16 de Outubro, 2015 - 11:30 ( Brasília )

Aviação

Colômbia sedia a Primeira Conferência Internacional de Aviação do Exército na América do Sul


English version

Robert Shaw

A Divisão de Assalto Aéreo do Exército Nacional Colombiano (DAVAA) realizou a Primeira Conferência Internacional de Aviação do Exército na América do Sul (CIAVEC 2015) de 22 a 24 de setembro, um encontro nos arredores de Bogotá para compartilhar experiências globais na luta contra o terrorismo, narcotráfico e crime organizado dos últimos 20 anos.

“Esta foi uma oportunidade para a nossa Divisão de Assalto Aéreo mostrar os enormes esforços e capacidades de nossas forças especiais na luta contra os grupos armados ilegais nas últimas duas décadas”, disse o comandante da DAVAA, General Emiro José Barrios Jiménez, em entrevista a Diálogo .

O encontro representou também uma oportunidade chave para comandantes de aviação do Exército de mais de 20 países compartilharem as lições aprendidas no planejamento e execução de operações militares, que inclui missões internacionais de paz e iniciativas multinacionais.

Na abertura da conferência, o ministro da Defesa da Colômbia, Luis Carlos Villegas, reconheceu a capacidade e a profundidade da Divisão de Aviação de seu país e destacou a contribuição da DAVAA para o desenvolvimento e a busca da paz em todo o país. No segundo e terceiro dias do encontro, o Gen. Barrios falou sobre as capacidades de sua divisão, quando os participantes assistiram a várias demonstrações de operações antidrogas e aeroterrestres nas bases aéreas do Exército em Larandia e Tolemaida, próximas a Bogotá.

“Hoje, vemos os frutos do nosso trabalho no processo de paz que finalmente caminha na direção certa, sobretudo em relação às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).”
 

DAVAA combate grupos criminosos

Oficiais das Forças Armadas também apresentaram a evolução da aviação militar do país em um período de 50 anos, que inclui o início da luta contra o tráfico internacional de drogas.

“A Divisão de Assalto Aéreo do Exército liderou os principais ataques [contra os grupos armados ilegais do país] que nos levaram para tão perto de conseguir a paz hoje e também trouxe maior mobilidade, desenvolvimento e assistência humanitária para as áreas mais remotas da Colômbia”, afirmou o ministro da Defesa, Luis Carlos Villegas, em seu discurso de abertura.

Desde 1 de janeiro, a DAVAA e da Brigada Especial Antinarcóticos destruíram 157 laboratórios de drogas e cinco fábricas de cristalização que as organizações criminosas utilizavam para produzir pasta de coca – o principal ingrediente usado para fazer cocaína. Elas também erradicaram mais de 34.000 hectares de cultivos ilícitos.

“Trabalhamos com o governo para capturar os principais chefões do narcotráfico a cada semana que passa”, acrescentou o Gen. Barrios. ”Desenvolvemos nossas táticas em torno das nossas capacidades de assalto aéreo de alta velocidade e nossa habilidade para chegar rapidamente e pegar o inimigo de surpresa. Nossas tropas desenvolveram capacidades altamente especializadas em operações de assalto aéreo que exigem planejamento pormenorizado. A realização dessas missões no período noturno em ambientes complexos como a selva amazônica demonstra nossas habilidades profissionais de alto nível.”

Essas habilidades, afirma o ministro da Defesa Villegas, estão no centro dos futuros planos de segurança do país. “Não consigo imaginar o período pós-conflito na Colômbia sem uma Divisão de Aviação do Exército forte, que possa reconstruir territórios e trazer uma paz estável e duradoura para uma nova Colômbia.”

Apoio humanitário e logístico

Esses esforços de reconstrução geralmente demandam ajuda humanitária e apoio logístico, ações que as tripulações e aeronaves da DAVAA têm prestado frequentemente durante os desastres naturais. O apoio inclui o transporte de ajuda como suprimentos médicos, alimentos e água para as comunidades vulneráveis em regiões remotas do país. Nas últimas semanas, por exemplo, a divisão utilizou uma de suas aeronaves para transportar mais de 5 toneladas de material de socorro, o que incluiu alimentos, roupas e remédios para os colombianos afetados pelo conflito de fronteira entre Colômbia e Venezuela.

Além disso, entre 2002 e 2015, a Companhia de Busca e Resgate de Combate (C-SAR), que integra a DAVAA, realizou 1.300 operações de busca e salvamento em todo o país. Enquanto isso, a Companhia de Bombeiros Aeronáuticos do 25º Batalhão do Exército, que também é subordinada à DAVAA, deu sua própria contribuição para os esforços de resgate no país no combate a quase 50 incêndios florestais nos departamentos de Boyacá, Cundinamarca e Tolima. A unidade utiliza baldes suspensos “Bambi Buckets” para derramar entre 400 e 500 litros de uma mistura de água e produtos químicos retardadores para apagar as chamas.

Construindo parcerias regionais e globais

A conferência da DAVAA também forneceu uma plataforma para o desenvolvimento de relações fraternas e de cooperação em questões de segurança e defesa para enfrentar os desafios das ameaças futuras.

No último dia da conferência, o Gen. Barrios agradeceu às delegações internacionais pela participação no evento e afirmou que a CIAVEC deve continuar a fortalecer os laços entre amigos e o compartilhamento de experiências entre os exércitos com preocupações semelhantes.

“Esperamos que essas habilidades especializadas expostas na conferência incentivem organismos internacionais como a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e a UNASUR (União das Nações Sul-Americanas) para nos empregar na manutenção da paz mundial e missões humanitárias”, concluiu.

Além do General Juan Pablo Rodriguez, comandante-geral das Forças Armadas da Colômbia; do General de Divisão Kevin Mangum, subcomandante/chefe do Estado-Maior dos EUA, Comando de Treinamento e Doutrina do Exército dos EUA (TRADOC), participaram da conferência altas autoridades da Polícia Nacional e do Exército da Colômbia e seus colegas de Honduras, Guatemala e do Reino Unido.