COBERTURA ESPECIAL - Verde Brasil - Defesa

15 de Maio, 2020 - 11:40 ( Brasília )

Operação Verde Brasil 2 apreende quase 10 mil metros cúbicos de madeira sob investigação


Tenente Felipe Bueno, com Comandos Conjuntos

Quase 10 mil metros cúbicos de madeira foram apreendidos por militares e agentes de órgãos governamentais desde a deflagração da Operação Verde Brasil 2, no começo desta semana. A origem da madeira será investigada, devido à suspeita de ter sido extraída ilegalmente.

Nas últimas 24 horas, 450 m³ de madeira apreendida foram transportados de Vila Samuel, em Rondônia, até o Departamento de Estradas de Rodagem de Rondônia, na capital, por militares da 17ª Companhia de Infantaria de Selva.

A Operação Verde Brasil 2 reúne os Comandos Conjuntos Príncipe da Beira, Marechal Soares de Andrea e Barão de Melgaço, baseados em Rondônia, Pará e Mato Grosso, respectivamente, devem empregar durante as ações 3.815 militares e 440 agentes, com apoio de 110 viaturas, 20 embarcações e 12 aeronaves.

O Comando Conjunto Príncipe da Beira garantiu a segurança e apoio logístico da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (SEDAM) no município de Cadeias do Jamari, em Rondônia, e realizou patrulhamento motorizado na Floresta Nacional de Jacundá, no mesmo Estado.

O Comando de Fronteira Acre/4° Batalhão de Infantaria de Selva ocupou uma nova base de operações na Unidade de Gestão Ambiental Integrada (UGAI) na Floresta Estadual do Afluente, no Acre, e realizou ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais no mesmo local e no Projeto de Assentamento Extrativista (PAE) do Antimary, em Boca do Acre, no Amazonas.

O Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea, no Pará, estabeleceu bases no 52º Batalhão de Infantaria de Selva, em Marabá, no 51º Batalhão de Infantaria de Selva, em Altamira, no 53º Batalhão de Infantaria de Selva, em Itaituba, e no 2° Batalhão de Infantaria de Selva, em Belém, todos municípios paraenses.

Em Cuiabá, capital mato-grossense, o Comando Conjunto Barão de Melgaço, instalado na 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, se reuniu com agências envolvidas na Operação para detalhar as ações a serem desenvolvidas. Na região de Ronuro, no mesmo Estado, o Comando investiga atividades de transporte e extração irregular, entre outras atividades.

Na capital do Brasil, o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) coordena a atividade aérea da Operação Verde Brasil 2. Até o momento, foram cumpridas 86 horas de voo por aeronaves da Marinha, do Exército e da Força Aérea Brasileira.

Operação Verde Brasil 2

A Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão deflagrada pelo Governo Federal, em 11 de maio de 2020, visa ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal.

A determinação presidencial para emprego das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicada no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.341, de 6 de maio de 2020, e tem validade para o período de 11 de maio a 10 de junho do corrente ano.

Para cumprir a determinação presidencial, o Ministério da Defesa ativou três Comandos Conjuntos. São eles: Comando Conjunto Príncipe da Beira (CCj PB), em Porto Velho (RO); Comando Conjunto Barão de Melgaço (CCj BM), em Cuiabá (MT); e Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (CCj MSA), em Belém (PA).

Assim como na Operação Verde Brasil ocorrida em 2019, o Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa coordena as atividades a partir de Brasília (DF).

Ainda participam da missão integrantes da Polícia Federal, Policia Rodoviária Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), Força Nacional de Segurança Pública, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


TOA

TOA

Última atualização 07 AGO, 17:00

MAIS LIDAS

Verde Brasil