COBERTURA ESPECIAL - US RU OTAN - Tecnologia

24 de Maio, 2022 - 10:00 ( Brasília )

GUERRA NA EUROPA: UCRÂNIA 2022 O Grande Mito Russo posto à prova: Carro de Combate T-90M “Proryv 3” destruído


GUERRA NA EUROPA: UCRÂNIA 2022

O Grande Mito Russo posto à prova: Carro de Combate T-90M “Proryv 3” destruído

 



No 75º dia de uma guerra na Europa, com a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de Fevereiro do corrente ano, continuamos a nos impressionar com as grandes perdas Russas em carros de combate (MBT) onde até o momento 643 foram destruídos, danificados, abandonados e capturados pelas forças ucranianas, e destes 19 são T-90A e um T-90M2017, e este último, será abordado no presente artigo, por ser uma perda significativa do mais moderno Carro de Combate Russo em operação neste conflito.

Nota DefesaNet

No 90º dia de Guerra na Ucrânia foram confirmadas as detruições de 700 Carros de Combate Russos destes 20 são os T90.

Veja o tuite da Oryx (@oryxspioenkop)


 
O T-90M “Proryv 3” (“Rompedor de Linhas Inimigas”, numa tradução mais literal), ocorrida em 04 de maio do corrente, nos arredores de Kharkiv, nas Batalhas por Stary Saltiv, foi destruído por um lança-rojão SAAB CSR Carl Gustav AT-4 de 84 mm, por soldados do 227º Batalhão Kharkiv e do 127º Batalhão, lembrando que o Exército Russo possui poucas unidades em operação deste veículo, algumas fontes dizem existirem de 9 a 20 unidades em serviço, tanto que somente 7 desfilaram na parada da Vitória de 9 de Maio do corrente (77 anos do final da Segunda Guerra Mundial,1939-1945).

Este Carro de Combate chama a atenção por ser o mais moderno em serviço no Exército Russo, lembrando que o T-14 Armata ainda não está operacional, apenas em testes, e sem sombra de dúvida esta perda desastrosa para os russos visto que este novo blindado durou pouquíssimo tempo no campo de batalha, mostrando-se extremamente vulnerável às armas anticarro usadas pelos ucranianos neste conflito. É sem sombra de dúvida um Carro de Combate de 3ª geração com muitos itens similares aos modernos ocidentais, mas com problemas crônicos de design que remontam a era Soviética (1922–1991).







Clique para expandir as imagens

Fotos - Carro de Combate Russo T-90M e alguns dos incorporados a uma unidade do Exército Russo, quando de sua primeira apresentação no desfile militar do Dia da Vitória, em 09 de maio de 2020 em Moscou.

O curioso é que o modelo com mais perdas dentro da força blindada russa na Ucrânia é precisamente o modelo em que foi baseado o T-90, ou seja, o conhecido T-72 desenvolvido ainda na era Soviética, sendo o mais produzido no período de 1973 a 1990, totalizando 22.096 unidades de todas as versões.

A União Soviética possuía cinco fábricas de Carros de Combate em 1980 e com o seu fim em 1991 apenas três sobreviveram e destas somente duas ficaram na Federação Russa, ficando a terceira na Ucrânia na cidade de Kharkov (Kharkiv), considerado o principal centro de projeto e produção de tanques soviéticos, tendo produzido 800 carros de combate T-80U em 1991 e para comparação, a produção total de carros de combate na União Soviética em 1987 foi de 3.254 e em 1991 caiu para 1.000 e foi sendo reduzida gradualmente nos anos seguintes.

Esta redução pode ser vista na prática durante a guerra na Ucrânia com as elevadas perdas russas neste segmento, o que tem gerado sérios problemas em sua frota blindada, visto que em setembro de 2021 a Rússia possuía 2.573 Carros de Combate dos modelos T-72, T-80 e T-90 em todas as suas versões em condições operacionais.

O T-90M2017 “Proryv-3” é uma variante atualizada da versão de exportação do T-90MS Carro de Combate Principal (MBT) desenvolvido e projetado pela empresa russa Uralvagonzavod e exportado a países como Índia, Argélia, e em versões anteriores a Chipre e Turquimenistão, por exemplo, além de outros.

Seu armamento principal consiste de um novo canhão de alma lisa modelo 2A46M-4 de 125 mm, estabilizado, permitindo tiro em movimento, capaz de disparar diversos tipos de munições APFSDS, HE e HE-FRAG, bem como mísseis guiados antitanque (ATGM) 9M119 Refleks (NATO Code AT-11 Sniper-B). Possui ainda uma metralhadora coaxial PKT de 7,62 mm montada à direita do canhão, e logo atrás da escotilha do comandante está montada uma estação de armas operada remotamente, armada com uma metralhadora pesada NSVT 12,7 mm.

O T-90M2017 carrega um total de 43 munições para seu canhão de 125 mm, incluindo os mísseis, sendo 22 munições no carrossel no interior do veículo, o qual possui um novo desenho, porém a tripulação continua sobre o mesmo, e as demais 21 munições estão num compartimento na parte traseira e na torre. O T-90M2017 é o primeiro carro de combate russo a usar este sistema, similar aos Carros de Combate ocidentais M1A2 Abrams e Leopard 2A7 dando maior proteção à tripulação, visto possuir uma porta corta foto entre a munição e a tripulação, transporta também de 1250 munições de 7,62mm para a metralhadora coaxial e 300 munições para a metralhada de 12,7 mm. É o modelo de carro de combate russo mais aprimorado em termos de proteção, mobilidade e poder de fogo.

Seu layout é semelhante a todos da família T-90 e seus derivados, com um motorista à frente, uma torre no centro e o motor na parte traseira, muito embora apresente um novo design de torre totalmente soldado, protegido por blindagem Relikt ERA (Explosive Reactive Armor) instalada na sua parte frontal e em cada lado da torre, com maior desempenho de proteção e facilidade de manutenção em comparação a anterior Kontakt-5 ERA existente em diversos modelos de outros carros de combate, fornecendo proteção contra ogivas em tandem e significativamente reduzindo a penetração de munição APFSDS, segundo o fabricante, estando a carcaça protegida em sua parte frontal por blindagem ERA modular e cada uma das laterais são protegidas por blindagens adicionais do tipo saias laterais de borracha com placas de blindagem embutidas e ao redor da torre possui um rede metálica para proteção com armas do tipo RPG (Lança-rojão) e na sua parte traseira por blindagem “gaiola”.
 
Sua tripulação é composta por três homens, um motorista na parte central da frente, e mais dois na torre, artilheiro à esquerda e comandante à direita, com sistema NBC, sistema de detecção e extinção de incêndio e sistema de proteção ativa e seu interior é revestido com forro de proteção similar a um kevlar.

O seu peso é da ordem de 46.500 kg, velocidade máxima de 60 km/h, e autonomia de 550 km, possuindo um motor diesel Multi combustível V92S2 de 1130 HP, equipado com unidade de energia auxiliar, que alimenta todos os sistemas, quando o motor principal é desligado.

Clique na imagem abaaixo para acesar a íntegra do trabalho do pesquisador Expedito Bastos em formato PDF



VEJA MAIS