COBERTURA ESPECIAL - Think Tank - Tecnologia

12 de Dezembro, 2021 - 22:00 ( Brasília )

NEGÓCIOS, COMO SEMPRE? Vendas das Top 100 Maiores Empresas de Defesa do SIPRI Continuam crescendo em meio à Pandemia



Nota:Clique nas imagens para expandir



(Estocolmo, 6 de dezembro 2021) As vendas das 100 maiores empresas de armas totalizaram US$531 bilhões de dólares em 2020 – um aumento real de 1,3 % comparado ao ano anterior.

Isso de acordo com os novos dados publicados hoje pelo Instituto Internacional de Estudos para a Paz de Estocolmo (SIPRI) As vendas do Top 100 de empresas de armas em 2020 foram 17% maiores que em 2015 – o primeiro ano para o qual o SIPRI incluiu dados sobre empresas chinesas. O aumento mais recente é o sexto ano consecutivo de crescimento nas vendas de armas do Top 100. Indústria de armas resiste à pandemia de Covid-19 e à recessão econômica As vendas de armas cresceram a despeito da queda de 3,1 %  na economia mundial durante o primeiro ano da pandemia.



‘Os gigantes da indústria foram protegidos em grande medida por uma contínua demanda governamental por bens e serviços militares’, disse Alexandra Marksteiner, Pesquisadora do Programa de Gastos Militares e Produção de Armamentos do SIPRI. ‘Em grande parte do mundo, os gastos militares cresceram e alguns governos aceleraram os pagamentos à indústria de armas como forma de mitigar o impacto da crise do Covid-19’.

Entretanto, operar no setor militar não implica necessariamente em imunidade contra os efeitos da pandemia. A empresa de armamentos francesa Thales, por exemplo, atribuiu a queda de 5,8% nas suas vendas de armas às medidas de confinamento implementadas na primavera de 2020. Algumas empresas também reportaram interrupções na cadeia de produção e atrasos nas entregas. Empresas Norte-americanas continuam a dominar o ranking Os Estados Unidos novamente sediam o maior número de empresas no Top 100. Combinadas, as vendas de armas das 41 empresas sediadas nos Estados Unidos somam US$ 285 bilhões de dólares— um aumento de 1,9% comparado a 2019—e representam 54 por cento do total do Top 100.




Desde 2018, as cinco maiores empresas de armas no ranking têm sido norte-americanas. A indústria de armas norte-americana está passando por uma onda de fusões e aquisições. Como forma de ampliar seus portfólios e obter uma vantagem competitiva nas licitações por contratos, várias empresas grandes estão optando por fusões ou por adquirir empreendimentos promissores. ‘Essa tendência é particularmente pronunciada no setor espacial’, disse Marksteiner. ‘Northrop Grumman e KBR estão entre as várias empresas que adquiriram empresas de alto valor especializadas em tecnologia espacial’.

Empresas chinesas somam a segunda maior parcela do total de vendas do Top 100 As vendas de armas das cinco empresas chinesas incluídas no Top 100 somaram um total estimado de US$66.8 bilhões de dólares em 2020, um aumento de 1,5 % comparado com 2019. As vendas das empresas chinesas foram equivalentes a 13 por cento do total do Top 100 em 2020. Essa parcela é menor que a dos Estados Unidos, mas maior que a do Reino Unido, que compôs a terceira maior parcela. ‘Nos últimos anos, as empresas chinesas se beneficiaram dos programas de modernização militar do país e do foco na fusão entre o campo militar e o civil’, disse o Dr. Nan Tian, Pesquisador Sênior do SIPRI.



‘Essas empresas se tornaram algumas das mais importantes produtoras de tecnologia militar avançada do mundo’. A NORINCO, por exemplo, codesenvolveu o sistema de navegação a satélite civilmilitar BeiDou e aprofundou seu envolvimento em tecnologias emergentes. Resultados mistos entre as empresas de armas europeias As vendas de armas das 26 empresas europeias no Top 100 somaram em conjunto US$109 bilhões de dólares, ou 21 % do total do Top 100. As sete empresas britânicas totalizaram US$37.5 bilhões de dólares em vendas de armas em 2020.

