27 de Maio, 2013 - 10:32 ( Brasília )

Armas

Índia testa com sucesso o novo míssil BrahMos

Segundo informou o Ministério da Defesa da Índia, este país testou com sucesso a versão naval do míssil de cruzeiro BrahMos.

Gueorgui Vanetsov

O míssil tem a capacidade para atingir alvos a uma distância de 290 km, incluindo alvos terrestres a 10 m da superfície do solo. O BrahMos já equipa as forças terrestres indianas e navios de superfície da Marinha de Guerra da Índia. Em março foi realizado pela primeira vez com sucesso a versão para submarinos do míssil de cruzeiro BrahMos. Ao longo do ano deverão ser realizados os testes do míssil de baseamento aéreo.

Os testes da versão naval foram realizados no âmbito do conjunto de testes do armamento instalado na fragata Tarkash, construída na Rússia. Os navios do projeto 11356, que incluem a Tarkash, se destinam a combate autônomo em áreas marítimas e oceânicas ou em esquadras na qualidade de navios de escolta.

As suas capacidades de combate permitem realizar missões de deteção e destruição de submarinos inimigos, de defesa antinavio, antiaérea e antissubmarino de navios de guerra ou comerciais em alto mar, de apoio a operações militares terrestres e realizar apoio a operações de desembarque.

Os mísseis BrahMos irão equipar as três fragatas que a Rússia construiu para a Índia: a Tarkash, a Teg e a Trikand. Os primeiros dois navios já foram incorporados na Marinha de Guerra indiana. A chegada da Trikand, que virá de Kaliningrado, é esperada para breve.

O seu aparecimento na Marinha da Índia se destina a aumentar significativamente o seu poder de ataque. Os mísseis BrahMos deverão também equipar outros navios de combate da Marinha indiana. Isso inclui o porta-aviões Vikramaditya construído na Rússia, e que vai ser entregue à Marinha indiana durante o corrente ano, referiu o antigo chefe do Estado-Maior das Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia, Viktor Yesin:

“O míssil de cruzeiro BrahMos é um dos projetos conjuntos de sucesso entre a Rússia e a Índia, o que até se refletiu no seu nome. A empresa mista BrahMos Aerospace Limited foi batizada em honra de dois rios, o Brahmaputra e o rio Moscou. A empresa fabricante do míssil BrahMos tem a sua sede na Índia.

O míssil é fabricado com o esforço conjunto dos engenheiros russos e indianos, mas o papel principal foi atribuído aos especialistas indianos, em conformidade com o acordo assinado. Como base para a criação desse míssil foi tomado um míssil supersônico análogo russo, porém, o míssil fabricado na Índia já é, graças aos especialistas russos e indianos, a sua versão aperfeiçoada.

O míssil BrahMos tem uma elevada compatibilidade tecnológica. Ele é também largamente utilizado pelas forças terrestres indianas, nomeadamente as tropas de fronteira de Arunachal Pradesh e de outras regiões fronteiriças que já estão equipadas com esse míssil. Quanto á Força Aérea Indiana, ela também está a trabalhar intensamente. O míssil irá equipar os caças Su-30MKI e MiG-29.

O míssil BrahMos começou a ser introduzido nas Forças Armadas da Índia em 2005. Segundo as análises dos especialistas, no mundo ainda não existem mísseis idênticos a este, que tenham uma velocidade supersônica tão elevada.

Comparando com os mísseis da mesma classe, que estão hoje no ativo, o BrahMos possui as vantagens de ter o triplo da velocidade e um tempo de reação 3-4 vezes melhor. O míssil é pouco visível nos radares. Contudo, para não violar os acordos internacionais sobre não-proliferação de tecnologias de mísseis, o seu alcance foi limitado para 290 quilômetros.

O voo do míssil, cujo peso é de 3 t na sua versão de base, se realiza em altitudes entre os 10 e os 14 mil metros em trajetória variável. O míssil pode contornar facilmente os obstáculos que encontra, montanhas, colinas e outros, atingindo os alvos que se encontram protegidos por eles. Com esse míssil funciona na prática o princípio “dispara e esquece”: ele próprio vai à procura do alvo.