COBERTURA ESPECIAL - TOAS - Naval

31 de Dezembro, 2020 - 01:55 ( Brasília )

Argentina – EUA – Aproximação Inédita – Navio da US Coast Guard para combater a pesca ilegal no Atlântico Sul

Um navio patrulha dos EUA chegará aos portos argentinos em janeiro para combater a pesca ilegal. É o USCGC 758 Stone, que terá recepção na Prefeitura Naval em Mar del Plata.


Natasha Niebieskikwiat
Clarin

Buenos Aires, Argentina


No site da Guarda Costeira Americana (US Coast Guard), é relatado que será "o primeiro Navio Patrulha a operar na América do Sul, pelo menos em tempo recente" e que envolverá "parceiros" como Argentina, Brasil, Guiana, Uruguai e Portugal.

Esses sites falam que a da operação, chamada Southrern Cross (Cruzeiro do Sul), que iniciará em alguns dias no Atlântico Sul,  o navio patrulha norte-americano USCGC 758 Stone (United States Coast Guard Cutter), não passa despercebida.

Acontece que o Cutter (Patrulha Oceânico) norte-americano terá um alto nível de cooperação com governo de Alberto Fernández e de sua ministra de Segurança, Sabina Frederic - que administra a Prefeitura Naval e portanto seus vínculos - em atividades, que foram suspensas ou diminuídas durante a gestão da ex-presidente Cristina Kirchner em decorrência dos conflitos - hiperideologizados - com Washington que afetaram o intercâmbio em Defesa e Segurança. 

As reuniões agora acontecem não apenas em um cenário de zigue-zague, embora mais fluido, do que antes de 2015 - Mauricio Macri restabeleceu a relação -, mas o navio USCGC Stone é esperado no porto de Mar del Plata para janeiro. Não tem dia programado, mas terá uma recepção adaptada à pandemia durante o primeiro mês de janeiro, que coincide precisamente com a posse de Joe Biden, com quem Fernández busca uma reaproximação.

Embora o USCGC seja um navio Patrulha Oceânico e operado pela  Guarda Costeira, tem a missão de Segurança Nacional, sua inusitada presença  nesta área lembra as atividades da frota de combate da US Navy sob o controle Comando Sul (US SOUTHCOM), que sensibilizava os dois países para seus atos de dissuasão durante a guerra Fria. E isso dependia do Departamento de Defesa.

Porém, a missão do USCGC Stone tem agora outras características geopolíticas: visa intimidar atividades ilegais, o tráfico ilícito e principalmente a pesca ilegal, que se tornou um dos principais flagelos nas águas do planeta.



Um helicoptero MH-60 Jayhawk treina e qualifica as operações do comvoo do  USCGC Stone (WMSL 758), em 27DEZ2020.Foto US Coast Guard

Mas a mensagem também tem conteúdo contra os novos rivais dos Estados Unidos: a China. “Embora muita atenção tenha sido dada ao Pacífico, onde as autoridades americanas dizem que a expansão das frotas de pesca e patrulha da China afetou o direito internacional e ameaçou a segurança econômica e a soberania das nações, há preocupações semelhantes sobre os recursos. Naturais do Atlântico Sul”, inicia um artigo do Instituto Naval dos Estados Unidos sobre a chegada do USCGC Stone nesta área.

"A crescente preocupação com as atividades ilegais na pesca ao largo da América do Sul, incluindo o rastreamento de mais barcos de pesca chineses e asiáticos, levou a Argentina a comprar três novos Navios de Patrulha Oceânica (OPV) originários da França, para sua guarda costeira", alertou em referência a política oficial, que Sabrina Frédéric mantém.

Em seus vários encontros com o embaixador dos Estados Unidos, Edward Prado - que encerraria sua missão quando Joe Biden assumisse a presidência em 20 de janeiro - a cooperação em segurança foi mantida e até mesmo aumentada.

Além da aprovação de uma nova lei de pesca este ano, que aumentou as multas para embarcações que cometem ilícitos criminais, Sabrina Frédéric tem apoiado a Prefeitura Naval – que capturou e multou três embarcações estrangeiras, duas chinesas e uma portuguesa - e cedeu um helicóptero para operações especiais.

A classe USCGC Stone Legend (WMSL) tem uma tripulação de 120 homens e mulheres. Embora atraquem em Mar del Plata, não realizarão atividades com os argentinos e nem poderão desembarcar porque é necessária a aprovação do Congresso argentino. Em teoria, eles também não poderiam navegar a menos de 200 milhas dentro da Zona Econômica Exclusiva (ZEE).

O tour inaugural, o navio foi lançado no segundo semestre de 2020, é "uma missão que durará vários meses no Atlântico Sul para combater a pesca ilegal, não regulamentada e não declarada, ao mesmo tempo que fortalece as relações de soberania marítima e segurança em toda a região", disse um comunicado de imprensa da Guarda. Costeiro. (ver o documento da Guarda Costeria  Illegal, Unreported, and Unregulated (IUU) Fishing  no DefesaNet via Scrubd Link)

Nota DefesaNet

Recomendamos a leitura da Operation Southern Cross (Cruzeiro do Sul), distribuída pela própria Guarda Costeira Americana (US Coast Guard). O USCGC  WMSL758  (Maritime Security Cutter Large) tem condições de operar por longas jornadas.

Os National Security Cutter têm um deslocamento máximo de 4.500 tonelada. A velocidade máxima atinge 28 nós e uma autonmia de 12.000 milhas náuticas (cerca de 21.000km), e pode permanecer no mar por 60 dias.

Recomendamos a leitura dos artigos de DefesaNet

Exclusivo – Chineses oferecem Polo Pesqueiro no Sul do Brasil. Oportunidade Comercial ou Armadilha Geopolítica?
A oferta de investir U$ 30 Mi em Polo Pesqueiro Integrado na cidade portuária de Rio Grande traz uma potencial de conflito geopolítico regional e internacional.



 

Exclusivo - Canto da Sereia e o Bafo do Dragão.
Carlos Oliveira é um expert nas questões estratégicas do Atlântico Sul e traz informações exclusivas sobre as ações das frotas pesqueiras chinesas.


O Editor


VEJA MAIS