COBERTURA ESPECIAL - Vant - Naval

28 de Junho, 2022 - 13:00 ( Brasília )

O primeiro lançamento do UAS ScanEagle na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia


A Marinha do Brasil, anunciou em sua mídia social Tweeter que o 1º Esquadrão de Aeronaves Remotamente Pilotadas, fez o primeiro lançamento da aeronave ScanEagle na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia-RJ.

O meio realizará atividades de inteligência, vigilância e reconhecimento, ampliando a capacidade operativa do poder naval da Marinha do Brasil.


 

Boeing Insitu ScanEagle

O Boeing Insitu ScanEagle é um veículo aéreo não tripulado (UAV) pequeno, de longa duração e baixa altitude construído pela Insitu, uma subsidiária da Boeing, e é usado para reconhecimento. O ScanEagle foi projetado pela Insitu com base no Insitu SeaScan, um UAV comercial destinado à observação marinha.

O ScanEagle continua recebendo melhorias por meio de atualizações e alterações. Design e desenvolvimento O ScanEagle é proveniente de outro UAV Insitu, o Insitu SeaScan, que foi concebido como um sensor remoto para coletar dados meteorológicos, bem como ajudar os pescadores comerciais a localizar e rastrear cardumes de atum.

A ScanEagle surgiu como resultado de uma aliança estratégica entre a Boeing e a Insitu. A tecnologia resultante foi bem-sucedida como um Sistema Aéreo Não Tripulado (UAS) portátil para vigilância autônoma no campo de batalha e foi implantado desde agosto de 2004 na Guerra do Iraque.

O ScanEagle carrega uma câmera eletro-óptica e/ou infravermelha estabilizada em um sistema de torre estabilizada por inércia leve e um sistema de comunicação integrado com um alcance de mais de 100 km; tem uma autonomia de voo de mais de 20 horas.

ScanEagle tem uma envergadura de 10,2 pés (3,1 m) um comprimento de 4,5 pés (1,4 m) e uma massa de 44 libras (20 kg) e pode operar até 80 nós (92 mph; 150 km/h), com uma média de velocidade de cruzeiro de 48 nós (55 mph; 89 km/h).

A aeronave Block D apresentava uma câmera de alta resolução, um transponder Modo C personalizado e um novo sistema de vídeo. Uma aeronave Block D, voando no campo de testes da Boeing em Boardman, Oregon, estabeleceu um recorde de resistência de tipo de 22 horas e 8 minutos.

O ScanEagle não precisa de aeródromo para implantação. Em vez disso, é lançado usando um lançador pneumático, patenteado pela Insitu, conhecido como lançador “SuperWedge”. Ele é recuperado usando o sistema de recuperação “Skyhook”, que usa um gancho na ponta da asa para pegar uma corda pendurada em um poste de 30 a 50 pés (9,1 a 15,2 m).

Isso é possível por unidades GPS diferenciais de alta qualidade montadas no topo do poste e no UAV. A corda é presa a um cordão de choque para reduzir o estresse na estrutura da aeronave imposto pela parada abrupta.

A NavtechGPS trabalhou com o fabricante do sistema receptor GPS para permitir que o sistema funcionasse em diferentes ambientes, expandindo as capacidades do UAS para diferentes tipos de missão e áreas do mundo.

O sistema receptor GPS NavtechGPS projetado para o ScanEagle ainda está em uso hoje. Cada sistema ScanEagle custa US$ 3,2 milhões (2006). Um sistema completo compreende quatro veículos aéreos ou AVs, uma estação de controle de solo, terminal de vídeo remoto, o sistema de lançamento SuperWedge e o sistema de recuperação Skyhook.


VEJA MAIS