COBERTURA ESPECIAL - US RU OTAN - Geopolítica

23 de Junho, 2022 - 11:50 ( Brasília )

Ucrânia busca dar passo para adesão à UE; batalhas em Donbas atingem "clímax temível"


A Ucrânia será aceita como candidata a se juntar à União Europeia nesta quinta-feira, uma medida que elevará o moral do país conforme a batalha com tropas russas por duas cidades no leste ucraniano atingiu o que uma autoridade chamou de "clímax temível".

Embora a aprovação do pedido do governo de Kiev pelos líderes da UE reunidos em Bruxelas seja apenas o começo do que será um processo de anos, isso marca uma enorme mudança geopolítica e irritará a Rússia.

Sexta-feira marcará quatro meses desde que o presidente russo, Vladimir Putin, enviou tropas através da fronteira no que ele chama de "operação militar especial" necessária, em parte, pela invasão ocidental no que a Rússia vê como sua esfera de influência.

O conflito, que o Ocidente classifica como uma guerra de agressão injustificada da Rússia, matou milhares, deslocou milhões e destruiu cidades, além de ter implicações em grande parte do mundo à medida que as exportações de alimentos e energia foram reduzidas.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, pediu aos aliados de seu país que acelerem os envios de armas pesadas para se igualar à Rússia no campo de batalha.

"Precisamos libertar nossa terra e alcançar a vitória, mas mais rapidamente, muito mais rapidamente", disse Zelenskiy em um discurso em vídeo na quinta-feira.

Os ataques aéreos e de artilharia maciços de Moscou visam destruir toda a região de Donbas, afirmou ele.

A Rússia concentrou sua campanha no sul e no leste da Ucrânia depois que seu avanço sobre a capital Kiev nos estágios iniciais do conflito foi frustrado pela obstinada resistência ucraniana.

A guerra em Donbas --coração industrial da Ucrânia-- é mais crítica nas cidades-gêmeas de Sievierodonetsk e Lysychansk, que ficam em lados opostos do rio Siverskyi Donets, na província de Luhansk.

A batalha lá está "entrando em uma espécie de clímax temível", disse Oleksiy Arestovych, conselheiro de Zelenskiy.

As forças ucranianas estavam defendendo Sievierodonetsk e os assentamentos próximos de Zolote e Vovchoyrovka, afirmou o governador de Luhansk, Serhiy Gaidai, na quinta-feira, mas as forças russas capturaram Loskutivka e Rai-Oleksandrivka ao sul.

Centenas de civis estão presos em uma fábrica de produtos químicos em Sievierodonetsk, enquanto a Ucrânia e a Rússia disputam quem controla a cidade bombardeada.

Moscou diz que as forças ucranianas na cidade estão cercadas e encurraladas. Mas Gaidai disse à televisão ucraniana na quarta-feira que as forças russas não tinham controle total de Sievierodonetsk.

Ucrânia aguarda "luz verde" para sua candidatura à União Europeia

A Ucrânia aguarda a "luz verde" dos 27 membros da União Europeia (UE), reunidos na quinta-feira e sexta-feira em Bruxelas, para que validem o status de país candidato à adesão ao bloco, quatro meses após o início da invasão russa.

"Esperamos a luz verde (...) O objetivo é claramente a adesão total à UE", declarou Andrii Yermak, chefe do gabinete presidencial ucraniano. O processo de integração ao bloco, no entanto, pode demorar anos.

"A Ucrânia merece o status de candidata", acrescentou Yerman no Telegram.

"Estamos prontos para começar a colocar em prática o plano da Comissão Europeia para iniciar as discussões a respeito", acrescentou.

A União Europeia (UE) está em um "momento decisivo" com a reunião para debater a concessão do status de candidatos à Ucrânia e Moldávia, afirmou nesta quinta-feira o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

"É um momento decisivo para a União Europeia (...) Acredito que hoje concederemos o status de candidatos para Ucrânia e Moldávia", disse o dirigente belga.

 


VEJA MAIS