e malas", afirmou. Geeta Ramsingh, que também estava no voo, disse à agência de notícias AP que os passageiros aplaudiram quando o avião conseguiu pousar no aeropodeo de Georgetown, mas os aplausos rapidamente se transformaram em gritos. "O avião ganhou velocidade como se estivesse tentando decolar de novo. Então eu senti cheiro de gasolina na cabine e as pessoas começaram a gritar", disse.

Aeroporto fechado
As autoridades de saúde do governo da Guiana informaram que mais de 30 pessoas foram levadas para o hospital depois do acidente. O aeroporto foi temporariamente fechado e centenas de passageiros ficaram no saguão devido ao atraso de dezenas de voos. Kristopher Kimlin, que estava no aeroporto tentando sair da Guiana, disse à BBC que houve "caos" depois do acidente.

"O aerporto simplesmente não está preparado para lidar com este tipo de situação", disse. "Há filas de pessoas em volta de todo o terminal e saindo pela porta." O principal terminal foi reaberto no sábado para apenas alguns aviões pequenos.