O valor representa um aumento de 6,2 % comparado a 2019. As vendas de armas da BAE Systems – a única empresa europeia no top 10 – aumentaram em 6,6 % , alcançando o valor de US$24.0 bilhões de dólares. ‘A soma das vendas de armas das seis empresas francesas no Top 100 caiu 7,7 %’, disse a Dra. Lucie Béraud-Sudreau, Diretora do Programa de Gastos Militares e Produção de Armamentos do SIPRI.

‘Essa queda significativa resulta em grande medida da diminuição abrupta nas entregas da aeronave de combate Rafale produzida pela Dassault. Entretanto, as vendas de armas da Safran cresceram, impulsionadas pelas vendas de sistemas de observação e navegação.’ As vendas de armas das quatro empresas alemãs no Top 100 alcançaram US$ 8,9 bilhões de dólares em 2020—um aumento de 1,3 % comparado a 2019.

Combinadas, essas empresas corresponderam a 1,7 % do total de vendas de armas do Top 100.

Rheinmetall—a maior fabricante de armas da Alemanha—teve um aumento de 5,2 % nas vendas de armas. A fabricante naval ThyssenKrupp, por outro lado, teve uma queda de 3,7%.

Vendas de armas russas caem pelo terceiro ano consecutivo As vendas de armas das nove empresas russas no Top 100 caíram de US$ 28,2 bilhões de dólares em 2019 para US$ 26,4 bilhões de dólares em 2020—uma queda de 6,5 %. O decréscimo recente continua uma tendência observada desde 2017, quando as vendas de armas de empresas russas alcançaram seu ápice. As empresas russas representaram 5 por cento do total de vendas de armas do Top 100. Algumas das quedas mais acentuadas no Top 100 ocorreram em empresas russas. Isso coincidiu com o fim do Programa Estatal de Armamento 2011-2020 e com atrasos nas entregas de armas relacionados à pandemia. Almaz-Antey e United Shipbuilding Corporation tiveram quedas em suas vendas de armas de 31 por cento e 11 por cento, respectivamente.

Por outro lado, a United Aircraft Corporation aumentou suas vendas de armas em 16 %. Outro desenvolvimento importante na indústria de armas russa foi a diversificação de suas linhas de produção. As empresas russas estão implementando uma política governamental para aumentar a proporção de vendas de produtos civis para 30 % até 2025 e para 50 % até 2030. Outros acontecimentos notáveis no Top 100

• Em conjunto, as vendas de armas das empresas no Top 100 sediadas fora dos Estados Unidos, China, Rússia e Europa totalizaram US$43.1 bilhões de dólares em 2020—um aumento de 3.4 por cento desde 2019. Isso representa 8,1 % do total de vendas de armas do Top 100.

• As vendas de armas das três empresas israelenses listadas no Top 100 alcançaram US$ 10,4 bilhões de dólares, ou 2,0 % do total.

• O total de vendas de armas das cinco empresas japonesas no ranking foi de US$ 9,9 bilhões de dólares em 2020, ou 1,9 % do total.

• Quatro empresas sul coreanas foram incluídas no ranking. A venda total dessas empresas foi de US$ 6,5 bilhões de dólares em 2020, um aumento anual de 4,6 %.

• A venda de armas combinada das três empresas indianas no Top 100 cresceu 1,7%. Em 2020, o governo indiano anunciou uma proibição gradual das importações de certos tipos de equipamentos militares para fomentar a autossuficiência na produção de armamentos.

Clique na imagem abaixo para acessar o documento na íntegra em formato PDF


 


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Pandemic War

Pandemic War

Última atualização 18 JAN, 21:40

MAIS LIDAS

Think Tank