14 de Janeiro, 2014 - 10:55 ( Brasília )

Aviação

Airbus registra maior venda anual de aviões da história


O Estado de Minas


A fabricante europeia de aeronaves Airbus superou a rival norte-americana Boeing com vendas e pedidos recorde no ano passado, o que significa o melhor resultado comercial da história da aeronáutica. Em 2013, a empresa recebeu 1.503 pedidos líquidos, após cancelamentos. Isso comparado aos 1.355 pedidos feitos à Boeing. O número total de pedidos à Airbus é um recorde para todo o setor.

O Airbus também disse que, no final do ano passado, recebeu um número recorde de pedidos para fabricar 5.559 aeronaves, equivalente a oito anos de produção. Os resultados publicados pela Boeing no dia 6 de janeiro mostraram que a empresa dos EUA teve um total de pedidos de 5.080 aeronaves. Contudo, no ano passado, a Airbus entregou 626 aviões, abaixo da Boeing que entregou 648 aeronaves.

Em 2012, a Boeing superou a Airbus em termos de pedidos e entregas. O fabricante europeu afirma que sua participação no mercado mundial é de 51% no segmento de aeronaves com mais de 100 lugares.

A Airbus comemorou, em um comunicado, a tendência das companhias aéreas de escolher aviões maiores, "o que é um resultado positivo para as receitas". Segundo o preço de catálogo, os pedidos significam 240,5 bilhões de dólares, mas as companhias aéreas costumam oferecer descontos. Estas receitas aparecerão nos resultados anuais da casa matriz, Airbus Group (ex-EADS), que devem ser publicadas dia 26 de fevereiro.

O presidente da Airbus, Fabrice Brégier, afirmou que todos os programas vão por um bom caminho. A entrada em serviço do novo A350 de longa distância, cuja fabricação usa mais de 50% de carbono, está prevista para finais de 2015. "Os riscos deste programa diminuem todos os dias", disse.

Aumentar o ritmo de produção?

O A320neo, versão modernizada do A320 de médio alcance deve realizar seu primeiro voo em 2014, embora o modelo atual continua sendo muito vendido a ponto de a Airbus considerar aumentar seu ritmo de produção.

"Se o mercado continuar positivo, se os clientes precisam de mais aeronaves, acredito que seria tolo não aumentar (a produção) novamente", disse o presidente da Airbus, Fabrice Bregier, a jornalistas antes de a empresa publicar seus resultados anuais.

A Airbus está produzindo 42 aeronaves A320 por mês e tinha dito que não queria aumentar essa taxa de produção até que tenha convertido sua produção para a versão mais recente e mais eficiente, o A320neo. "Acreditamos que há potencial para ir mais longe que a taxa de 42. Há um lado positivo e estamos estudando isso. Alguns desses pontos, confirmaremos nos próximos meses", disse Bregier.

Depois de 2018, "quando mudarmos para a nova aeronave, sabemos que aumentaremos novamente, não importa o que façamos agora ou não, sabemos que aumentaremos novamente". A Airbus recebeu pedidos de 377 aeronaves A320 no ano passado e mais de 1.000 pedidos desde que anunciou, no final de 2010, o lançamento do A320 neo.